segunda-feira, 18 de junho de 2018

Doceiro recusa bolo a dupla LGBT, é processado, mas vence na Suprema Corte dos EUA

Clientes parabenizam Jack Phillips (de luvas) após vitória na Suprema Corte
Clientes parabenizam Jack Phillips (de luvas)
após vitória na Suprema Corte
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






A Suprema Corte dos Estados Unidos julgou em favor do confeiteiro cristão Jack Phillips, dono da confeitaria familiar “Masterpiece Cakeshop” em Lakewood, Denver, estado do Colorado, que recusou fazer um bolo de casamento para um casal homossexual por motivos religiosos.

A informação agastou tubas da mídia americana como o “The Washington Post” e foi ecoada até por órgãos da mídia brasileira como o “O Estado de S.Paulo”. 

Os ministros do Supremo discordaram por 7 x 2 da Comissão de Direitos Civis do Colorado que aceitou como válidas as queixas LGBT contra Jack Phillips. A Suprema Corte considerou que a Comissão mostrou hostilidade a uma religião.

A Suprema Corte considerou que a ideologizada Comissão violou os direitos religiosos de Phillips garantidos pela Primeira Emenda da Constituição dos EUA.

A Comissão dizia que o confeiteiro violou a lei antidiscriminação do Colorado, que proíbe a qualquer um recusar serviços com base em raça, sexo, estado civil ou orientação sexual.

Jack Phillips recusa serviços para festas contrárias à Fé e à moral.
Jack Phillips recusa serviços para festas contrárias à Fé e à moral.
Os supremos magistrados, pelo contrário, concluíram que para o confeiteiro cristão “criar uma torta de casamento para um casal do mesmo sexo seria o equivalente a participar de uma celebração contrária às suas crenças mais profundas”.

Centenas de pessoas se congregaram em torno da confeitaria para comemorar a sensata decisão do Supremo, noticiou Catholic News Agency. 

Phillips e sua família vinham recebendo ameaças e mensagens email e telefónicas impregnadas de crueldade, ódio e violência, mas não perderam a calma, acrescentou a mesma Catholic News Agency.

O processo com ar de represália vingativa contra o cristão foi recusado também por dois dos quatro juízes liberais do tribunal, Stephen Breyer e Elena Kagan. Esses concordaram com cinco colegas conservadores com o relator juiz Anthony Kennedy.

“A hostilidade da Comissão foi incoerente com a garantia da Primeira Emenda de que nossas leis serão aplicadas de uma forma que seja neutra para religiões”, escreveu Kennedy.

Dos 50 Estados americanos, 21 têm leis antidiscriminação que protegem os LGBT, incluindo o Colorado.

Mas o caso ultrapassou os limites do Colorado. E se tornou um caso simbólico que pode ter profundos efeitos na polarizada sociedade americana.

Estão em jogo princípios, valores religiosos, fanatismo igualitário e ativismo LGBT além da liberdade de expressão protegida pela Primeira Emenda da Constituição, mas que pareceu de nada valer para o dono da pequena doceira.

Manifestação de apoio a Jack Phillips
Manifestação de apoio a Jack Phillips
Phillips explicou que sua padaria “Masterpiece Cakeshop” não podia aceitar o pedido da dupla que, aliás, soou a provocação e montagem, que solicitara um bolo especial de casamento.

Os advogados argumentaram com razão que o bolo representa a instituição do casamento e, portanto, na decisão do confeiteiro estava envolvida uma mensagem sobre o conceito de família.

Um da dupla LGBT afirmou que assim que explicaram o bolo que queriam, o confeiteiro “disse imediatamente que não iria fazê-lo para um casal homossexual”.

O acórdão da Suprema Corte foi um dos mais aguardados neste ano, escreveu “The Washington Post”. Agitadores homossexuais se burlavam da religião e das Sagradas Escrituras do lado externo do prédio da Corte.

