Outras formas de visualizar o blog:

segunda-feira, 18 de maio de 2015

1º de Maio na França: popularidade dos patrões
é bem maior que a dos sindicatos

Franceses preferem os empresários (54% a favor)
que aos sindicatos (33%) porque 'inúteis'.



Segundo sondagem da Odoxa, revelada no 1º de maio, dia do trabalhador, os franceses preferem os chefes de empresa aos sindicatos.

Mais da metade (54%) das pessoas interrogadas manifestaram uma boa opinião dos patrões, enquanto apenas um terço delas (33%) disseram ter uma boa imagem dos sindicatos.

“A má reputação dos sindicatos é geral”, explicou Céline Bracq, diretora geral de Odoxa, citada pelo jornal Le Parisien-Aujourd'hui-en-France.

A repulsa é mais forte por parte daqueles que constituem a base dos sindicatos, 60% dos quais têm uma má opinião a seu respeito.

Os sindicatos não conseguiram maioria nem sequer entre seus simpatizantes socialistas: somente 49% deles os veem de modo positivo. Enquanto entre os ecologistas estes somam 48%.

O voto de consolação veio dos simpatizantes comunistas ou de extrema esquerda, 53% dos quais são a favor dos sindicatos. Porém, um nada desprezível 41% está a favor dos patrões.

Obviamente, entre os votantes da direita a maioria (66%) prefere os patrões, e apenas 19% os representantes profissionais dos assalariados.

A sondagem, divulgada pelo jornal parisiense Le Figaro, sublinhou um fato verificado há tempo: a ruptura entre a opinião pública e os sindicatos. Mais da metade dos franceses (54%) qualifica esses órgãos profissionalizados pura e simplesmente de inúteis.

Uma muito ampla maioria (74%) acha que os sindicatos não souberam se adaptar às novas realidades econômicas do país. De fato, eles ainda aquecem um espírito igualitário e de luta de classes de há muito desfalecido, se não morto.

Franceses não querem luta de classes e sindicalismo comunista se esvaziou.
Franceses não querem luta de classes e sindicalismo comunista se esvaziou.
Comentando a sondagem da Odoxa, acrescentou Cécile Bracq: “Os franceses acham que as greves promovidas por eles contra a crise são vãs, ou pior: ampliam-se.”

Escândalos de corrupção atingiram recentemente o ex-secretário- geral da CGT, o mítico sindicato das esquerdas.

Uma das consequências desse desprestígio geral foi que apenas 110.000 pessoas, segundo a própria CGT (com uma queda de 47,6% em relação a 2014), e 76.000 segundo a polícia (-30,9%), compareceram a alguma manifestação para comemorar o Dia do Trabalho.

O novo chefe da CGT, Bernard Thibault, declarou à TV Europe 1: “Há sindicatos demais na França, os líderes sindicais estão divididos.”

O velho templo sindical socialo-comunista representado pela CGT vem recebendo nas eleições sindicais sucessivas bofetadas dos operários, que preferem sindicatos mais moderados como a CFDT, a CFE-CGC ou a FO.

Os índices de recusa aos sindicatos são superados apenas, e então com folga, pelos políticos, que só recolheram 11% de opiniões favoráveis.

Com foco na França, a sondagem de Odoxa descreve na realidade um estado da opinião pública mundial. Se fosse no Brasil, quais seriam os números?


segunda-feira, 11 de maio de 2015

Nepal: católicos salvos do terremoto por estarem na igreja

Batismos no Nepal.
Batismos no Nepal. Foto AsiaNews



No terremoto do Nepal, caíram às pencas templos, pagodes, mosteiros e inúmeros locais onde se faziam práticas que evocam as palavras da Escritura: “Omnes dii genti daemonia” (“Todos os deuses dos gentios são demônios”, Ps. 95:5).

O abalo sísmico que atingiu o Nepal e algumas áreas da Índia e da China teve seu epicentro a 80 km de Katmandu, capital do país.

Os mortos ainda estão sendo contados, mas poderiam superar os 10.000, segundo o governo nepalês. O país tem 30 milhões de habitantes.

Desses, menos de 8 mil são católicos e sofrem perseguição das leis que querem impedir o batismo dos adultos. Porém, os católicos não deploraram vítimas.

Por exemplo, os habitantes de Okhaldhunga, uma aldeia num lugar afastado no leste do Nepal, foram salvos da morte no terremoto por estarem assistindo a uma Missa de ordenação sacerdotal, informou ACI.

