terça-feira, 4 de outubro de 2022

A Imaculada Conceição glorificada à revelia até por ...
um diabo!

Imaculada Conceição,São Francisco da Penitência, Rio de Janeiro
Imaculada Conceição,
São Francisco da Penitência, Rio de Janeiro
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




No dia 8 de dezembro de 1854, o Bem-aventurado Papa Pio IX promulgou solenemente o dogma da Imaculada Conceição de Maria, Mãe de Deus Encarnado, Nosso Senhor Jesus Cristo.

E no dia 25 de março de 1858, festa da Anunciação do Anjo a Nossa Senhora e da Encarnação do Verbo, a Santíssima Virgem se manifestou em Lourdes a Santa Bernadete.

Nesse dia Ela confirmou o dogma, dizendo: “Eu sou a Imaculada Conceição”. E inaugurou uma torrente de milagres que não cessa até hoje!

Poucas pessoas sabem que em 1823, trinta anos antes da proclamação desse magnífico dogma, dois sacerdotes exorcistas obrigaram um demônio que possuía um rapaz a cantar o louvor dessa santa verdade.

E o demônio teve que fazê-lo, obviamente a contragosto, mas com uma rima poética que reverenciou a glória de Nossa Senhora.

O demônio é “espírito de mentira”, mas o exorcismo pode obrigá-lo a dizer a verdade, inclusive sobre matérias de Fé, como a divindade de Jesus Cristo, as virtudes da Imaculada Virgem, a existência do Paraíso, do inferno, etc.

Foi o que aconteceu com o demônio que tinha entrado num jovem analfabeto de apenas doze anos, residente em Adriano di Puglia, Itália, hoje Ariano Irpino, na província e diocese de Avellino.

Os exorcistas foram dois religiosos dominicanos, o Pe. Gassiti e o Pe. Pignataro, que estavam na cidade pregando uma missão.

Eles haviam recebido o “placet”, ou autorização do bispo, para fazer o exorcismo.

E obrigaram então aquele demônio a responder a muitas perguntas, entre as quais, uma sobre a Imaculada Conceição.

Apesar de o diabo dar sinais de máxima contrariedade, os exorcistas lhe impuseram que falasse sobre o especialíssimo privilégio concedido por Deus a Maria Santíssima.

O demônio então confessou que a Virgem de Nazareth jamais esteve sob seu poder, nem mesmo por um só instante. Pelo contrário, confessou que desde o primeiro instante de sua vida Ela sempre esteve “cheia de graça” e foi toda de Deus.

Os dois exorcistas obrigaram o espírito das trevas a testemunhar a Imaculada Conceição sob a forma de versos poéticos.

E o diabo pôs em verso a glória da Imaculada que o esmaga eternamente.
Santa Maria de los Reyes, Laguardia, Espanha
E o demônio, que se perdeu por culpa própria e conhecendo perfeitamente as coisas, compôs na língua italiana um soneto impecável, perfeito como construção poética e como teologia.

Como a tradução para o português prejudica a rima, nós o reproduzimos no em italiano final do post:
Eu sou Mãe verdadeira de um Deus que é Filho
e sou filha dEle, embora seja sua Mãe;
Ele nasceu ab aeterno e é meu Filho,
Eu nasci no tempo e, entretanto, sou sua Mãe.

Ele é meu criador, porém é meu Filho,
Eu sou sua criatura, porém sou sua Mãe;
Foi um prodígio divino Ele ser meu Filho
Um Deus eterno me ter por Mãe.

A vida é comum entre a Mãe e o Filho
Porque o Filho recebe o ser da Mãe,
E a Mãe recebeu o ser do Filho.

Ora, se o Filho recebeu o ser da Mãe,
Ou se diz que o Filho nasceu com mancha,
Ou foi a Mãe que foi concebida sem mancha.

Imaculada Conceição em Lourdes, França
Imaculada Conceição em Lourdes, França
Se não formos piores que esse demônio do inferno, ajoelhemo-nos diante da Imaculada Virgem e veneremo-la pelos séculos dos séculos, dizendo:

“Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a Vós”.

Em italiano:
Vera Madre son Io d’un Dio che è Figlio
e son figlia di Lui, benché sua Madre;
ab aeterno nacqu’Egli ed è mio Figlio,
in tempo Io nacqui e pur gli sono Madre.

Egli è mio creator ed è mio Figlio,
son Io sua creatura e gli son Madre;
fu prodigo divin l’esser mio Figlio
un Dio eterno, e Me d’aver per Madre.

L’esser quasi è comun tra Madre e Figlio
perché l’esser dal Figlio ebbe la Madre,
e l’esser dalla Madre ebbe anche il Figlio.

Or, se l’esser dal Figlio ebbe la Madre,
o s’ha da dir che fu macchiato il Figlio,
o senza macchia s’ha da dir la Madre



Fonte: “Chiesa viva”, Maio 2012

terça-feira, 27 de setembro de 2022

Nossa Senhora Aparecida intacta em incêndios devastadores

Nossa Senhora Aparecida e terço intactos
Nossa Senhora Aparecida e terço intactos
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Uma imagem de Nossa Senhora Aparecida e um terço ficaram ilesos no incêndio de uma casa na rua Christiano Justus Júnior, no Boa Vista, em Ponta Grossa, Paraná, noticiou a UOL.