O tema está no cerne do conflito cultural que opõe a crescente direita religiosa aos agressivos grupos LGBT muito promovidos e financiados pela anterior administração Obama e poderosos grupos econômicos.

O grande jornal do establishment esquerdista de Washington tentou comemorar que “a ideologia patriarcal, no coração do cristianismo conservador é cada vez mais rejeitada pela sociedade”. E torce por alguma reviravolta processual ainda que ideologicamente manipulada.

Mas, o imenso setor são do país está com as boas atitudes como a do padeiro de Lakewood.





segunda-feira, 11 de junho de 2018

O grande retorno da França ao catolicismo histórico

Manifestação contra o 'casamento' homossexual em Paris
Manifestação contra o 'casamento' homossexual em Paris
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Na secular guerra cultural e religiosa contra a Igreja Católica desencadeada pela Revolução protestante, prosseguida pela Revolução Francesa, laica e igualitária, continuada por sua vez pela atual revolução marxista e o comuno-anarquismo gramsciano e sorboniano, está se definindo uma inversão de tendências.

A surpreendente rotação foi sagazmente analisada pelo escritor especialista no catolicismo Henri Tincq numa entrevista para a revista “Le Point”.

Henri Tincq é um dos grandes bardos do “catolicismo progressista” protocomunista que mina a prática católica na França desde o Concílio Vaticano II.

“O Grande Medo dos Católicos da França”
é impressionante pranto
pela agonia da revolução progressista
Também é grande especialista em outras religiões, escreve em Slate e em “Le Monde des Religions”, e acaba de publicar o livro “La Grande Peur des Catholiques de France” (“O Grande Medo dos Católicos da França”), Grasset, Paris, 208 págs.

Nele lança um gemido de alerta contra “a tentação conservadora, leia-se reacionária” que vê se espalhar na Igreja Católica francesa.

Essa é tão grande que Tincq afirma “não mais reconhecer minha igreja” progressista, socialista, sindicalista e revolucionária.

Pois ele foi criado “nos famosos movimentos da Ação Católica” e se sente parte de uma “geração herdeira das grandes reformas do Concílio Vaticano II (1962-1965)”.

Dita geração se abriu ao mundo moderno no que tem de pior, iniciou o ‘diálogo’ convergente com falsas crenças e ateus.

Mosteiros tradicionais atraem muitas vocações, mas os seminários 'modernos' fecham. Foto abadia de Lagrasse.
Mosteiros tradicionais atraem muitas vocações, mas os seminários 'modernos' fecham.
Foto abadia de Lagrasse.
Esse catolicismo revolucionário gerou na França camadas de políticos e sindicalistas de esquerda. Seu equivalente brasileiro se articulou no PT e na CNBB.

Mas, lamenta Tincq, a França hoje se move em sentido inverso: os jovens abandonam o mundo laicista democratizado e vão procurar na Igreja valores e modelos seguros e visíveis: a fé.

Por certo, não vão para a ‘Igreja progressista’ e procuram a Igreja Católica em sua autenticidade, dita “conservadora” e/ou “tradicionalista”.

Tincq conta em seus primeiros anos os jovens abandonavam a Igreja para se entregar ao mundo. Hoje, abandonam o mundo e ingressam nessa Igreja Católica de sempre abandonada pelas gerações de pais e avós.


Manifestação  no Trocadero, Paris, por candidato conservador.
Ele observa que 48% dos eleitores franceses votou pelo candidato direitista François Fillon, fato que o deixou “gelado”.

O moderno “catolicismo praticante” engrossa as manifestações contra o aborto e o “casamento homossexual”.

Mas, diz ele, “aquilo que mais me surpreende e entristece é que a Conferência Episcopal Francesa não foi capaz de convocar os fiéis para formar uma barragem” contra a ‘extrema direita’.

Nas décadas anteriores, o episcopado dava orientações conformes à leitura revolucionária do Evangelho em nome do Vaticano II, disse Tincq a “Le Point”.

