domingo, 24 de outubro de 2021

Dons portentosos de Frei Galvão

Frei Galvão
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








O Santo Frei Galvão tinha conhecimento até de certos fatos passados à distância. Episódio engraçado ocorreu com um negro de Itu que, estando doente, fizera a promessa de, uma vez curado, levar uma vara de frangos a Frei Galvão.

Desejando cumprir a promessa, amarrou numa vara doze frangos e se pôs a caminho de onde estava Frei Galvão.

Aconteceu que, no caminho, três dos frangos escaparam. Dois foram facilmente recuperados pelo homem, mas, por mais que este se esforçasse, não conseguia agarrar o terceiro, que era carijó. No afã de o prender, gritou:

— Pare aí, frango do diabo!

Na mesma hora o frango se atrapalhou na fuga, e foi fácil recuperá-lo.

Na hora de oferecer os frangos ao Santo, este os ia recebendo e agradecia um a um. Mas, quando chegou a vez do carijó, Frei Galvão disse que não o aceitava.

Ante o espanto do homem, explicou:

— Este, já o deste ao diabo.

O negro, confuso, levou de volta o carijó, e que este por certo morreu de velho, porque ninguém quereria se alimentar com carne que Frei Galvão recusara por ter sido entregue ao demônio.

terça-feira, 19 de outubro de 2021

Rosário salva pescadores portugueses

"A última onda", Emilio Ocón y Rivas, detalhe
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs





O episódio que reproduzimos a continuação aconteceu há por volta de 10 anos.

Porém, situações análogas podem se repetir, e aliás se repetem mesmo, em circunstâncias diversas e deveras cruciantes em todos os momentos da vida.

Por isso republicamos o fato. Ele foi assim recolhido em seu momento:

José Manuel Coentrão, mestre da embarcação ‘Virgem do Sameiro’, um dos protagonistas do naufrágio que emocionou todo o país e muito em particular as Caxinas, zona entre Vila do Conde e Póvoa de Varzim, falou ontem, pela primeira vez, sobre o sucedido, um relato pleno de emoção e coragem.

Foram 60 horas à deriva no alto mar, muita fé, muitas preces e um desespero que parecia não ter fim.

«Passa tudo pela cabeça. A família, a mulher, o filho, os amigos», recordou o pescador, de lágrimas nos olhos, ainda visivelmente consternado pelos acontecimentos ainda tão recentes e frescos na memória.

O mestre foi o primeiro a fazer soar o alarme:

«Tinha mandado os homens descansar e, não sei como, apercebi-me de que havia água a entrar no barco. Foi tudo muito rápido.

Enviei o primeiro very light às cinco horas da manhã, mas ninguém viu. Mais tarde atirei outro, já de dia, mas uma embarcação que passava ao longe também não se apercebeu», explicou José Manuel Coentrão, que sublinhou o recurso às preces e à fé como recurso para combater o desespero:

«Havia um terço na balsa, que é do pescador que ainda está no hospital. Rezámos muito a Nossa Senhora de Fátima. Eu rezava em voz alta e os outros oravam em silêncio. Não tenho dúvidas de que foi um milagre.»



terça-feira, 12 de outubro de 2021

Fogo para em imagem da Virgem de Guadalupe

“Fiquei atordoado, a Virgem não foi tocada pelas chamas” disse o bombeiro
“Fiquei atordoado, a Virgem não foi tocada pelas chamas” disse o bombeiro
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Em agosto de 2021, na localidade de La Florida, estado de Sinaloa (México) quando os bombeiros chegaram até a grande árvore que pegou fogo, ela já havia sido consumida pelo incêndio, informou “ReporterosAsociadosSNoticias” do México.

Porém, algo era difícil de entender: uma parte do tronco que deveria ter ardido estava ilesa.

A surpresa foi grande quando descobriram que nela estava pintada a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe. As chamas não a alcançaram e as brasas morriam perto dela.

A imagem gravada na casca da árvore estava intacta
A imagem gravada na casca da árvore estava intacta
A imagem gravada na casca da árvore estava intacta, como se nada tivesse acontecido.

“Fiquei estupefato”, disse o bombeiro José Manuel Rivera Valenzuela acompanhado do bombeiro Nicolás Espinoza, da dotação de Los Mochis. “Ficamos ali, olhando um pouco para ela antes de apagar o fogo”.

A pintura da Virgem de Guadalupe ficou ali gravada, intacta.



“Fiquei atordoado, a Virgem não foi tocada pelas chamas” disse o bombeiro ante evento milagroso




terça-feira, 5 de outubro de 2021

Voltaram as procissões na Espanha com milhares de fiéis

Nossa Senhora dos Remédios, padroeira dos Santos Mártires no reinício do culto público
Nossa Senhora dos Remédios, padroeira dos Santos Mártires
no reinício do culto público
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Treze procissões à catedral de Málaga (Espanha), de tipo mais simples denominadas ‘transferências’, no domingo 19 de setembro (2021) puseram fim à interdição eclesiástica aos multitudinários atos públicos de devoção que caracterizam a Espanha.