“A foto apresenta a imagem de Nossa Senhora que ficou intacta, inclusive o terço, cujas quais são feitas de material de combustível tão vulneráveis quanto ao restante que foi consumida pelo fogo”, complementa a nota enviada pelo 2º Grupamento de Bombeiro à imprensa, segundo “Arede”.

A corporação compartilhou uma foto, onde é possível ver que a imagem da santa e um terço estão em um altar, que também parece não ter sido afetado pelas chamas, noticiou “Yahoo! Notícias”.

Altar com imagem de Nossa Senhora Aparecida foi o único objeto não danificado pelas chamas
Em uma foto registrada pela equipe, é possível ver um altar com a imagem da figura religiosa e um terço, que não foram afetados pelo incêndio. 
 
O cômodo onde as peças estavam ficou visivelmente queimado, assim como um item que estava acima do altar, acrescentou G1.

Segundo a corporação, “as chamas atingiram a parte superior, lado esquerdo, aos fundos do imóvel que possui estrutura de madeira”. 
 
Nenhum morador ficou ferido e apenas danos materiais foram registrados no local.
 


Imagem de santa e terço ficam intactos após incêndio atingir casa no PR



Em julho deste ano [2022] uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, também ficou intacta após um incêndio destruir completamente o baú de uma carreta que transportava plumas de algodão. O acidente ocorreu na BR-267, em Bataguassu, no Mato Grosso do Sul.

Nossa Senhora Aparecida em caminhão resiste a incêndio
Nossa Senhora Aparecida em caminhão resiste a incêndio
O chamado cavalo mecânico, onde fica a cabine, rodas e motor do veículo, que estavam diante do painel da padroeira do Brasil, também não foi afetado pelo fogo. Ninguém se feriu.

A imagem intacta em meio às cinzas chamou a atenção de quem passou pelo local.

“Tem coisa que não tem explicação”, disse uma pessoa ao filmar o acidente. “A carreta derreteu toda e a imagem de Nossa Senhora Aparecida nem sapecou, é impressionante”, completou.


Incêndio consome baú de carreta e grande imagem de Nossa Senhora Aparecida fica intacta




terça-feira, 13 de setembro de 2022

Tornados poupam imagens católicas em vários continentes

Nossa Senhora Aparecida intacta após tornado destruir a igreja de Ibicaré, SC
Nossa Senhora Aparecida intacta após tornado destruir a igreja de Ibicaré, SC
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Os tornados são fenômenos devastadores que podem acontecer em toda parte e por vezes com especial violência, destruições e mortes.

Em Ibicaré, Santa Catarina, sul do Brasil, pelo menos 830 pessoas perderam suas casas por esse desastre natural em agosto de 2020 e a igreja ficou reduzida a ruínas, como aliás não surpreende a ninguém, registrou o site UPSOCL.

O que surpreendeu a freguesia do Padroeiro São José foi que, tendo tudo desabado, incluindo o teto, as imagens de Nossa Senhora Aparecida, assim como de São José e do Menino Jesus, permaneceram em pé, intactas.

Essas estátuas ficaram envoltas pelos escombros, sobretudo os que caíram do teto, enquanto elas não foram prejudicadas.

Parece injustificável que essas imagens resistissem às forças da natureza que geraram o desastre.

São José e Nossa Senhora das Graças também ficaram inexplicavelmente intactas, após tornado em Ibicaré
São José e Nossa Senhora das Graças também ficaram inexplicavelmente intactas,
após tornado em Ibicaré
Segundo a mídia local de Campo Alegre Notícias não foi um mais uma série de tornados que afetou o estado todo.

Segundo a Defesa Civil, somadas todas as ocorrências, 127 imóveis foram completamente destruídos, 4.600 pessoas foram afetadas e cerca de 16 habitantes ficaram feridos, dois deles em estado grave.

E Nossa Senhora Aparecida, em modesta imagem, ficou intocada!

Em 29 de abril de 2017 acontecera algo parecido na igreja de São João Evangelista, em Emory, perto de Dallas, Texas, que ficou praticamente destruída depois da passagem de um tornado.

Mas, nenhum paroquiano morreu e uma imagem de Nossa Senhora das Graças permaneceu intacta, informou ACIDigital.

Também foram várias as tempestades assolaram a região sul e centro dos Estados Unidos, provocando a trágica morte de aproximadamente 20 pessoas.

“Em cerca de 30 segundos todos caímos no chão nos protegendo uns aos outros”, disse a catequista Monica Hughes à ‘CNN’.

Imagem da igreja St. John the Evangelist, Emory, afueras de Dallas, TEXAS
Imagem da igreja São. João Evangelista, Emory, Dallas, Texas
No salão paroquial se refugiaram quase 45 pessoas, incluindo crianças e estudantes, e segundo Hughes “podíamos ver as vigas sendo dobradas e o telhado de alumínio quebrado”.

Todos continuaram rezando durante duas horas até a chegada de auxílios e saíram para ver que ambos os lados do prédio estavam destruídos e que todos eles estavam ilesos.

E ficaram tocados quando viram que a imagem de Nossa Senhora das Graças não havia sofrido dano algum, como se pode ver em vídeo da CNN.

As pessoas falavam em ‘milagre’ para descrever o acontecido enquanto na mesma noite três tornados matavam quatro pessoas no mesmo Texas”, disse Peyton Low, diretor de assuntos públicos da Diocese de Tyler (Texas).