Presidenciais francesas foram mais uma ocasião para a explosão da 'virada conservadora' da França
Presidenciais francesas foram mais uma ocasião
para a explosão da 'virada conservadora' da França
Mas, a realidade francesa mudou: onda de atentados terroristas, ingresso assustador de migrantes, perda da identidade cultural e religiosa, soberania nacional ameaçada pela União Europeia, medo do Islã, recusa da hegemonia cultural e moral da esquerda iniciada em 1968, medo do laicismo militante e agressivo contra os símbolos católicos.

Multiplicam-se as vocações monásticas tradicionais, cresce o movimento de retorno às liturgias ‘extraordinárias’ e há uma retomada das devoções tradicionais que fogem da modernice que esterilizou seminários e ordens religiosas.

E isso acontece enquanto os “católicos de esquerda quase desapareceram”. Suas últimas e escassas atividades são “eclipsadas pelas manifestações multitudinárias tipo ‘Manif pour tous’, pelos blogs e as publicações de católicos ‘identitários’”, pranteia o militante do velho catolicismo revolucionário.

Tincq sublinha que “o catolicismo audaz e progressista do Papa” está cada vez mais “cortado dessa parte da Igreja”. Mais da metade do clero francês criado como Tincq hoje têm mais de 75 anos e seus seminários ou fecharam ou estão vazios.

O retorno do anel que teria sido de Santa Joana de Arco mobilizou as saudades do passado na França.
O retorno do anel que teria sido de Santa Joana de Arco
mobilizou as saudades do passado na França.
Tal vez, prossegue o escritor, o Papa Francisco se tenha tornado mais popular fora do mundo católico do que dentro de sua própria Igreja.

A causa?: seus apelos à tolerância face aos homossexuais, aos divorciados, às mulheres que abortam, suas diatribes contra o capitalismo financeiro devastador, seus apelos irrealistas pela acolhida dos imigrantes islâmicos.

Muitos católicos lhe reprocham desvalorizar a missão do Papa, de rifar a doutrina, de ser ‘angélico’ diante da imigração islâmica, de trair a alma cristã da Europa.

Até cardeais como Raymond Burke, Robert Sarah ou Gerhard Müller militam pelo fim dessa “desordem” do pontificado e anseiam o retorno a uma Igreja disciplinada e regida por leis, deplora o esquerdista desanimado Tincq.

Missa de réquiem pelo rei guilhotinado Luis XVI, lota igreja de Saint-Eugène-Sainte-Cécile em Paris, todos os anos
Missa de réquiem pelo rei guilhotinado Luis XVI,
lota igreja de Saint-Eugène-Sainte-Cécile
em Paris, todos os anos
Ele chega a temer que o atual pontificado “acabe virando um fogo de palha, um parêntese na história da Igreja moderna. Os católicos não escondem mais que estão aguardando que vire a página”.

Espalha-se, acrescenta, “que este Papa liberal estaria pronto a abandonar, ou pelo menos cessar de defender com energia os princípios da doutrina e da disciplina católica”.

Por fim, Tincq clama no deserto: “onde estão as grandes vozes episcopais, os intelectuais católicos de renome [obviamente progressistas ou subversivos] que, outrora davam o tom na mídia e no cenário político?”.

Mas, ele sabe que não há mais e se tiver não tem eco.

Ele fez alusão a ativistas revolucionários franceses que estiveram na moda. Equivalentes europeus de bispos “vermelhos” como dom Helder Câmara, D. Pedro Casaldáliga ou o Cardeal Paulo Evaristo Arns, e de ativistas leigos como os que fundaram e dirigiram o PT e que hoje até estão no cárcere ou estão sendo processados por corrupção.



Missa de réquiem por Luís XVI, em Paris, 2017





Mosteiros tradicionais ressurgem na França. Mas seminários "progressistas" fecham


quarta-feira, 30 de maio de 2018

Origem, história e signficado da festa de Corpus Christi

No século XIII nasceu um Movimento Eucarístico que deu origem à Exposição e Bênção do Santíssimo Sacramento





Na Idade Média, os homens tinham uma devoção enlevada pela pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Para libertar seu túmulo dos pagãos muçulmanos fizeram cruzadas.