Partiu em primeira a Virgem da Vitória, da Catedral para o seu santuário, na noite de sábado 18 depois de um ano e meio de pandemia sem procissões nas ruas.

Sairam depois as irmandades de treze Cristos e Virgens em direção a Sé, começando de madrugada, acompanhadas por milhares de fiéis.

O povo não suportava o deserto de cultos na via pública até que o bispado revogou o decreto que os proibia, segundo informou o jornal “Diario Sur” próximo aos meios eclesiásticos.

As condições sanitárias continuam ainda impostas, como o uso da máscara, mas não foram empecilho para os milhares de pessoas que participaram desde muito cedo.

Também o bispado proibiu o uso de muitos símbolos e manifestações de devoção popular.

'Jesús Cautivo', conhecido como 'Senhor de Málaga' no andor na catedral
'Jesús Cautivo', conhecido como 'Senhor de Málaga' no andor na catedral
Para “Diario Sur” as restrições e horários pouco atrativos fixados pelas autoridades fizeram lembrar um Domingo da Paixão.

Porém não faltaram os aplausos e os “vivas” em diversas ocasiões para as imagens mais veneradas como a Virgen del Rocío ou o Cristo da Misericórdia.

A polícia limitou o público nas ruas devido ao grande acúmulo de pessoas.

Pelas quatro da manhã já tinha pessoas aguardando a saída do Jesús Cautivo, dito o “Senhor de Málaga”, e foi uma das imagens mais aclamadas junto com a Virgen del Rocío, recebida com salva de foguetes.

Tal vez o momento mais emotivo se deu no epílogo já entrando a noite com a saída acompanhada por fiéis rezando o tempo todo o terço da imagem da Virgen de los Remedios, padroeira da freguesia de Santos Mártires, narrou “Diario Sur”.


terça-feira, 28 de setembro de 2021

São Miguel Arcanjo: modelo do perfeito cavaleiro e do perfeito contemplativo

São Miguel Arcanjo. Gérard David (1460 – 1523). Kunsthistorisches Museum, Viena
São Miguel Arcanjo. Gérard David (1460 – 1523).
Kunsthistorisches Museum, Viena
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






São Miguel é o chefe que comandou a luta contra o demônio e o precipitou no inferno.

Ele é o chefe dos Anjos da Guarda dos indivíduos e das instituições.

E é, ele mesmo, o Anjo da Guarda da mais alta das instituições, que é a Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

Ele tem, portanto, uma função tutelar derrubando no inferno os que se levantam contra Deus Nosso Senhor, de um lado.

E protegendo a Igreja e aos homens nesse vale de lágrimas que é a vida, de outro lado.

Essas duas missões se concatenam.

Deus quis servir-se dele como de seu escudo, contra o demônio.

Deus quer que ele seja o escudo dos homens contra o demônio; e o escudo da Santa Igreja Católica contra o demônio.

Mas um escudo que é gládio também. Ele não só defende, mas derrota e precipita no inferno.

É essa a dupla missão de São Miguel.

Por causa disso São Miguel era considerado na Idade Média, o primeiro dos cavaleiros.

O cavaleiro celeste, perfeitamente leal, puro como um anjo e vitorioso como o cavaleiro, que põe toda sua confiança em Deus, e põe toda sua confiança em Nossa Senhora.

Essa figura admirável de São Miguel é nosso aliado natural nas lutas, porque o bom católico quer exercer em nível humano, a tarefa de São Miguel Arcanjo.

Quer dizer, de defender a honra de Deus, de Nossa Senhora, da Igreja Católica, da Civilização Cristã.

Queda dos anjos rebeldes. Pieter Bruegel (1525 – 1569), Museums of Fine Arts of Belgium, Bruxelas, detalhe
Queda dos anjos rebeldes. Pieter Bruegel (1525 – 1569),
Museums of Fine Arts of Belgium, Bruxelas, detalhe
Num livro que ainda aguarda uma purificação de textos indevidamente acrescentados, encontramos trechos admiráveis relativos a São Miguel que devemos conferir com a doutrina da Igreja.

É o livro “Visões e Revelações Completas” atribuído à bem-aventurada Catarina Emmerich. Eis alguns trechos das visões:

“Novamente a igreja de São Pedro com sua grande cúpula. Sobre ela resplandecia o arcanjo São Miguel, vestido de cor vermelha, tendo uma grande bandeira de combate nas mãos.

“A terra era um imenso campo de batalha.

“Esses, [N.R.: na visão vestidos de branco] sobre os quais reluzia uma espada de fogo, parece que iam sucumbir.

“Nem todos sabiam por qual causa combatiam.

“A Igreja era de cor sangrenta como a roupa do arcanjo.

“Ouvi que me explicavam: terá um batismo de sangue. A Igreja vai ser purificada no sangue do martírio e da perseguição.