“Pela graça de Deus e pela proteção de Nossa Senhora, ninguém ficou ferido”, disse Low. Nossa Senhora das Graças, protegei-nos se nos acontecer alguma desgraça do gênero, como tantas que pendem sobre nós neste mundo imerso na desordem.



Ainda outra imagem de Nossa Senhora ficou intacta entre os escombros causados por um dos tornados que devastaram dezenas de cidades norte-americanas entre 10 e 11 de dezembro, na Igreja da Ressurreição, paróquia católica em Dawson Springs, Kentucky, segundo informou Aleteia.

A imagem de Maria com o Menino Jesus em seus braços ficou intacta em forte contraste com o teto rasgado e as paredes da igreja que teve perda total, segundo disse Tina Casey, secretária de comunicações da Diocese de Owensboro.

Santa Bernadette intacta na India, Wadala
Santa Bernadette intacta na Índia, Wadala
Pareceu que todas estas provas da intercessão sobrenatural de Jesus, Maria, santos e anjos não foram suficientes.

Santa Bernadette intacta na India, Wadala
Santa Bernadette intacta
na Índia, Wadala
Então, em Wadala, Índia, uma grande árvore típica do país foi arrancada de raiz junto à Igreja Católica de São José, e caiu sobre a imagem de Santa Bernadette Soubirous, vidente de Nossa Senhora de Lourdes que fazia parte de uma gruta de Lourdes.

Para pasmo de todos, o grande e complicado tronco parou sobre a cabeça da imagem de Santa Bernadette que, toda ela, permaneceu intacta, como repercutiu intensamente nas redes sociais daquele remoto país.


terça-feira, 6 de setembro de 2022

Espanha: não há outeiro
de onde não se aviste um santuário

Basílica do Sagrado Coração, Tibidabo, Barcelona
Basílica do Sagrado Coração, Tibidabo, Barcelona
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Fazer a conta dos santuários existentes na Espanha ficou tão difícil que agora apareceu um livro que aventura uma cifra com fundamento no estudo.

É Santuários, guia de turismo e peregrinação, de Salvador Batalla Gardella, ex-diretor do departamento de Pastoral de Turismo, Santuário e Peregrinações da Conferência Episcopal espanhola, segundo divulgaram oportunamente os sites espanhóis Infocatólica e Religión en Libertad.

O autor afirma que se pode contabilizar “mais de 12.300 santuários e ermidas” no território espanhol.

Para se fazer uma ideia do que isso significa, o autor explica que “não há montanha, morro ou colina de onde não se possa ver no horizonte um santuário, uma ermida ou uma capela dedicada a Jesus Cristo, à Mãe de Deus, ou a algum santo ou santa”.

Aqueles dedicados a Nosso Senhor são pelo menos 1.200 (10% do total), os dedicados à Virgem Maria ou a alguma invocação mariana são 4.300 (35%); e os dedicados a santos e santas são 6.800 (55%).

Capela nos Pirineus
Capela nos Pirineus, Aragão, Espanha
Há assim quase o triplo de santuários dedicados a Nossa Senhora do que a Seu Divino Filho, cálculo que faz muito protestante espernear, mas que entusiasma os verdadeiros católicos e Nosso Senhor, glorificado na pessoa de Sua Santíssima Mãe.

Os santuários, capelas e ermidas dedicados a santos e santas são largamente majoritários, outro fato que faz protestantes saírem de dentro da própria pele para falar mal da católica Espanha.

A proporção dos santuários não se reflete no número dos romeiros, pois alguns santuários atraem milhões de pessoas, como o da Virgen del Pilar em Zaragoza ou do Apóstolo Santiago em Compostela.

Mais longa ou menos, com características diversas, as romarias vão sempre a um desses santuários, e costumam estar relacionadas com o campo e a vida rural, sendo muito menos intensas nos centros urbanos.

Procissão de Nossa Senhora da Montanha, Cáceres, Espanha
A ereção e manutenção dos santuários é quase sempre iniciativa de confrarias e associações locais formadas por leigos. Os mantidos pelas ordens religiosas são quase exceção.

É a graça divina que chama os romeiros a peregrinarem a tantos locais sagrados e em tal número.

Infelizmente o clero não exorta, na proporção merecida, os fiéis a comparecerem a esses atos de piedade que marcam uma vida e talvez decidam a salvação eterna.

Em lugar disso, ouvem-se com insistência pregações de caráter terreno, quando não de incitamento à revolução social e de desestímulo a essas devoções “antigas” e até “medievais”.


terça-feira, 30 de agosto de 2022

O milagre do sorriso de Nossa Senhora no rosto de Santa Bernadette

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs









Pensando na festa de Nossa Senhora de Lourdes (11 de fevereiro) publicamos o comovedor relato de um milagre de Santa Bernadette, tirado do blog "Lourdes e suas aparições" (O milagre do sorriso de Nossa Senhora no rosto de Santa Bernadette):

Um dia, um sacerdote se aproximou de nós diante de Grota e nos mostrou um velho no meio da multidão.

Ele estava piedosamente ajoelhado e rezava com os braços em cruz.

“Interrogai-o, disse o sacerdote, nós o chamamos de ‘o miraculado do sorriso da Virgem”.

Nós nos aproximamos do peregrino, e ele com o melhor charme do mundo, nos contou sua história.