Catedral católica da Assunção em Katmandu, capital do Nepal.
Catedral católica da Assunção em Katmandu, capital do Nepal. Foto AsiaNews
O professor Santosh Kumar Magar, de 29 anos, assistia a essa Missa quando o terremoto de 7,9 graus de magnitude destruiu o país.

Ele comentou: “Quando senti o terremoto, saí da sala onde me encontrava e vi duas ou três casas ao meu redor que estavam sendo destruídas. Alguns animais morreram quase ao mesmo tempo.

“Os católicos se salvaram porque todos os desta região estavam reunidos para a ordenação sacerdotal”, acrescentou.

Após o terremoto, Santosh voltou à capital, Katmandu: “Todos os habitantes estavam saindo das casas e se reuniam no meio da estrada, gritando socorro”, recordou.

Nessas horas o paganismo ou o falso ecumenismo não dão resultado. Só a proteção materna de Nossa Senhora e da Santa Igreja é eficaz.


segunda-feira, 20 de abril de 2015

Em Lourdes, os milagres não cessam

Em Lourdes, os milagres não cessam
Em Lourdes, os milagres não cessam



A série de acompanhamentos científicos dos milagres ocorridos em Lourdes começou a bem mais de um século.

O intrincado, longo e exigente processo de comprovação dos mesmos em mais de 7.000 casos perfeitamente individualizados concluiu que a medicina não tem explicação, conferiu a Fundação Cari Filii.

Cabe à Igreja, e não à ciência, a declaração do milagre, pois é um posicionamento religioso.

O dossiê completo de cada caso medicamente inexplicável é encaminhado ao bispo da diocese do beneficiário da cura. O prelado é quem deve proceder a proclamar o milagre.

Porém, até a presente data, os bispos só reconheceram 69 casos como intervenções miraculosas de Deus.

O Escritório Médico de Lourdes deixa por vezes transcorrer décadas no acompanhamento da cura até o reconhecimento final, para ficar claro que ela é verdadeira e definitiva.

O otorrino Michael Moran, natural de Belfast (Irlanda do Norte), é especialista em câncer e responsável do Escritório de Lourdes que analisa os milagres.

“Isto é um comitê científico. Não usamos a palavra ‘milagre’. Isso é algo que a Igreja tem que decidir”, explica.

“Os membros da comissão médica devem pôr de lado suas crenças, estejam ou não a favor de Lourdes. Isto é um grupo de profissionais que reúne as melhores evidências médicas e pode encomendar ainda mais exames para fundamentar o que o doente afirma”, acrescenta o Dr. Moran.

Uma das características típicas procuradas pelo médico é de se a cura foi repentina.

“Outro exemplo típico é o de um italiano [Vittorio Micheli, 22 anos em 1962, soldado dos Corpos Alpinos], que tinha um tumor no osso pélvico cuja destruição se pode ver nos raios-x. Mas o osso voltou a crescer, tanto na pélvis como no fêmur, de forma anatomicamente correta, que é muito difícil explicar”, explicou Moran à BBC.

Anna Santaniello: antes e depois.
Anna Santaniello: antes e depois.
Moran também destaca a capacidade de cura interior e a serenidade que Lourdes passa para uma multidão de doentes. “Muitas pessoas com doenças terminais chegam aqui e muito obtêm do ponto de vista espiritual, eles e seus acompanhantes”, afirma.

Eis os reconhecimentos canônicos mais recentes:

Anna Santaniello: malformação cardíaca; milagre reconhecido em 2005

Anna Santaniello, de Salerno (Itália), padecia desde a infância de uma malformação cardíaca, declarada incurável pelos médicos. Quando fez quarenta anos, sua saúde piorou gravemente e ela quis ir a Lourdes. A doença lhe impedia de caminhar e falar claramente.

Segundo ela contou ao jornal “La Città” de Salerno, “eu quase não conseguia respirar e falei a meu irmão que meu ultimo desejo era ir a Lourdes”, aonde chegou “viva, mas de maca”.

Foi tomar banho nas piscinas ajudada por religiosas. Ela conta assim:

“A água estava gelada, mas senti logo que algo que fervia no peito, como se me tivessem restituído a vida. Em poucos segundos, me levantei com minas próprias forças e comecei a caminhar, recusando a ajuda dos enfermeiros que olhavam com incredulidade”.