A história da festa de Corpus Christi tem origem nessa devoção.

Pelo fim do século XIII, na Abadia de Cornillon, em Lieja, Bélgica, nasceu um Movimento Eucarístico que deu origem à Exposição e Bênção do Santíssimo Sacramento, o uso dos sinos na elevação na Missa e a própria festa do Corpus Christi.

A abadessa Santa Juliana de Mont Cornillon ardia em desejos de que o Santíssimo Sacramento tivesse uma festa especial.

Ela teve uma visão em que a Igreja aparecia como uma lua cheia com uma mancha negra, sinal da ausência da solenidade.

Santa Juliana comunicou a visão a vários preladosSanta Juliana comunicou a visão a vários prelados. Entre estes estava o futuro Papa Urbano IV.

O bispo Roberto de Lieja, em 1246, instituiu a celebração na diocese. O exemplo se estendeu especialmente por toda a atual Alemanha.

Em 1263, o Papa Urbano IV estava em Orvieto, ao norte de Roma. Numa localidade vizinha, o padre originário da Boemia Pedro de Praga celebrava Missa na Igreja de Santa Cristina em Bolsena.

Um dia, em plena Missa, ao partir a Sagrada Forma, saiu dEla sangue que empapou o corporal.Ele tinha sérias dúvidas sobre a realidade da presença de Cristo na Hóstia consagrada.

Assim que ele completou as palavras da Consagração, o Sangue começou a escorrer da Hóstia Consagrada e correr por suas mãos abaixo, sobre o altar e sobre o linho (corporal). Vendo isto, ele interrompeu a Missa e viajou depressa a Orvieto onde o Papa Urbano IV residia nesse momento.

Ao ouvir a história dele, o Papa o perdoou por ter dúvidas e enviou os representantes a Bolsena, para investigarem. Paroquianos e outras testemunhas confirmaram a história do padre; e a Hóstia e os linhos manchados estavam lá para todos verem.

Este se conserva até hoje na basílica de Orvieto ― construída, aliás, para guardá-lo ― onde pode ser visto e venerado pelos fiéis.

O Santo Padre movido pelo prodígio, e a petição de vários bispos, estendeu a festa do Corpus Christi a toda a Igreja por meio da bula "Transiturus" de 8 setembro do mesmo ano de 1264.

Urbano IV encarregou o ofício e a liturgia das horas a São Boaventura e a Santo Tomás de Aquino.

o corporal ensanguentado está na basílica de Orvieto onde pode é visto e venerado pelos fiéis
Altar com o corporal de Bolsena, na basílica de Orvieto, Itália
Mas quando o Pontífice começou a ler em voz alta o ofício feito por Santo Tomás, São Boaventura, despretensiosamente foi rasgando o seu em pedaços.

As procissões de Corpus Christi se fizeram comuns a partir do século XIV.

Quando os protestantes conceberam a estultice de negar a Presencia Real de Nosso Senhor Jesus Cristo na Hóstia consagrada, o Concílio de Trento reforçou o costume.

O Concilio de Trento dissipou os ignaros erros contestatários, determinado que fosse celebrado este excelso e venerável sacramento com singular veneração e solenidade; e reverente e honorificamente seja levado em procissão pelas ruas e lugares públicos.

A contestação reapareceu no século XX, sob rótulo de progressismo, particularmente desconhecedor da Igreja e odiento de tudo quanto o Espírito Santo inspirou à Esposa Mística de Cristo, em especial, durante a Idade Média.

O Concílio de Trento reforçou a devoção eucarística ao Corpo de Cristo, Corpus Christi




segunda-feira, 14 de maio de 2018

Centenas de muçulmanos recebem o batismo católico na França

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Mais de 4.258 adultos – 40% a mais que no ano passado – receberam o batismo na Igreja Católica na França na vigília da Páscoa.