Ele era o conde de Bruissard, e efetivamente ele vira o sorriso da Virgem, da mesma maneira que nós vemos o reflexo do sol num lago de águas puras e tranquilas.

Ele o viu refletido no rosto transfigurado de Santa Bernadette.

Eis o que ele nos contou:

“Estava eu em Cauterets, conta-nos ele, no momento em que se falava tanto das aparições. Não acreditava mais nestas aparições do que na existência de Deus. Era um libertino e, mais do que isto, era um ateu.

“Tendo lido em um dos nossos jornais que Bernadete tivera uma aparição, no dia 16 de julho, e que a Virgem lhe sorria, resolvi ir a Lourdes, por curiosidade, e tomar a menina em uma flagrante mentira.

“Dirigi-me à casa dos Soubirous, e lá encontrei Bernadete no limiar da habitação, consertando um par de meias pretas. A mim Bernadete pareceu bastante vulgar. Entretanto, o seu aspecto sofredor tinha uma certa doçura.

“A meu pedido ela me contou as suas aparições com uma simplicidade e segurança que me impressionaram. Enfim, disse-lhe eu, como é que esta bela Senhora sorria?…

“A jovem pastora olhou-me com certo espanto e, após um momento de silêncio, assim falou:

“— Oh! senhor, para reproduzir esse sorriso, seria preciso ir até ao céu.

“— E não poderíeis vós reproduzi-lo para mim? Sou um incrédulo, e não creio em vossas aparições.

“O semblante da jovem anuviou-se, e tomou uma expressão severa:

“— Então, o Senhor julga-me uma mentirosa?

“Senti-me desarmado. Não, Bernadete não era mentirosa, e quase que me pus de joelhos a pedir-lhe perdão.

“— Já que sois um pecador, respondeu ela, eis qual foi o sorriso da Virgem.

“Lentamente, a jovem elevou-se, juntou as mãos e esboçou um sorriso celestial que jamais eu vi em lábios mortais. Sua fisionomia iluminara-se de um reflexo perturbador.

“Ela ainda sorria, com os olhos elevados ao céu, e eu estava de joelhos aos seus pés, certo de ter admirado no semblante da vidente o sorriso da Santíssima Virgem.

“Desde então conservo comigo no íntimo da alma esse sorriso divino.

Ele secou muitas de minhas lágrimas.

“Perdi minha mulher e minhas duas filhas, e não me parece estar só no mundo: Vivo com o sorriso da Virgem.

“Eu vivo com o raio de luz que ilumina e embelece as ruínas da minha existência”.

(Fonte: “Le Triomphe de Lourdes”, 5ª ed., Victor-Havard Éditeur, 168, Boulevard Saint-Germain, Paris, 1893, 366. Páginas 119 e ss.)


terça-feira, 16 de agosto de 2022

Colômbia: Cristo ressuscitado surge em incêndio

Jesus ressurrecto entre as cinzas da igreja incendiada
Jesus ressurrecto entre as cinzas da igreja incendiada
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Na paróquia de São Marcos Evangelista, no município colombiano de Dosquebradas, diocese de Pereira, um incêndio destruiu grande parte da modesta igreja e feriu três pessoas, informou “Aleteia”.

O incêndio ocorreu no domingo de Páscoa, pouco depois do meio-dia e após o término da Missa. A igreja já estava fechada.

O diretor de Comunicação da diocese, padre Óscar Gutiérrez, declarou que as chamas danificaram a estrutura e consumiram quase 90% do templo construído há 40 anos.

A causa é atribuída a algumas velas que atingiram altas cortinas usadas na cerimônia do Santo Sepulcro na Sexta-feira Santa.

As chamas consumiram o teto, e cinzas e restos carbonizados caíram espalhando o fogo e a destruição.

Ficou surpreendentemente intocada a imagem de Cristo ressuscitado que havia sido especialmente venerada naquele domingo de Ressurreição.

A imagem do Divino Salvador ressuscitado emerge do tapete caótico de brasas e cinzas, como Nosso Senhor emergiu da morte, cheio de glória e majestade.

Se fosse necessária uma representação artística do triunfo de Cristo sobre a morte, não se poderia imaginar mais. E ainda no dia de sua festa específica: a Páscoa, festa da Ressurreição.

O caráter sobrenatural da proteção da imagem ficou realçado pelo fato que o incêndio que também tomou conta do altar principal não afetou em nada as píxides em que se conservavam as hóstias consagradas.

Estas ficaram perfeitamente ilesas como se nada tivesse acontecido. E as âmbulas que saíram intactas foram levadas pelo bispo diocesano.

O bispo de Pedrosa recupera as ambulas e as hóstias intactas
O bispo de Pedrosa recupera as âmbulas e as hóstias intactas
Mas o sacrário que as protegia ficou severamente danificado pelas labaredas e pelas peças incandescentes que caiam do teto em fogo.

“Uma coisa é o templo material [destruído], que nos machuca, mas teríamos mais dor se o templo espiritual caísse no chão”, comentou o bispo diocesano Monsenhor Rigoberto Corredor, como mensagem final de esperança.

E acrescentou: “Reconstruiremos o templo como os judeus fizeram depois que Nabucodonosor destruiu o templo em Jerusalém e eles o reconstruíram, porque a fé não acabou. A fé continua”.

Palavras muito apropriadas à vista da tempestade de crises de todo tipo que se abatem sobre a Igreja, e que a proteção portentosa do Ressuscitado inspira na futura restauração.