Quando voltou a sua casa, marcou consulta com um ilustre cardiologista da época, que “me disse que não tinha nada, que estava saníssima e que ele não podia explicar os certificados e exames feitos precedentemente”.

Anna Santaniello voltou a Lourdes para servir como voluntária e no atendimento dos doentes. O milagre foi reconhecido pela Igreja em 2005, quando ela tinha 90 anos.

Sóror Luigina não caminhava mais. Depois foi ajudar os doentes, empurrando macas e carrinhos.
Sóror Luigina não caminhava mais.
Depois foi ajudar os doentes, empurrando macas e carrinhos.
Sóror Luigina: paralisia e dor; milagre reconhecido em 2012

Sóror Luigina Traverso é uma religiosa salesiana italiana gravemente doente de ‘ciática paralisante em meningocele que em junho de 1965 participou de uma “romaria Oftal de Tortona’”.

Era levada de maca e havia muito que não caminhava. Foi operada muitas vezes sem resultado.

Sóror Luigina entrou na água das piscinas do santuário. Depois, durante procissão eucarística, quando o sacerdote passou diante dela com o Santíssimo Sacramento, a religiosa sentiu um “intenso calor no corpo e o desejo de se levantar”.

Percebeu que voltava a mexer o pé e que a dor desaparecia. No quarto falou com o Dr. Danillo Cebrelli e com o delegado do bispado, Mons. Lorenzo Ferrarazzo.

O padre lhe disse: “Sóror Luigina, se quiser receber a bênção, levante-se e venha ajoelhar-se para rezar”. E a paralítica conseguiu!

De volta para casa quatro dias depois, o professor Claudio Rinaldi confirmou: “Boas condições gerais […] Articulações inferiores completamente flexíveis com vigor igual e simetria […] Sensibilidade normal”.

Daniella Castelli foi a Lourdes para se despedir da Gruta
e encomendar seus filhos.
Estava desenganada e voltou curada.
Danila Castelli: hipertensão com risco de morte; milagre reconhecido em 2013

Em 1981, Danila Castelli, italiana de Bereguardo, casada, 35 anos e quatro filhos, teve diagnosticado um câncer extraordinariamente virulento, que produzia tumores em todo o corpo.

Passou por oito cirurgias e vivia sedada para suportar as dores.

Em 1989 os médicos a desenganaram. Ela foi então com seu marido a Lourdes, sem pensar num milagre, mas só para ficar diante da Virgem.

Ia morrer com 43 anos e queria pedir a Nossa Senhora “que Ela estivesse sempre perto de seus filhos”.

Após fazer a oração, sentiu imediatamente que a dor desaparecera, assim como toda a doença.

Após ter passado 24 anos com saúde e servindo assiduamente como voluntária para ajudar os doentes em Lourdes, a Igreja reconheceu o milagre.


Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Milionário atribuiu seu sucesso
a Nossa Senhora de Lourdes

O Padre Nicola Ventriglia Omi, mostra fotos de Michele Ferrero no Santuário de Lourdes
O Padre Nicola Ventriglia Omi, mostra fotos de Michele Ferrero
no Santuário de Lourdes



No dia de São Valentim, faleceu o mais bem-sucedido empresário de doces e bombons da Itália.

Nascido em 1924, Michele Ferrero possuía uma fortuna calculada em 20,5 bilhões de euros, a maior do país e a quarta da Europa.

Embora megamilionário, Ferrero era muito diferente do “jet-set”: um ativo devoto de Nossa Senhora de Lourdes, a quem atribuía a vertiginosa ascensão de sua empresa, segundo a Fundação Cari Filii.

Esse filho de chocolateiros da pequena cidade de Alba não se fez rico com malabarismos ou manobras confusas. Ele continuou com a tradição familiar, aplicando muito trabalho e inteligência, mas depositando suas esperanças em Nossa Senhora.

Em 1964, melhorando uma fórmula de seu pai, Ferrero criou Nutella. Lançou também o ovo de chocolate Kinder e as linhas Ferrero Rocher e Mon Cheri.

Sua empresa vendia o equivalente a oito bilhões de euros por ano, sendo superada somente pela Nestlé, que possui um leque muito mais vasto de produtos, no setor dos doces.

Na entrada de cada uma de suas 20 fábricas existentes no mundo ele mandou colocar uma coluna com uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes.

Segundo o insuspeito quotidiano britânico The Guardian, a marca Rocher é uma alusão à pedra da Gruta de Massabielle, onde Nossa Senhora apareceu para Santa Bernadette.