Entre esses havia 280 pessoas que renunciaram ao islamismo, um número que está crescendo nos últimos anos, segundo a Conferência Episcopal da França (CEF) citada pelo “Times of Israel”.

Na vigília da Páscoa se celebra a Missa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo em que tradicionalmente é dado o batismo aos catecúmenos.

Perto de 60% dos adultos tinha entre 18 e 35 anos. 53% e provinha de famílias de tradição cristã. 22% até a conversão se diziam “sem religião”, ou ateus. O número dessas conversões aumentou 35% nos últimos dez anos.

Os dados foram comunicados à agência France Press pelo Pe. Vincent Feroldi, diretor do Serviço Nacional para as Relações com os Muçulmanos da CEF, quem destacou que “até 2016, o número desses casos estava sempre embaixo de 200”.

O responsável destacou que os migrantes muçulmanos chegam de países onde não há liberdade religiosa e que na França dão o passo e se convertem por um “encontro pessoal com Jesus Cristo”.

A renúncia do Islã é problemática, pois o Corão a condena como apostasia intolerável merecedora da morte aplicável imediatamente e sem julgamento pelo primeiro que puder.

Muitos pedem que o batismo seja feito “com certa discrição” e fora das festas da Páscoa para não serem vistos. Por isso o número anual total de batismos de ex-maometanos é assaz superior.


segunda-feira, 7 de maio de 2018

Em São Paulo,
um elo de ouro entre Lourdes e o Brasil

Imagem de Na. Sra. de Lourdes
venerada na Igreja do Sagrado Coração Jesus em São Paulo
[Foto Paulo Roberto Campos] 
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Nossa Senhora de Lourdes desejou ser conhecida enquanto sumamente benfazeja.

Assim, sugiro pensarmos numa grande graça para pedir a Ela.

Devemos ser ousados em nossas orações, pedir coisas arrojadas, não coisas insensatas, e pedir com muita insistência.

Por exemplo, pedir uma graça que diga respeito à santificação, e depois algo que se queira de temporal, mas que Ela nos conceda se for para o bem de nossas almas.

Isso nos leva a refletir no panorama de nossa vida espiritual, a ter uma visão de nós mesmos e de nossas atividades.

Na igreja do Sagrado Coração de Jesus [na capital paulista] há uma gruta com uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes.

Não é uma imagem qualquer, é a própria imagem que era venerada na Basílica de Lourdes, na França, antes da imagem atual, segundo documento guardado na igreja.

Portanto, essa imagem constitui um elo entre Lourdes e o Brasil.

Nunca devemos nos esquecer de que no Evangelho as doenças do corpo são tratadas como sendo símbolos de doenças da alma.

Assim como alguns sofrem paralisia do corpo, outros sofrem paralisia de alma; alguns sofrem de cegueira no corpo, outros na alma; surdez, mudez e outras enfermidades.

Se tivermos defeitos de alma que desejamos corrigir, seria o momento adequado de os levarmos àquela gruta de Nossa Senhora de Lourdes e pedir a Ela que nos cure.

Cópia da autêntica da imagem. [Foto Paulo Roberto Campos]
Cópia da autêntica da imagem.
[Foto Paulo Roberto Campos]
Isso tem muita razão de ser, pois se a Virgem Santíssima deseja tanto curar corpos perecíveis e mortais, quanto mais desejará curar almas imperecíveis e imortais.

Nosso Senhor Jesus Cristo não veio à Terra para salvar corpos, veio para salvar almas.

Nossos pedidos não podem deixar de ser muito gratos a Ela.

Pedidos feitos para nós ou por outrem; por alguém a quem desejamos fazer um bem; por uma alma cujas dificuldades nos amedrontam; por um amigo cujas aflições, tentações ou perigos constituem para nós uma fonte de preocupação.