“Quanto mais se prolongava o combate, mais se apagava a viva cor vermelha da Igreja e se tornava mais transparente".

“O Anjo [São Miguel Arcanjo] desceu e se aproximou dos brancos. Vi-o diante de todos.

“Esses adquiriram grande coragem sem saber de onde lhes vinha.

“O anjo derrotou os inimigos, que fugiram em todas as direções. A espada de fogo que estava sobre os brancos desapareceu.

“Em meio ao combate aumentava o número dos brancos. Grupos de adversários passavam para eles.

“E numa ocasião, passaram em grande número.

“Sobre o campo de batalha havia, no espaço, legiões de santos que faziam sinais com as mãos, diferentes uns dos outros, porém animados do mesmo espírito”.


Por sua vez, o grande hagiógrafo D. Guéranger, nos ensina sobre a devoção contemplativa dos anjos:

“A Igreja considera São Miguel como o mediador de sua prece litúrgica.

“Ele se mantém entre a humanidade e a divindade. Deus que distribui, com uma ordem admirável, as hierarquias visíveis e invisíveis, emprega por opulência, para louvor de sua glória, o ministério desses espíritos celestes que contemplam sem cessar a face adorável do Pai, e que sabem, melhor do que os homens, adorar e contemplar a beleza de suas perfeições infinitas”.

Foi assim que ele apareceu em Fátima, para os pequenos pastores, com o cálice na mão apresentando ao Padre Eterno a oblação eucarística.

“O nome Mi – cha – El significa “quem como Deus?”

“Esse nome exprime por si só, em sua brevidade, o louvor mais completo, a adoração mais perfeita, o reconhecimento mais inteiro da transcendência divina e a confissão mais humilde do nada da criatura, modelo, portanto, de humildade”.

“Também a Igreja da terra convida os espíritos celestes a bendizer o Senhor e cantá-lo; a louvá-lo e bendize-lo sem cessar.

“Essa vocação contemplativa dos anjos é o modelo da nossa, como nos faz lembrar o belo prefácio do Sacramentário de São Leão.

“É verdadeiramente digno render-Vos graças a vós, que nos ensinais por vosso apóstolo que nossa vida é dirigida aos céus; que com benevolência quereis que nos transportemos em espírito ao lugar onde servem esses que veneramos, especialmente dirigirmo-nos para essas alturas na festa do bem-aventurado São Miguel Arcanjo”.

Aqui está um traço da devoção aos anjos que é preciso muito notar.

Os anjos são habitantes da Corte celeste.

E na Corte celeste eles vivem numa eterna contemplação, de quem vê Deus face a face nas festas que há no Céu.

Não são imagens, ou quimeras, mas verdadeiras festas em que Deus vai manifestando sucessivamente suas grandezas e eles aclamam com triunfos novos, que não terminam nunca dos nuncas.

O Céu é a pátria de nossa alma e é propriamente a ordem de coisas para a qual nós fomos criados.

São Miguel Arcanjo com coros angélicos. Guariento di Arpo (1310-1320 - 1368-1370)
São Miguel Arcanjo com coros angélicos. Guariento di Arpo (1310-1320 - 1368-1370)

Ele corresponde plenamente a todas as nossas aspirações de uma felicidade resultante da contemplação de Deus que é a perfeição absoluta de todas as coisas.

Algo disso pode passar para a terra. E nas épocas de verdadeira fé alguma coisa dessa felicidade filtra e é comunicada pelas almas piedosas como um tesouro comum para toda a Igreja.

Hoje em dia, não se tem a ideia da felicidade celeste nem se tem apetência do Céu.

As pessoas se chafurdam na pura apetência dos bens da terra.

Mas se pudessem compreender por um instante o que é uma consolação do Espírito Santo, então começavam a se desapegar dos bens da terra.

Então começavam a compreender como tudo é transitório, como há valores que tornam a terra um pouco de poeira.

Isso que falta os santos anjos podem nos obter, porque estão inundados dessa felicidade.

Há uma forma de fenômeno místico que é um concerto muito longínquo, de uma harmonia maravilhosa e extraterrena.

É o eterno cântico dos anjos que chega aos ouvidos dos bem-aventurados, para lhes dar apetência das coisas do Céu.

Em nossa época essa apetência falta fabulosamente.

Não poucas pessoas só se empolgam pelas coisas da terra, pelo dinheiro, a politicagem, o mundanismo, as trivialidades do noticiário, mas não se empolgam pelas coisas elevadas, e pelas coisas celestes.

Então, peçamos aos anjos que nos comuniquem o desejo das coisas celestes na festa deles.

E especialmente a São Miguel Arcanjo que nos faça imitadores dele, perfeitos cavaleiros de Nossa Senhora nessa terra.


(Fonte: excertos de palestra do prof. Plinio Corrêa de Oliveira, 28-9-1966, sem revisão do autor. Apud Pliniocorreadeoliveira.info)



Beato Palau viu São Miguel no comando de uma luta que dura até hoje:

“Na escuridão da noite, vi duas bandeiras frente a frente em uma planície, e dois exércitos que se misturaram em grande confusão.