Michele: “o sucesso da Ferrero é mérito da Virgem de Lourdes.
Sem ela, nós pouco podemos”
Michele foi um exemplo vivo de que ninguém é ruim por ser rico, e que a riqueza é dada por Deus para fazer o bem.

Michele organizava todo ano uma peregrinação de seus empregados franceses ao Santuário de Lourdes, onde ele próprio costumava presidir a procissão das velas no final do dia.

E levava altos diretores de sua holding para participarem do ato religioso, invocando a intercessão de Santa Bernadette ante Nossa Senhora.

“As estratégias do grupo se debatiam entre terços e orações”, garante Giuseppe Rossetto, prefeito da cidade de Alba durante dez anos.

“O sucesso da Ferrero é mérito da Virgem de Lourdes. Sem ela, nós pouco podemos”, defendeu o multibilionário em uma de suas raríssimas declarações públicas, pois era muito reservado: não concedia entrevistas e há muito poucas fotos dele na mídia ou na Internet.

Giacomo, seu segundo filho, garantirá a continuidade do grupo familiar, que emprega 36.000 pessoas em todo o mundo.

Na Itália as greves são frequentes, mas elas não existiam em suas fábricas.O fato impressionava.

Michele Ferrero criou em 1983 uma Fundação que leva o nome de sua mulher e de seus filhos. Ela proporciona bolsas para estudantes, serviço de saúde, aposentadoria, conferências, exposições e concertos.

Sempre sob o sinal harmonizador emanado d’Aquela a cujos pés ele deve agora eternamente encontrar-se e sobre a qual canta uma antífona: “Eu moro no mais alto dos céus e meu trono está sobre uma coluna de nuvens”: Nossa Senhora de Lourdes.



terça-feira, 31 de março de 2015

461 sacerdotes britânicos pedem ao Sínodo
uma “clara e firme proclamação” da doutrina
e da pastoral milenar da Igreja

461 sacerdotes ingleses pediram ao Sínodo sobre a Família,
uma “clara e firme proclamação” da doutrina e da
pastoral tradicional da Igreja sobre o casamento e a família.



461 sacerdotes da Inglaterra e de Gales assinaram uma carta aberta solicitando ao Sínodo sobre a Família, a realizar-se em outubro de 2015, uma “clara e firme proclamação” da doutrina e da pastoral milenar da Igreja sobre o casamento e a família.

A carta aberta foi publicada no semanário Catholic Herald, um dos mais antigos (1888) e mais respeitados daquele país ().

Eis o texto completo do documento:

Senhor,

Após o Sínodo Extraordinário dos Bispos em Roma, em outubro de 2014, surgiu muita confusão a respeito do ensinamento moral católico. Nesta situação, nós queremos, enquanto sacerdotes católicos, reafirmar a nossa fidelidade inabalável às doutrinas tradicionais relativas ao casamento e ao verdadeiro significado da sexualidade humana, fundamentadas na Palavra de Deus e ensinadas pelo Magistério da Igreja durante dois milênios.

domingo, 29 de março de 2015

Semana Santa: acompanhando a Paixão de Cristo




A Via Sacra ‒ também conhecida como Via Crucis, Estações da Cruz ou Via Dolorosa ‒ é uma devoção que consiste numa peregrinação espiritual ajudada por uma série de quadros ou imagens que representam cenas da Paixão de Cristo.

A Via Sacra mais conhecida hoje é a rezada no Coliseu de Roma, na Sexta-Feira santa, com a participação do próprio Papa.

As imagens representando as cenas da Paixão podem ser de pedra, madeira ou metal, pinturas ou gravuras.

Elas estão dispostas a intervalos nas paredes ou nas colunas da igreja.

terça-feira, 24 de março de 2015

Anunciação e Encarnação do Verbo

Anunciação, Santa Maria delle Grazie, S. Giovanni Valdarno, Arezzo, Itália. Beato Fra Angélico (1395 – 1455)
Anunciação, Santa Maria delle Grazie, S. Giovanni Valdarno, Arezzo, Itália.
Beato Fra Angélico (1395 – 1455)






“O Anjo do Senhor anunciou a Maria”


No dia 25 de março a Igreja celebra este fato incomparável: a Anunciação!

Fra Angélico pintou um quadro da Anunciação: a Virgem Maria encontra-se numa casinha pequena, modesta, limpíssima e em inteira ordem, num claustro composto de umas arcadazinhas.