Jesus ressurrecto entre as cinzas de incêndio na Colômbia




terça-feira, 2 de agosto de 2022

Impulso medieval faz que milhões hoje procurem ler livros

Na Bienal do Livro em São Paulo 2022, 660.000 visitantes compraram em média 7 livros
Na Bienal do Livro em São Paulo 2022,
660.000 visitantes compraram em média 7 livros
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Fala-se que a informação virtual teria dado golpe mortal à leitura de livros. Mas na Feira do Livro de Buenos Aires, realizada desde há 46 anos, “quebrou todos os recordes” recebendo 1.324.500 visitantes, segundo a Fundação El Libro (FEL), organizadora da Feira, em 19 dias, citada por “Clarín”.

A indústria editorial se fez presente com mais de 1.727 títulos novos e 610 expositores locais e internacionais.

Nas três semanas, a Feira organizou 997 atividades culturais nas diferentes salas das instalações de La Sociedad Rural, a mais prestigiosa e central associação do agronegócio que emprestou suas imensas instalações, onde diferentes autores americanos e argentinos dedicaram 3.956 exemplares.

As “jornadas profissionais” entre os dias 26 e 28 de abril, registraram um “recorde” de participantes: com a participação de mais de 12 mil trabalhadores no rubro editorial de trinta países reunidos para intercâmbios comerciais, fazer negócios e participar de seminários e conferências.

Uma das principais “vantagens” destes dias foi a remessa gratuita de livros, para clientes internacionais e nacionais, que atingiram 10.045 e 27.961 quilos de livros, respectivamente.

A próxima Feira do Livro de Buenos Aires acontecerá entre abril e maio de 2023, na propriedade La Rural, enquanto as conferências profissionais ocorrerão entre 25 e 27 de maio do mesmo ano.

A área de exposição atingiu 41.590 m2, dos quais 358 estandes ocupavam 16.471 com a presença de 610 expositores locais e internacionais e 1.727 selos editoriais e 11 salas para eventos.

A Feira do Livro de Buenos Aires recebeu 1.324.500 visitantes
A Feira do Livro 2022 de Buenos Aires recebeu 1.324.500 visitantes
Em São Paulo a 26ª edição da Bienal do Livro quase atingiu o recorde anterior à pandemia.

Passaram 660 mil visitantes que em média adquiram sete livros por pessoa. Muitas editoras tiveram seu melhor desempenho da história.

Os números indicaram uma demanda represada por causa da pandemia, maiores filas dentro e fora do pavilhão para comprar livros e participar de debates, segundo noticiou as “Folha de S.Paulo”.

Por sua vez, o “The New York Times” ficou assombrado pelo fato de que mais de 300 novas livrarias independentes surgiram nos EUA nos últimos dois anos, num renascimento surpreendente e bem-vindo após a queda vista no início da pandemia.

Dois anos atrás, acrescentou o jornal, o futuro das livrarias independentes parecia pouco promissor e centenas de pequenas livrarias pelo país afora pareciam fadadas a falir.

Em vez disso, “assistimos a uma retomada sem precedentes”, comentou Allison Hill, CEO da American Booksellers Association, associação comercial que reúne 2.023 livrarias em 2.561 cidades, e registra um aumento nítido e constante na abertura de novas livrarias.

Boom de livrarias independentes nos EUA
Boom de livrarias independentes nos EUA
Muitas delas estão vendo os seus lucros subirem. 80% dos livreiros entrevistados disseram que suas vendas de 2021 foram superiores às de 2020, e quase 70% disseram que superaram as de 2019, acrescentou Hill.


O costume da leitura em grande escala nasceu na Idade Média quanto a Igreja, com o contributo inestimável de Carlos Magno, procedeu à alfabetização das massas humanas mantidas na escravidão e na ignorância pelo paganismo.

Doutores como Santo Tomás de Aquino promoveram a leitura até de mestres da Antiguidade como Aristóteles e produziram uma fabulosa quantidade de escritos sapienciais.

Livros esses todos, sem falar das Sagradas Escrituras, que os monges nas abadias embelezavam com maravilhosas iluminuras. Eles reproduziam os grandes mestres da Antiguidade, resgatando-os dos saques bárbaros, e distribuíam cópias gratuitas a mosteiros em todos os quadrantes da Europa.

Esse impulso gerou a era histórica que mais leu e escreveu desde que o mundo é mundo e que chega até hoje sem que nada tenha podido a impedir.


terça-feira, 26 de julho de 2022

Topázio brasileiro porta de sacrário em Nápoles

O topázio que esculpido virou a porta do sacrário, detalhe
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





WhatsApp Facebook Twitter Skype Pinterest



A história do topázio do rei Fernando II, que esculpido virou a porta do sacrário da Igreja de São Francisco de Paula em Nápoles, começou numa jazida do Brasil no século XIX.

Na ocasião foi descoberta uma pedra preciosíssima: um topázio de cor laranja pálido, que pesava aproximadamente quatro quilos.

Ele foi enviado à Itália e adquirido pela Corte dos Bourbons de Nápoles.

O rei Fernando II (1810-1859) desejava fazer com ele a porta de dois sacrários:

1) o da Capela Palatina do Palácio Real de Caserta, e

2) o da Igreja de São Francisco de Paula, em Nápoles.

O topázio foi então dividido em duas partes iguais.