“Lutava o arcanjo São Miguel lutou e seus anjos com ele.

“Satanás, Lúcifer, o dragão e seus anjos resistiam e se defendiam.

“Os grandes exércitos seguindo sua bandeira lutavam; e a confusão era grande por causa da escuridão da noite.

“Quando o sol apareceu, uma luz clara dividiu os acampamentos.

“E na claridade dessa luz eu vi, ao lado do príncipe que dirigia as batalhas, uma Jovem mais bonita do que a própria luz.

“Uma coroa de glória cingia suas têmporas, e seu cetro brilhava como estrelas.

“O príncipe que a defendia chamou-me e disse: ‘Vem, sacerdote do Deus Altíssimo. Chegou a hora de o inferno ser preso.

‘Venha comigo, e vamos acorrentar e prender todos aqueles príncipes rebeldes que, entronizados sobre os reis e poderosos do mundo, voltam as suas armas contra a Filha de Deus, a Santa Igreja, a sua Esposa’.

Eu me juntei a este príncipe e a batalha começou [Dn 10, 13-21; 12, 1; Ap 12, 7-17].

Eu vi sob os pés desta Virgem invulnerável e invencível todos os demônios se rendendo; e eles abandonavam os corpos que alguns possuíam, mas outros resistiam.

São Miguel e seus anjos lutaram. Satanás, Lúcifer e os mais altos príncipes do inferno lutaram contra São Miguel.

A batalha é muito acirrada e dura até hoje, e ainda durará [Ap 12].




terça-feira, 21 de setembro de 2021

Terremoto abala o México quando despenaliza o aborto

Luzes de origen magnético iluminaram assustadoramente o céu do México no dia da aprovação do aborto
Luzes de origem magnética iluminaram assustadoramente o céu do México
no dia da aprovação do aborto
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







A Suprema Corte de Justiça do México descriminalizou o aborto, decisão considerada histórica por juízes ideologizados e feministas. A decisão não torna legal a interrupção da gravidez, mas abre as portas para esse crime, informou “El Universal” do México.

Por sua vez, o ator Eduardo Verástegui expressou no Twitter sua insatisfação pagando o preço de ataques, mensagens críticas e memes pelas redes sociais, por parte de ativistas da morte.

Aconteceu que na noite do dia que foi aprovada a medida contra a vida, no país se registrou um terremoto e tempestades em vários estados e Verástegui atribuiu as calamidades à descriminalização do aborto.

·Hoje o México chora. Hoje o México treme. Chove incontrolavelmente em várias partes do país, e a terra range.

Católicos mexicanos rezam para que não seja aprovado o aborto
Católicos mexicanos rezam diante da Suprema Corte
para que não seja aprovado o aborto
“Hoje, milhares de bebês mexicanos foram condenados à morte. Hoje, o México chora; hoje, o México treme, por suas filhas e filhos que não nascerão”, postou numa mensagem.

Em outra mensagem, Verástegui considera que os bebês no México são condenados à morte por causa do Ministro da Justiça e que este governo deixa um legado sangrento.

“Milhares de bebês mexicanos foram condenados à morte. Porque ao descriminalizar o aborto em todo o México, a mensagem dos irresponsáveis ministros da Justiça é: ‘Vá em frente, você pode matar seus bebês agora!’ A este governo, o povo cobrará caro por este legado sangrento”.

Embora alguns internautas concordassem com sua opinião, muitos outros criticaram que o ator descreveu os fenômenos naturais como uma punição para a descriminalização do aborto; os memes sobre isso foram imediatos.

A suprema corte aprovou por unanimidade a anulação de vários artigos de uma lei no estado de Coahuila, no norte do país, onde o aborto é considerado crime e tanto as mulheres quanto as pessoas que poderiam ajudá-las são criminalizadas.

A decisão do tribunal afetará imediatamente aquele estado.

Mas estabelece um importante “critério obrigatório para todos os juízes do país” que devem atuar no mesmo sentido se tiverem que decidir sobre um caso de aborto, disse o presidente do o Tribunal, Arturo Zaldívar.

“A partir de agora não será possível, sem violar os critérios do Tribunal e da Constituição, processar qualquer mulher que faça um aborto nos casos que este tribunal considerou válidos”, acrescentou Zaldívar.

A descriminalização afetará a interrupção da gravidez em até 12 semanas, período em que o aborto é permitido nos quatro estados em que essa prática é legal: Cidade do México, Oaxaca, Veracruz e Hidalgo.

Nos restantes 28 estados, ainda é penalizado, exceto em caso de estupro, e algumas regiões também permitem quando a saúde da mãe está em perigo.