(Autor: Plinio Corrêa de Oliveira, excerto de conferência em 10 de fevereiro de 1965, sem sua revisão)


segunda-feira, 30 de abril de 2018

Em mais de 200 cidades,
argentinos dizem NÃO ao aborto

Marcha pela vida e contra o aborto, Buenos Aires.
Marcha pela vida e contra o aborto, Buenos Aires.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





Perto de dois milhões de argentinos em pelo menos 204 cidades das 24 províncias (estados) manifestaram contra os projetos de despenalização do aborto, durante o mês de março.

Em Buenos Aires, o amplo espaço reservado para a manifestação nos parques de Palermo e avenidas que o atravessam foi desbordado pela multidão especialmente na famosa e imensa Avenida del Libertador, informou “La Nación”.

As mobilizações nas capitais das províncias tiveram uma adesão popular até maior proporcionalmente.

Em Córdoba, por exemplo, compareceram mais de 60.000 pessoas e em Santa Fé, por volta de 40.000, segundo o “Clarin”.

O site Infobae fez uma extensa lista dos locais de onde se reuniram os manifestantes que inclui as maiores cidades desde o extremo norte do país nas fronteiras do Brasil, Paraguai e Bolívia até Ushuaia na Terra do Fogo.

As marchas foram convocadas por diversos grupos religiosos, médicos e organizações pela vida.

quarta-feira, 28 de março de 2018

A Santa Ceia: o dom infinito da Eucaristia e o drama

Última Ceia, Instituição da Eucaristia, Giusto da Guanto, c. 1474.
Última Ceia, Instituição da Eucaristia, Giusto da Guanto, c. 1474.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Na Santa Ceia, Jesus Cristo instituiu o Santo Sacrifício da Missa.

Para os judeus era a festividade da Páscoa.

Quer dizer da saída do Egito, da libertação da escravidão.

O inicio do caminho para a Terra Prometida.

No centro da refeição estava o cordeiro pascal.

Em lembrança do cordeiro que Moisés mandou sacrificar e comer antes de partir.

Em prefigura do Cordeiro de Deus que viria remir os homens.

E eis que o Cordeiro de Deus estava ai oferecendo Seu próprio Corpo!

Mas Ele estava profundamente triste.

Ele sabia que um dos Apóstolos O tinha traído.

Jesus descobriu a João o sinal do traidor:

o primeiro a pôr a mão no pão consagrado: Judas Iscariotes!

sábado, 24 de março de 2018

Domingo de Ramos, ontem e hoje

Jesus entrando em Jerusalém, no Domingo de Ramos.
Jesus entrando em Jerusalém, no Domingo de Ramos.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs










Te aplaudiam, meu Senhor! Te aplaudimos também nós…

Te reconheciam rei de Israel, Hosana Filho de Davi!

Te reconhecemos também nós…

Estendiam suas capas e tapetes no chão em Teu passo.

Fizemos o mesmo também nós...

Agitavam ramos de oliveira e palmas em sinal de alegria!

Nos Domingos de Ramos, agitamos também nós...

segunda-feira, 19 de março de 2018

Estampa do “Senhor dos Milagres” intacta após 10 dias sob a água

Senhor dos Milagres, quadro original levado em procissão em Lima.
Senhor dos Milagres, quadro original levado em procissão em Lima.






No dia 27 de março deste ano, em consequência das chuvas torrenciais que caíram sobre o Peru, o Rio Piura transbordou e inundou parte da cidade do mesmo nome. Entre os edifícios afetados, estava a agência local do Banco de Crédito do Peru (BCP).

A água atingiu 50 cm de altura no andar térreo, inundando o seu porão.

Nele se encontrava emoldurada uma estampa em cartão do Senhor dos Milagres, piedosa invocação muito venerada no país andino, que ficou durante dez dias sob a água e o lodo, e foi depois encontrada intacta.

Carlos Miano Plaza, gerente regional do BCP em Piura, afirma que o porão do banco se encontra a mais de quatro metros sob o andar térreo, pelo que ficou totalmente inundado de água e de lodo do rio.