A metade destinada à igreja de São Francisco deveria, por vontade real, ser esculpida em baixo-relevo.

E o baixo-relevo representaria Nosso Senhor Jesus Cristo partindo o pão consagrado, a Eucaristia.

Fernando II (1810-1859), rei de Nápoles
Porém, sendo a pedra muito resistente a qualquer tratamento, os ourives abandonaram a empresa.

Em 1852, o rei Fernando contratou o professor Andrea Cariello (1807-1870) para fazer a portinha do sacrário de São Francisco de Paula.

O projeto para o outro sacrário foi posto de lado.

Cariello engajou-se com paixão e colocou em movimento toda a cidade de Nápoles.

Precisava de rodas, ferramentas e talhadeiras em quantidade.

Por ser o topázio difícil de se trabalhar até com técnicas modernas, a joia só ficou pronta em 1862, mediante a utilização de brocas de diamante.

Nesse ínterim, o mundo fora posto de ponta cabeça.

Em 1859 morreu o rei Fernando, tendo seu sucessor Francisco II permanecido no trono por pouco mais de um ano, até a anexação iníqua do seu reino pelo nascente reino unido da Itália.

A porta do sacrário
Quando Cariello terminou sua obra, a gema representando o busto de Jesus Eucarístico pesava 1,591 kg e media 18,2 cm de altura, 14,4 cm de largura, 7,2 cm de espessura, incluindo a figura de Nosso Senhor.

Em 1865, o Reino da Itália concordou em que o artista ficasse com a joia como forma de pagamento.

A partir de então o topázio de valor incalculável fez um longo périplo, até acabar sendo doado pelos descendentes do artista à Arquidiocese de Taranto.

E agora transformado em obra de arte sagrada, o topázio brasileiro está sendo exposto no Museu Diocesano.

Ele é todo um símbolo da vocação providencial do Brasil: uma pedra preciosa única de uma cor e de um tamanho ímpares que guarda e protege o próprio Corpo Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo no Sacrário no centro do altar.

É a vocação da Civilização Cristã, guardiã do Santuário, com a grandeza, a magnanimidade e a doçura que Nossa Senhora quis comunicar a nosso País.

terça-feira, 19 de julho de 2022

A cidadinha sem ruas de uma paz incomparável

Giethoorn, Turistas podem alugar pequenas lanchas elétricasGiethoorn, Turistas podem alugar pequenas lanchas elétricas
Giethoorn: turistas podem alugar pequenas lanchas elétricas
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








O espírito católico aspira a criar nesta terra de exílio ambientes de uma beleza que nos faça desejar o Céu, ainda quando os elementos naturais possam ser muito pobres ou adversos.

Um dos muitos exemplos disso vem até hoje desde o século XIII, e teve seu ponto de partida nos pântanos Weerribben-Wieden.

Esses eram um inferno de lama e mosquitos, mas ali se instalou um grupo de fugitivos da justiça pensando que a longa mão das autoridades não chegaria a um local tão infestado, segundo reportagem do “Clarín”

Se não fossem católicos, o resultado teria sido um ninho de criminosos, mas a influência da Igreja os foi suavizando e tornando civilizados.

Os fugitivos encontraram o local cheio de carcaças de animais que haviam sido afogados pelas recentes enchentes

Giethoorne sua vida social
Giethoorn e sua vida social-cultural
Por isso o chamaram de Giethoorn (chifre de cabra) em alusão ao grande número de chifres saindo da lama. Impossível imaginar uma imagem pior do inferno.

Mas oito séculos à sombra benéfica da Igreja embora não mudaram a configuração geológica da área, fizeram da paisagem matéria para inúmeros quadros.

O que foi um lugar a ser evitado, hoje é o alvo de quem quer viver a alegre experiência de visitar uma belíssima cidade na Holanda que não tem ruas e, portanto, não tem carros.

A 120 quilômetros a nordeste de Amsterdã, no lado oposto da baía de Ijseelmeer, está esta cidade de 2.600 habitantes que nem sequer possui município, pois pertence ao município de Steenwijkerland.

Sua principal característica, que a torna única, é que as casas e equipamentos urbanos estão localizados em ilhotas originalmente pantanosas, separadas por uma intrincada rede de canais de água abertos trabalhosa e estavelmente pelos moradores.

São muitas as pontes que ligam as casas, mas as possibilidades de caminhar são limitadas, pois ficam praticamente reduzidas a ir de uma casa a outra, o que carece de utilidade e incentivo para quem não é morador.

Os habitantes de Giethoorn, é claro, se transportam de um lugar para outro, mas o fazem em seu próprio barco, geralmente atracado à sua porta.

O turista pode fazer o mesmo, pois há uma frota de pequenas lanchas de aluguel – elétricas, para não perturbar o silêncio que reina em uma cidade sem carros – a preços muito razoáveis para percorrer os mais de seis quilômetros de canais da cidade.

A paisagem urbana é cuidadosamente mantida. O gramado comunal é sempre cortado, e muitas das casas se atrevem a optar por telhados verdes tradicionais, que muitas vezes são caros e difíceis de manter, mas que dão a Giethoorn uma aparência pitoresca incomparável.

Giethoorn convida a uma caminhada sem muitos objetivos, pelo prazer de experimentar a sensação de visitar uma cidade aquática.