Terremoto abala o México no dia que o aborto foi liberado. Padre rezava Ave-Maria no exato momento



Terremoto e luzes no dia da legalização do aborto!!




terça-feira, 14 de setembro de 2021

O furacão Ida não pode contra imagens de Nossa Senhora

O furacão Ida nada pode. Entre as árvores caidas, em Grayville, Louisiana, 2021-08-29
O furacão Ida nada pode.
Entre as árvores caídas,
em Garyville, Louisiana, 2021-08-29
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







É época de furacões no Golfo do México onde ainda se choram os danos provocados pelo tufão Katrina.

Neste ano [2021] o dia 29 de agosto o furacão Ida atingiu em cheio a Louisiana, estado do sul dos EUA.

Os danos foram assustadores, mas a igreja católica de São Huberto, na cidade de Garyville publicou a foto de uma imagem de Nossa Senhora das Graças que ficou intacta após a passagem da furiosa ventania, reproduzida por ACI Digital.

O furacão Ida foi incluído na categoria 4 [máximo é 5], deixou mais de um milhão de pessoas sem energia elétrica na área metropolitana de Nova Orleans e causou a morte de duas pessoas.

O chefe de operações da empresa de serviços públicos Entergy, Rod West, afirmou que “foi um evento catastrófico”.

A vegetação foi jogada com fúria, mas a imagem do Coração de Maria ficou intacta
A vegetação foi jogada com fúria,
mas a imagem do Coração de Maria ficou intacta
O governador John Bel Edwards disse à rede NBC que a maior preocupação é de “buscas e resgates de pessoas em todo o sudeste da Louisiana”, uma das áreas mais afetadas.

As equipes de resgate se deslocaram em barcos e veículos todo-o-terreno para ajudar as comunidades que estão incomunicáveis.

Porém, em meio à força de devastação do furacão, a igreja de São Huberto difundiu a foto de uma imagem de Nossa Senhora das Graças que permaneceu de pé e sem danos enquanto tudo caia em volta e se desfazia em cacos.

“Em meio ao dano das árvores, Nossa Senhora se manteve firme protegendo nosso povo de Garyville.

“Nem um galho a tocou enquanto caíam ao seu redor. Obrigado, Mãe Maria, por interceder por nós”, diz o texto publicado pela igreja no dia seguinte da calamidade.

Como a foto viralizou nas redes, muitos fiéis acrescentaram outras fotos de imagens singularmente todas as que chegaram até nós de Nossa Senhora das Graças, ou da Medalha Milagrosa, incólumes entre as destruições provocadas pela inclemência do clima.

Wendy W. D. Carbajal contou que a imagem da Mãe de Deus que ela tinha posto de fora de seu domicílio para protege-lo permaneceu intacta apesar dos fortes ventos.

Em volta o furacão Ida quebrou tudo mas a imagem de Nossa Senhora ficou intacta
Em volta o furacão Ida quebrou tudo
mas a imagem de Nossa Senhora ficou intacta
“Nada aconteceu à minha casa, graças a Deus. Nem o furacão a moveu”, acrescentou.

Heidi Wilson registrou que perto da igreja da rua Crocus, outra imagem da Mãe de Deus permaneceu intacta.

Mais uma vez, Nossa Senhora quis patentear sua maternal proteção.

As catástrofes podem ser muitas e chegar do modo inesperado no caos em que vai afundando nosso país e a Terra toda.

Ouçamos estes avisos para não chorar amargamente o desastre que chegou surpreendentemente e levou nossos bens e, Deus não permita, nossos seres mais amados.


terça-feira, 7 de setembro de 2021

Texas abole quase totalmente o aborto

'O futuro é contra o aborto': estudantes texanos apoiam o banimento do aborto
'O futuro é contra o aborto': estudantes texanos apoiam o banimento do aborto
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs






O estado de Texas, o segundo maior dos EUA em superfície e população, e o terceiro mais rico da união americana, pôs em vigor uma lei que proíbe o aborto assim que os batimentos cardíacos do feto são sentidos.

Ou, em outras palavras, num momento em que muitas mães ainda não sabem que estão grávidas, informou BFMTV.

A lei estadual texana proíbe desta maneira todos os abortos após a sexta semana de gravidez.

Também encoraja a população a denunciar os infratores.

Texas, entretanto, fica aguardando uma decisão da Suprema Corte dos EUA sobre um recurso formulado em emergência contra dita lei.

No máximo tribunal judiciário os conservadores são a maioria (seis em nove).

Se não decidir contra esta lei – aliás, não é necessário decidir antes de entrar em vigor – o Texas se tornará um dos estados americanos mais severos contra o aborto, no limite de uma proibição total que de momento não é possível por causa de jurisprudência do Supremo americano.

Obviamente as organizações abortistas tentaram tudo o que podiam contra a decisão estadual pedindo com urgência ao Supremo o bloqueio da entrada em vigor da lei ou tentando forçar os tribunais federais a fazê-lo.

A lei foi assinada pelo governador do Texas, Greg Abbott, como parte de uma ofensiva liderada por estados americanos conservadores contra o crime do aborto.

A lei torna ilegais a grande maioria dos abortos – até em casos de incesto e estupro.