Atesta ele que, durante cinco dias, procuraram evacuar a água das áreas inundadas.

segunda-feira, 5 de março de 2018

Milagre eucarístico? 40 hóstias intactas na igreja destruída por terremoto há ano e meio

Ruínas de Arquata del Tronto depois do terremoto, foto de 2 novembro 2016
Ruínas de Arquata del Tronto depois do terremoto, foto de 2 novembro 2016
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






A igreja de Santa Maria Assunta, na cidade de Arquata, Itália, foi destruída pelo terremoto de 2016.

Tudo desabou e os restos, inclusive obras de arte, foram dados por perdidos, conta o jornal italiano “Avvenire”.

Um ano e meio depois da calamidade, uma equipe de carabinieri, gendarmaria italiana, especializada em bens culturais, comunicou que havia resgatado o tabernáculo e o conservava em custódia e que queria restitui-lo à diocese.

Aconteceu então a surpresa que evocou o milagre eucarístico de Siena de 1730.

Dentro do tabernáculo do século XVI, encontraram a píxide bem fechada, embora derrubada, e quarenta hóstias perfeitamente conservadas dentro dela.

Tinham passado um ano e meio no abandono, mas estavam pasmosamente íntegras, sem nenhum sinal de mofo ou alteração de espécie alguma.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

O manto protetor de Nossa Senhora salvou a imagem do vandalismo sacrílego

Manto protege Nossa Senhora das Graças incendiada em Gravatá - PE
Manto protege Nossa Senhora das Graças
incendiada em Gravatá - PE

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Desconhecidos atearam fogo sacrilegamente numa imagem de Nossa Senhora das Graças, na Serra das Russas, no Agreste de Pernambuco, próximo a ponte Cascavel, informou o “Diário do Commercio” de Pernambuco.

O atentado foi intencional de acordo com a Seção de Bombeiros de Gravatá.

Pneus foram colocados na parte de trás da imagem e incendiados liberando muito calor, chamas e fuligem.

A imagem tinha apenas dois anos no local e não havia câmeras de segurança.

O fogo dos pneus se concentrou no manto de Nossa Senhora. No entanto, não houve danos relevantes, pois apenas o manto, foi gravemente atingido pelo fogo.

A parte da frente da imagem de Nossa Senhora das Graças não ficou nem mesmo manchada. O local recebeu visita de católicos indignados com a profanação.

Pessoas que passavam pela estrada avistaram o fogo desde seus veículos e na hora informaram à Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Gravatá.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

O gênio artístico da Itália: riqueza e diversidade


Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






O espírito italiano comporta duas facetas:

Uma consiste em imaginar um mundo como poderia ser. É o mundo dos sonhos.

Outra faceta se volta para a realidade concreta, dentro da qual os italianos ingressam com muito senso.

O senso da arte e o senso do comércio formam na Bella Peninsola uma composição em que não se sabe bem qual é o vencedor.

Depois de ter dado uma tacada na indústria, o peninsular cantarola.

Depois examina se o bolso está cheio e se empenha em novos negócios!

Há um duplo movimento de vivacidade, que não é o velho estilo imperial romano.

Analisando a canção e a arte italiana, elas manifestam uma forma muito particular de leveza.

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Nossa Senhora Aparecida sai indene da trituração:
sinal do que está vindo?

Assim foi encontrada a imagem no lixão de Patos de Minas praticamente intacta, novembro 2017
Assim foi encontrada a imagem no lixão de Patos de Minas
praticamente intacta, novembro 2017
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Em Patos de Minas, a 400 km de Belo Horizonte, uma imagem de gesso de Nossa Senhora Aparecida de cerca de 60 centímetros foi encontrada intacta no Aterro Sanitário após resistir ao truculento processo de compactação de lixo.

Com grande surpresa os funcionários encontraram intacta a imagem da Santa Mãe de Deus, apenas suja. Os primeiros a localizar e imagem de Nossa Senhora foram o supervisor do local Amarildo Ribeiro Silva e o operador de roçadeira Osmar Pio. O fato se deu no dia 7 de novembro (2017).