O Museu da Fazenda, que reproduz como era uma fazenda familiar no início do século XIX. É pequeno, mas charmoso, exibindo as ferramentas e suprimentos cotidianos da época. E ilustra algo muito importante, até indispensável: a vida de família.

A família bem constituída abençoada pela Igreja é o pilar de toda sociedade feliz e ordenada. O contrário, se evidencia em tantas cidades modernas, ateizadas e em proa ao crime.

A aparência atual de Griethoorn deve-se à recorrente de turfa, material esponjoso útil para a agricultura produzido pelo acúmulo de detritos vegetais, que ocorreu na área ao longo dos séculos.

Ao desenraizar essa “esponja vegetal”, a água do Mar do Norte penetrou e gerou canais e lagoas.

Hoje a maioria dos habitantes da cidade trabalham nas grandes cidades holandesas próximas, para onde viajam diariamente deixando seus veículos estacionados na periferia e chegando de barco, é claro.

Apesar da abundância do turismo, Giethoorn mantém um ambiente muito calmo.

A ausência de trânsito e o ruído associado fazem com que suave deslizar dos barcos e o trinado dos pássaros seja praticamente a única banda sonora da vila, onde existem vários restaurantes e meia dúzia de hotéis.

Os habitantes usam lanchas em lugar de carros
Os habitantes usam lanchas em lugar de carros
Uma ideia particularmente recomendável é reservar um quarto e assistir ao pôr do sol, vivenciar a magia das casas com suas luzes refletidas nas águas dos canais e aproveitar o nascer do sol nos próximos dia em um cenário único, a apenas uma hora da animada cidade de Groningen.

Nos invernos, quando os canais congelam – com mais frequência do que podemos imaginar em nossas cálidas cidades – o povo de Giethoorn se move pelas ruas patinando no gelo.

É a grande forma de “caminhar” pelas ruas inexistentes da cidade que é ao mesmo tempo uma fonte inesgotável de entretenimento. Nada disso há nas gigantescas nas ruas das modernas urbes, aliás muitas vezes feias e perigosas.

Giethoorn fica a uma hora e meia de carro de Amsterdã pela autoestrada A6. As zonas úmidas de Weerribben-Wieden têm a mais alta proteção legal, fazem parte do parque nacional de mesmo nome.

Os roteiros turísticos não acostumam mencionar a fonte de tanta paz e beleza: a bênção da Civilização Cristã, mas ela permanece irradiando ordem e bem-estar.


quinta-feira, 16 de junho de 2022

Sagrado Coração de Jesus: a imagem da certeza

Imagem que pertenceu a Dona Lucília Corrêa de Oliveira, artesanal francesa, de grande piedade e expressão, reflete a bondade do Sagrado Coração, era o analogado primário de todas as devoções dela.
Imagem que pertenceu
a Dona Lucília Corrêa de Oliveira,
artesanal francesa, de grande piedade e expressão,
reflete a bondade do Sagrado Coração,
era o analogado primário de todas as devoções dela.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




O que essa imagem do Sagrado Coração de Jesus torna patente aos nossos olhos?

Quando a pessoa é tocada por uma graça, ela apresenta muito bem a certeza de que Nosso Senhor Jesus Cristo é Deus.

Nosso Senhor está tão bem representado, tão ereto; o busto e o porte d’Ele tão varonis, tão sérios, próprios a quem pensa em tudo com seriedade para ver a realidade das coisas.

É a própria imagem da certeza.

O conjunto revela a amplitude das grandes visões do universo e de tudo quanto existe.

O cabelo d’Ele divide a cabeça em duas partes, parecendo marcar uma simetria universal no mundo onde tudo se pode ver em dois aspectos afins, mas distintos, e que constituem uma harmonia superior.

O cabelo cai ao longo da cabeça e sobre os ombros mansamente, lisamente; em uma ordem perfeita, impecável, suave.

Tão acolhedora e tão afável, que não há um fio que não esteja bem posto.

O olhar dirigido ao observador é cheio de convicções e de reflexões, que se acumularam num prodigioso depósito de certezas, comunicando-se estas às outras que Ele vai deduzindo.

Tudo isso se passa num plano tão alto, tão extraordinário, que Ele se manifesta ao mesmo tempo como verdadeiro rei e verdadeiro mestre.

Rei por excelência é Ele. Não porque tem o hábito de mandar, nem porque os outros reconhecem n’Ele o direito de mandar, mas por sua própria essência.

É rei na sua essência, independente do que os demais pensem ou não pensem, queiram ou não queiram.

Mestre por excelência é Ele, que ensina uma verdade perfeita, total, a respeito da qual não há nada a dizer, senão: “Sim, adoro-Vos!



(*) Excertos da conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira em 14 de março de 1993. Sem revisão do autor.


terça-feira, 31 de maio de 2022

Rússia mira a Coroa de Espinhos mas essa fica em Paris

Veneração da Sagrada Coroa de Espinhos em Saint-Germain l'Auxerrois, catedral provisória de Paris durante a restauração de Notre Dame, 16-2-2022
Veneração da Sagrada Coroa de Espinhos em Saint-Germain l'Auxerrois,
catedral provisória de Paris durante a restauração de Notre Dame, 16-2-2022
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Poucos dias antes da invasão russa da Ucrânia, o número dois da Igreja Ortodoxa Russa, o Metropolita Hilarion de Volokolamsk, foi a Paris para pedir que a sagrada Coroa de Espinhos de Nosso Senhor Jesus Cristo, conservada na catedral de Notre-Dame no momento do incêndio de 2019 fosse levada a Moscou em empréstimo, segundo informou “La Vie”.