Ela está sentada com um livrinho de meditação no colo. Uma atmosfera de paz impregna todo o ambiente, quando o arcanjo São Gabriel aparece e se ajoelha diante d´Ela.

E Maria aparece um pouco inclinada ouvindo o anjo falar.

quarta-feira, 18 de março de 2015

A morte de São José

São José em agonia, igreja de São José, Rio de Janeiro
São José em agonia, igreja de São José, Rio de Janeiro

Gregório Vivanco Lopes

No dia 19 de março comemora-se a festa de São José. A propósito, é oportuno reproduzir o Conto inspirado no conjunto escultural representando São José em agonia (foto), que se venera na igreja de São José, no centro do Rio de Janeiro, ao lado da Assembleia Legislativa.

São José chegara ao fim de seus dias. Ninguém como ele, entre tantos varões veneráveis que o precederam na santidade, fora incumbido de missão tão alta. Ele era o guarda e protetor do Filho de Deus feito homem e de sua Mãe santíssima.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Criminoso prefere voltar ao cárcere
a fazer vida de capuchinho

Frade franciscano numa velha rua medieval
Frade franciscano numa velha rua medieval




O criminoso David Catalano, 31, foi condenado pela Justiça italiana.

Esta prevê, entretanto, uma prisão alternativa. E no mês de novembro último o réu foi enviado ao convento capuchinho de Santa Maria degli Angeli, perto de Enna, na Sicília, para ali servir e viver num regime especial regido pelos frades, informou o jornal britânico “The Daily Mail”.

Porém, ele não resistiu à austeridade e pobreza dos religiosos capuchinhos, ordem à qual pertenceram muitos santos famosos. E fugiu duas vezes da vida conventual, pedindo para ser confinado num cárcere comum que ele, aliás, já conhecia.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Peregrinos a Compostela batem recordes históricos,
como na Idade Média

Peregrino na estrada de Compostela,  mas ainda em Estaing, França!
Peregrino na estrada de Compostela,
mas ainda em Estaing, França!


Uma das grandes romarias da Idade Média está reverdecendo no século XXI! Trata-se da peregrinação a pé até o túmulo do Apóstolo Santiago em Compostela, Espanha.

As distâncias podem ser enormes, segundo os pontos de partida oficiais existentes no mundo alemão, na França, na Espanha e em outros países.

Além da caminhada, alguns fazem o percurso a cavalo ou de bicicleta, seguindo uma estrada com opções que vêm dos tempos medievais e que está reservada aos fiéis: é o Caminho de Santiago.

Em 2014 ele foi percorrido por 237.810 romeiros inscritos (não contabiliza os que vão por conta própria), um recorde dos tempos modernos. O ano anterior foram 215.880, informou “El blog del Camino de Santiago”.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A história do menino que sonhava em ser sacerdote
sob a perseguição comunista

Dom Sviatoslav Shevchuk, Primaz do rito greco-católico,
o maior dos ritos orientais da Igreja Católica

Em entrevista para a Catholic Radio and Television Network, o Arcebispo-mor de Kiev-Galícia e de toda a Rússia, Dom Sviatoslav Shevchuk, Primaz do Rito greco-católico na Ucrânia, fez reveladoras confidências sobre sua formação eclesiástica acontecida sob o socialismo soviético. “Zenit”.

O rito greco-católico é o maior dos ritos orientais da Igreja Católica: mais de 10 milhões de fiéis, incluindo a Ucrânia e a diáspora. Cerca de meio milhão deles reside no Brasil, especialmente no Paraná e em Santa Catarina.

Dom Sviatoslav explicou que cresceu numa sociedade totalmente ateia. Na escola “nos ensinavam que Deus não existia”. Só a família transmitia a fé crista.

O jovem arcebispo disse que a primeira vez que viu um padre foi por ocasião de um enterro.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Santa Teresinha e a parábola do escritor Saint-Exupéry






O escritor e aviador francês Saint-Exupéry (1900-1944) descreve simbolicamente em seu livro Vol de Nuit (voo da noite) a situação da pessoa que, almejando colocar-se acima das misérias terrenas, procura com avidez alcançar o sublime. Vamos primeiro ao texto, que comentaremos depois.

Imagina ele um aviador de nome Fabien voando em meio a uma tormenta que parece arrastá-lo para o sorvedouro:

“E foi num momento destes que algumas estrelas brilharam sobre a sua cabeça, num rasgão da tempestade [...]. Sua fome de luz era tal, que Fabien subiu. [...]