O grande e populoso Texas é vilipendiado pelas organizações de planejamento familiar, porque mais de 85% das mulheres que matam seus filhos ainda não nascidos o fazem após seis semanas de gravidez. E isso agora ficou impossível.

Antes do Texas, doze estados aprovaram leis para proibir o aborto assim que o batimento cardíaco fetal fosse perceptível.

Essas leis foram invalidadas pelo Supremo Tribunal Federal que autorizava o aborto até entre 22 e 24 semanas de gravidez.

'Cada coração importa' dizem estudantes em Austin, Texas
'Cada coração importa' dizem estudantes em Austin, Texas
Mas o Texas formulou sua lei de forma diferente: não cabe às autoridades fazer cumprir a medida, mas “exclusivamente” aos cidadãos, incentivados a apresentar queixas civis contra organizações ou pessoas que ajudam mulheres a fazer abortos.

Os cidadãos que iniciarem um processo desses receberão pelo menos US $ 10.000 em “indenização” em caso de condenação.

Na Internet já há formulários para registrar “informações anônimas” nesse sentido.

O dispositivo torna mais difícil a intervenção dos tribunais federais.

A entrada na Suprema Corte de Justiça de três juízes conservadores galvanizou os oponentes do aborto que aspiram reverter a polêmica decisão de 1973, Roe v. Wade, que achou constitucional o aborto.

Mas defensores da vida temiam que, como infelizmente tem acontecido, juízes ditos conservadores no momento decisivo votassem pela posição mais imoral.

Entretanto, a Suprema Corte, último recurso inapelável, deu luz verde à lei do Texas numa apertada votação 5-4. A votação libera temporariamente a aplicação da lei, adiando para o futuro um julgamento definitivo. Cfr. “The Guardian”.

Pela lei já em vigor qualquer cidadão que more no Texas ou em outro lugar pode processar um provedor de aborto que viole a lei.

A perspectiva de uma chuva de processos judiciais por parte dos militantes antiaborto pode fechar a maioria das clínicas abortistas no estado.

Os principais políticos democratas, desde o presidente Joe Biden até a ex-Secretária de Estado Hillary Clinton, deblateraram contra a Suprema Corte por ter deixado passar a lei do Texas.

Biden deplorou uma lei que segundo ele “viola flagrantemente o direito constitucional”, “direito” esse muito contestado nos EUA.


terça-feira, 31 de agosto de 2021

Santa Catarina de Bolonha:
sorriso de desdém para as coisas desta vida

Santa Catarina de Bolonha: corpo incorrupto no altar
Santa Catarina de Bolonha: corpo incorrupto no altar
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








Tive a oportunidade de ver algo singular e raro: uma santa canonizada em carne e osso. E isso, sem que houvesse qualquer aparição ou fenômeno místico.

Ela estava sentada num troneto sobre um altar. Era Santa Catarina de Bolonha.

Ela morreu há mais de 5 séculos, entretanto seu cadáver conserva-se  intacto até hoje numa igreja em Bolonha, na Itália.

Durante a II Guerra Mundial, por causa do perigo de bombardeios, o corpo da santa foi transportado para um porão da igreja; e ali, devido à umidade, a cor dele mudou, adquiriu tonalidade verde-azeitona. Entretanto, a carnatura está perfeita.

A fisionomia da santa é distendida. Apesar de estar com olhos fechados, a fisionomia tem muita expressão.

O mais expressivo manifesta-se nos lábios: longos, finos e cerrados, externando um meio sorriso que é, ao mesmo tempo, de afabilidade e acolhida.

Um sorriso de quem, com muita suavidade, mas muito de cima e com enorme transcendência, sorri com desdém para as coisas desta vida.

Como quem diz:

"Olhe, tudo isso não é nada, tudo passa, não tem importância.

"As coisas terrenas passam, só a eternidade fica.

"Eu passei por tudo, sofri todas as dores, tive todas as provações.

"Agora sorrio para tudo isso.

"Porque aquilo que foram mares encapelados, precipícios temíveis, montanhas inescaláveis, tudo isso ficou para trás.

"Percebo hoje que tudo que passou foi nada. A vida não é nada, só a eternidade é séria."

Nela se vê ao mesmo tempo a bondade, mas também lucidez, ordem, estabilidade e decisão extraordinária. Eis a santa que vi em carne e osso!

Hoje se fala tanto de experiência, e esta foi para mim uma experiência raríssima. Só não compreendo por que tantas pessoas não se dispõem a ver esta santa em Bolonha.

Plinio Corrêa de Oliveira ("Catolicismo", agosto 2008)


SANTOS INCORRUPTOS VEJA MAIS AQUI


terça-feira, 24 de agosto de 2021

O astronauta que levou o Santíssimo para o espaço

Coronel e astronauta Michael S Hopkins.
Coronel e astronauta Michael S. Hopkins.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs



Na Estação Espacial Internacional, apesar de estar cheia de equipamentos robóticos, há um ambiente especialmente procurado.