Os funcionários acharam a imagem junto a destroços que passaram pelo processo de compactação no caminhão de coleta de lixo.

O lixo é todo desfeito e esmagado já nos próprios caminhões, de forma que o que chega ao aterro sanitário é uma grande mistura para a fase final de esmagamento.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

O Beija-Flor: jóia criada por Deus para nos incutir o desejo do Céu

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






“Certa vez, no terracinho de uma fazenda em Amparo, de repente um beija-flor parou no ar e começou a sugar o néctar das flores de uma trepadeira. Ele osculou flor por flor.

Com seu voo semelhante ao trajeto de uma seta, ostentando um biquinho pontudo, o beija-flor descia e parava.

Tão inflexível e retilíneo no voar, ficava trêmulo na hora de sugar.

Começava com uma série de pequenos movimentos, esvoaçando em torno da flor e haurindo dela o mel que conseguia.

No seu bater de asas, nenhuma das vibrações repetia as outras. Dir-se-ia um instrumento musical tocando músicas sempre novas, uma composição nova que caracterizava o estilo beija-flor.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Na segunda aparição Nossa Senhora deu a Medalha Milagrosa

Rue du Bac, Capela das Aparições
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs










Quatro meses depois da primeira aparição, aconteceu a segunda. Santa Catarina narrou-a assim:

“No dia 27 de novembro de 1830.... vi a Santíssima Virgem, de estatura média, estava de pé, trajando um vestido de seda branco-aurora feito à maneira que se chama à la Vierge, afogado, mangas lisas, com um véu branco que Lhe cobria a cabeça e descia de cada lado até em baixo.

“Sob o véu, vi os cabelos lisos repartidos ao meio e por cima uma renda de mais ou menos três centímetros de altura, sem franzido, isto é, apoiada ligeiramente sobre os cabelos.

“O rosto bastante descoberto, os pés apoiados sobre meia esfera, tendo nas mãos uma esfera de ouro, que representava o Globo.

“Ela tinha as mãos elevadas à altura do estômago de uma maneira muito natural, e os olhos elevados para o Céu... Aqui seu rosto era magnificamente belo. Eu não saberia descrevê-lo...

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Medalha Milagrosa: em 1830 Nossa Senhora deu um sinal eficaz de sua ajuda

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






Santa Catarina Labouré, no dia 21 de abril de 1830, transpôs os umbrais do noviciado das Filhas da Caridade, na Rue du Bac, em Paris.

Ela chegou, sem sabé-lo, conduzida pela mão de São Vicente de Paula.

Primeira aparição: Nossa Senhora mostra que o mundo caminha para um desastre

Na noite anterior ao dia da festa de São Vicente, 19 de julho, Catarina ouviu uma voz que a acordava. Assim contou ela:

“Enfim, às onze e meia da noite, ouvi que me chamavam pelo nome: ‘Minha irmã! Minha irmã!’ Acordando, corro a cortina e vejo um menino de quatro a cinco anos vestido de branco que me diz: ‘Vinde à Capela; a Santíssima Virgem vos espera’.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Califórnia: muitas imagens católicas
ilesas nos incêndios florestais

Jesus entre as cinzas da Cardinal Newman High School, Napa.
Jesus entre as cinzas da Cardinal Newman High School, Napa.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






No mês de outubro (2017) devastadores incêndios florestais atingiram a região vinícola da Califórnia.

Uma parte importante das escolas católicas Cardinal Newman High School e Saint Rose Elementary foi consumida pelas chamas, segundo escreveu o bispo da diocese de Santa Rosa Mons. Robert F. Vasa, em artigo para o “National Catholic Register”.

Num só dia houve 20 mil focos de incêndio, que arrasaram 170.000 acres de terra, destruíram cerca de 3.500 casas ou estruturas edilícias e mataram 41 pessoas.

No momento da redação deste post mais de 400 pessoas ainda estavam desaparecidas e 20.000 haviam sido evacuadas.