Logo correu a suspeita de que esta joia sagrada do tesouro da Igreja Católica da França poderia se tornar um instrumento da geopolítica internacional de Putin em meio à guerra.

E até poderia não ter sido devolvida alegando pretextos com base na guerra de invasão da Ucrânia.

De fato, o início da invasão que já estava em avançado estado de preparação poderia ter impedido o regresso da Sagrada Relíquia posta a interrupção natural das comunicações e transportes.

O falso espírito ecumênico poderia ter levado a uma horrível perda.

Patrick Chauvet, arcipreste de Notre-Dame de Paris e, como tal, “responsável” oficial da relíquia apelou a argumentos enganosos: “Na espiritualidade ortodoxa russa, a veneração das relíquias é central. Faz parte de sua piedade popular, e em cada veneração desta relíquia em Notre-Dame de Paris há sempre muitos fiéis ortodoxos presentes”.

<table cellpadding="0" cellspacing="0" class="tr-caption-container" style="float: left; margin-right: 1em; text-align: left;"><tbody><tr><td style="text-align: center;"><a href="https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEieu64nBPLbTeS--M5Sb6kCjHmBB5jc6kzpln4g_nnHQH1s9CAuY5yVQYniWNQ0I6en7B1PnqqhohIODAgiEsBVeXiF8wPm0MNQFSuLQlLWxKIYJKez14MSPv3a6e5Innw3RVS8RC0_SHkVPRJX5RXMZ8XdMwaHP8Ji_dvMevavyR1FLQJk4PxFhtrC/s1280/Venera%C3%A7%C3%A3o%20da%20Sagrada%20Coroa%20de%20Espinhos%20em%20Saint-Germain%20l'Auxerrois,%20catedral%20provis%C3%B3ria%20de%20Paris%20durante%20a%20restaura%C3%A7%C3%A3o%20de%20Notre%20Dame,%2016-2-2022.jpg" imageanchor="1" style="clear: left; margin-bottom: 1em; margin-left: auto; margin-right: auto;"><img alt="Veneração da Sagrada Coroa de Espinhos em Saint-Germain l'Auxerrois, catedral provisória de Paris durante a restauração de Notre Dame, 16-2-2022" border="0" data-original-height="854" data-original-width="1280" height="428" src="https://blogger.googleusercontent.com/img/b/R29vZ2xl/AVvXsEieu64nBPLbTeS--M5Sb6kCjHmBB5jc6kzpln4g_nnHQH1s9CAuY5yVQYniWNQ0I6en7B1PnqqhohIODAgiEsBVeXiF8wPm0MNQFSuLQlLWxKIYJKez14MSPv3a6e5Innw3RVS8RC0_SHkVPRJX5RXMZ8XdMwaHP8Ji_dvMevavyR1FLQJk4PxFhtrC/w640-h428/Venera%C3%A7%C3%A3o%20da%20Sagrada%20Coroa%20de%20Espinhos%20em%20Saint-Germain%20l'Auxerrois,%20catedral%20provis%C3%B3ria%20de%20Paris%20durante%20a%20restaura%C3%A7%C3%A3o%20de%20Notre%20Dame,%2016-2-2022.jpg" title="Veneração da Sagrada Coroa de Espinhos em Saint-Germain l'Auxerrois, catedral provisória de Paris durante a restauração de Notre Dame, 16-2-2022" width="640" /></a></td></tr><tr><td class="tr-caption" style="text-align: center;">Veneração da Sagrada Coroa de Espinhos em Saint-Germain l'Auxerrois, <br />catedral provisória de Paris durante a restauração de Notre Dame, 16-2-2022</td></tr></tbody></table>
Veneração da Sagrada Coroa de Espinhos em Saint-Germain l'Auxerrois,
catedral provisória de Paris durante a restauração de Notre Dame, 16-2-2022
Há verdade nisso a nível popular, mas não a nível da hierarquia do Patriarcado de Moscou, militante ativo do comunismo primeiro e das insídias de Vladimir Putin hoje.

O Patriarcado de Moscou há décadas pedia que a Santa Coroa de Espinhos fosse a Moscou.

Mas a diocese parisiense sempre recusou até que o Papa Francisco se encontrou com o Patriarca de Moscou, Cirilo, estranhamente em Cuba.

O papa pediu comemorar esse encontro que foi focada na importância dos santuários e relíquia sagrada coroa de espinhos.

A Sagrada Coroa de Espinhos está sob os cuidados da Ordem dos Cavaleiros do Santo Sepulcro de Jerusalém que só pode ser transportada quando escoltada por esses cavaleiros, explicou Mons. Patrick Chauvet. Desde o incêndio em Notre-Dame de Paris está transitoriamente no Louvre.

Mas estranhamente, o Mons. acrescentou: “se os líderes russos quiserem vir buscar esta relíquia, eu os receberei imediatamente, (...) pode ser um instrumento de paz”, como se não houvesse perigo algum e se a Rússia trabalhasse inocentemente pela paz.

A Santa Coroa de Espinhos ficou finalmente em Paris.

Ali foi venerada publicamente como sempre acontece em todas as Semanas Santas, mas não em Notre Dame onde as obras de restauração avançam de modo impressionante.