Trata-se da “Cúpula”, um pequeno módulo com sete janelas, de onde os membros da tripulação podem apreciar espetaculares vistas panorâmicas do nosso planeta, noticiou a agência Aleteia.

O astronauta americano Michael S. Hopkins, “Mike”, coronel católico pertencente à Força Aérea, desejava ansiosamente ir à Cúpula, porque o que via lá o deixava maravilhado.

“Quando você vê a Terra daquela perspectiva e observa toda a beleza natural que existe, é difícil não querer ficar lá e concluir que tem que haver uma força suprema que criou tudo isso“, declarou.

E, para surpresa de muitos, em 2013, na Cúpula, Mike rezava e… comungava!

Isso porque, graças a um acordo especial com a arquidiocese de Galveston-Houston e a ajuda do Pe. James H. Kuczynski, pároco da igreja de Santa Maria Rainha em Friendswood, Texas, o astronauta, que é fiel daquela paróquia, pôde levar consigo uma píxide com seis hóstias consagradas, explicou Aleteia.

Cada uma delas estava partida em quatro pedaços, de modo que ele pudesse comungar uma vez em cada uma das 24 semanas de sua permanência na Estação Espacial Internacional.

“Era extremamente, extremamente importante para mim”, enfatiza Mike, hoje com 47 anos de idade.

O astronauta cresceu em uma área rural nos arredores de Richland, Missouri, filho de pais metodistas. Pouco antes de viajar para o espaço, após aprender o Catecismo, Mike tornou-se católico.

Sua conversão, segundo ele, foi motivada não só porque sua esposa e suas duas filhas adolescentes são católicas, mas porque “eu sentia que faltava algo na minha vida”.

Mike fez duas caminhadas espaciais para trocar uma bomba do módulo, junto com o colega Rick Mastracchio.

Antes de sair da estação, ele comungou.

“O nível de estresse nessas atividades pode ser muito alto”, continua ele, em conversa com a agência Catholic News Service. “Saber que Jesus estava lá comigo, no vazio do espaço, era importante para mim”.

A 'Cúpula' da Estação Espacial Internacional onde o astronauta comungava.
A 'Cúpula' da Estação Espacial Internacional onde o astronauta comungava.
Mike relata que as práticas de fé na estação espacial são comuns, especialmente entre os astronautas católicos, e que existe respeito por elas.

“Meus colegas sabiam que eu tinha a Eucaristia comigo”, reforça ele.

“Eu me coordenava com o meu comandante russo. Ele sabia o que era. Todos sabiam, mas eu não fazia alarde. Eles respeitavam a minha fé e o meu desejo de vivê-la, mesmo lá, na órbita espacial”.

A agência Zenit comentou que as fotos do astronauta rezando naquela “capela espacial”, dentro da “cúpula” que servia de átrio tecnológico de cristal se espalharam pela rede.

O fato lembrou a muitos da Noite de Natal de 1968, quando o astronauta americano Frank Borman, a bordo da Apolo 8 em órbita em torno da Lua, leu ao vivo pela televisão o livro do Gênesis.

Em 1994, os astronautas Sid Gutiérrez, Thomas Jones y Kevin Chilton rezaram juntos no Shuttle, voando a 125 milhas por cima do Oceano Pacífico.

O astronauta Mike Massimino, no ano 2000, quis se confessar antes de partir. Além do mais, levou consigo uma bandeira da Cidade do Vaticano, a qual, de regresso à Terra, entregou ao Papa João Paulo II, reinante nesse momento.

A Sagrada Eucaristia, os Sacramentos e os símbolos católicos, em graus diversos que vão do divino ao humano, têm um valor tal que inspiraram todas as formas de devotamento imagináveis (e inimagináveis) ao longo dos séculos.

Diante dessas manifestações de fé, o que dizer dos que pretendem justificar a distribuição da Eucaristia a quem não está em condições de recebê-la, com grave profanação, sacrilégio e desrespeito?


terça-feira, 17 de agosto de 2021

A menina mártir da Eucaristia

A menina chinesa que inspirou Mons. Fulton Sheen
A menina chinesa que inspirou a Mons. Fulton Sheen
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs








O arcebispo Fulton J. Sheen foi um apologeta católico de fama mundial na era da TV nascente. Numa entrevista em rede nacional de televisão meses antes da sua morte, em 1979, perguntaram-lhe:

‘Bispo Sheen, o senhor inspirou milhares de pessoas em todo o mundo. Quem inspirou o senhor? Foi acaso um Papa?’

O arcebispo surpreendeu dizendo que sua maior inspiração não foi um Papa, nem um Cardeal, nem outro bispo, e nem sequer um sacerdote ou monja. Foi uma menininha chinesa.

O arcebispo relatou que o martírio pela Eucaristia dessa menina foi a maior fonte de inspiração em sua vida.

Aconteceu assim: quando os comunistas se apossaram da China pela metade do século XX, prenderam um sacerdote em sua própria reitoria e invadiram a igreja.

Eles então atiraram no chão a âmbula espalhando 32 hóstias consagradas, sendo observados por uma menina que aparentava ter entre nove ou onze anos e que rezava.

Meninas chinesas em Pequim, no Natal de 2016 antes da atual onda persecutória
Meninas chinesas em Pequim, no Natal de 2016 antes da atual onda persecutória
À noite, a pequena entrou no templo, e eludindo o guardião marxista às voltas com o sono, fez uma hora santa de oração reparando o sacrilégio.

Depois, ajoelhou-se e com sua língua comungou uma das Sagradas Hóstias. Naquele tempo, os leigos por respeito e norma não tocavam a Eucaristia com as mãos.

Ela regressou a cada noite para fazer sua hora santa e receber Jesus Eucarístico da mesma maneira.

Na trigésima segunda noite, depois de consumir a última hóstia, tropeçou e despertou o guarda. Esse correu atrás dela, agarrou-a e golpeou-a até matá-la com a culatra do fuzil.

O sacerdote assistiu desde a prisão a esse heroico martírio. 

Quando o arcebispo Mons. Sheen ouviu o relato, ficou de tal forma impressionado que prometeu a Deus que faria uma hora santa diária diante de Jesus Sacramentado pelo resto de sua vida.

Ninguém conhece o nome da menininha, mas como diz um ditado espanhol: “diante de Deus não há heróis anônimos”.

Guardas vermelhos profanam igrejas
Guardas vermelhos profanam igrejas
O que diríamos hoje quando da própria Santa Sé desce a norma aos bispos norte-americanos de não proibir a Santa Comunhão a políticos abortistas – como o presidente Joe Biden e a presidente da Câmara dos Deputados dos EUA Nancy Pelosi – portanto que a Eucaristia seja jogada num lamaçal de pecado muito mais nauseabundo que o chão da paróquia chinesa profanada?

Essa imensa ofensa se repete em inúmeras igrejas e países, praticada desde as mais altas autoridades políticas até os mais ínfimos dos fiéis...

Ainda hoje se desconhece o nome daquela menininha, mas certamente, esperamos, resplandece na glória do Céu.

Pela misericórdia de Nossa Senhora um dia iremos conhece-la e louvar seu exemplo por toda a eternidade, quiçá acompanhados por muitas outras almas santas agradecidas.

Excertos do artigo “Let the Son Shine Out” do Pe. Martin Lucia, diretor do Apostolado da Adoração Perpétua, publicado pela Fundação Cardeal Kung em dezembro de 1995.


A menina chinesa mártir da Eucaristía (espanhol)




terça-feira, 3 de agosto de 2021

“Pharmacia Granado”: tradição impulsionando o progresso

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







A “Pharmacia Oficial da Família Imperial Brasileira”, título concedido por Dom Pedro II, foi criada em 1870 no Rio de Janeiro pelo imigrante português José Antônio Coxito Granado.

Foi à venda em 1994 sem que ninguém quisesse assumi-la. O vendedor foi o consultor inglês Christopher Freeman que não encontrando interessado, juntou suas economias e ficou com ela, segundo reportagem da “Folha de S.Paulo”.

A Granado cultivava suas próprias plantas medicinais em uma chácara em Teresópolis, para a produção de águas de colônia, cremes e talcos no gosto da nobreza imperial e tinha ficado parada no tempo. 

Sem computador fazia a contabilidade manualmente.

Mas era relativamente sólida, sem dívidas e suas marcas e produtos agradavam aos consumidores, como o polvilho antisséptico Granado criado em 1903.

Em 2004 Freeman adquiriu outra marca brasileira tradicional: a Phebo, criada em 1930, no Pará.

Sua filha Sissi Freeman valorizou o lado “vintage” da marca, por exemplo com a palavra “Pharmácia” que remete à época da fundação.

“Procuramos mostrar a tradição e a história dos nossos produtos. Qualquer empresa pode ser uma farmácia, mas poucas com ‘ph’”, diz Sissi.

Diante das gigantes dos cosméticos, a Granado era minúscula. 

Mas, nas lojas ela apontou à decoração retrô, aos móveis clássicos, quadros antigos e peças publicitárias originais, recriando o ambiente de uma botica do início do século passado.

Hoje tem 82 unidades dessas em bairros nobres. Pulou de 60 itens de produtos para mais de 800 resgatando a tradição da marca e um legado acumulado em 150 anos.

A pandemia não pôs em negativo as receitas que em 2020 subiram 5% a mais que em 2019.

A empresa agora tem três lojas em Paris, e Freeman sonha abrir outra em seu país de origem: a Inglaterra.

Modernizar sem abrir mão da tradição é a fórmula certa porque como ensinaram os Papas a tradição não é um salto no escuro.

A Granado avança com o tesouro acumulado em 150 anos de história para um futuro prometedor sem romper com seu passado.

Uma lição de verdadeiro progresso.