Sofrera tanto em busca duma luz, que já não largaria mesmo a mais confusa. Sentindo-se afortunado com aquele pobre clarão, seria capaz de dar voltas, até cair morto, em torno daquele sinal do qual andava faminto. E ei-lo subindo até os campos de luz.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Dezenas de milhares de italianos manifestam pela família sem ligar para as agressões LGBT

Bologna: violências, insultos, agressões. A estrema esquerda  e a agenda LGBT parecem não ter outros argumentos
Bologna: violências, insultos, agressões. A estrema esquerda
e a agenda LGBT parecem não ter outros argumentos

Centenas de pessoas que se manifestavam em silêncio pela família foram agredidas verbal e fisicamente por militantes da agenda homossexual e agitadores anarquistas em diversas cidades da Itália noticiou a agência “LifeSiteNews”.

O fato se repetiu nas cidades de Bolonha, Turim, Gênova, Aosta e Rovereto. Os católicos manifestavam segundo o método dos “Sentinelle in Piedi” (sentinelas de pé), popularizado na França na onda das “Manif pour tous” contra o “casamento” homossexual e a agenda socialista pró-LGBT.

Essas manifestações aconteceram em 100 cidades italianas com a participação de 10.000 pessoas.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Nossa Senhora de Lourdes não nos abandona
nem nas piores situações


Na novena de Nossa Senhora de Lourdes (11 de fevereiro) publicamos uma reflexão sobre a festa, tiradao do blog "Lourdes e suas aparições" (Nossa Senhora de Lourdes não nos abandona nem nas piores situações):

Não é admissível supor que Nossa Senhora nos abandone, sobretudo quando os tempos estão muito complicados.

É preciso confiar de todo jeito. Quaisquer que sejam as dificuldades nesse tempo, Ela não nos abandonará.

Pelo contrário, nós seremos protegidos por Ela de modo inesperado, de modo milagroso se for preciso.

Nós devemos nos habituar a viver a vida prática com todo o espírito de Fé.

E, ao mesmo tempo, a conviver com a esperança do milagre como se fosse uma coisa que não é para de vez em quando acontecer. Porque a atmosfera de Lourdes nos ensina que o milagre é fato frequente de todos os dias.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

O milagre do sorriso de Nossa Senhora
no rosto de Santa Bernadette



Se aproximando a festa de Nossa Senhora de Lourdes (11 de fevereiro) publicamos o comovedor relato de um milagre de Santa Bernadette, tirado do blog "Lourdes e suas aparições" (O milagre do sorriso de Nossa Senhora no rosto de Santa Bernadette):

Um dia, um sacerdote se aproximou de nós diante de Grota e nos mostrou um velho no meio da multidão.

Ele estava piedosamente ajoelhado e rezava com os braços em cruz.

“Interrogai-o, disse o sacerdote, nós o chamamos de ‘o miraculado do sorriso da Virgem”.

Nós nos aproximamos do peregrino, e ele com o melhor charme do mundo, nos contou sua história.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Bispo lituano narra sua odisseia de fidelidade no cárcere comunista

Dom Sigitas Tamkevicius, bispo de Kaunas conta sofrimentos e consolações na prisão comunista
Dom Sigitas Tamkevicius, bispo de Kaunas conta
sofrimentos e consolações na prisão comunista


Dom Sigitas Tamkevicius, bispo de Kaunas, Lituânia, narrou em recente livro os sofrimentos de seu cativeiro nos cárceres soviéticos comunistas, segundo noticiou a agência “Aleteia”.

“Nunca rezei tão intensamente como naqueles momentos. Jesus não me deixou sozinho”, disse, comentando a graça de celebrar a Missa na cela, às escondidas dos algozes.

O padre Sigitas foi preso em 1983 e levado em uma caminhonete da polícia política KGB até um porão escuro que servia de cárcere. Os corredores tinham teto alto, eram estreitos, mal iluminados e sujos.

O policial que o deteve exultou quando soube que tinha preso o sacerdote jesuíta Sigitas, do Comitê de Defesa dos Crentes.

O Comitê redigia a “Crônica da Igreja Católica na Lituânia”. Ela revelava o sistema de opressão e terror antirreligioso no país e era enviada ao exterior. O governo a qualificava de propaganda soviética e só queria prender os redatores.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Olhar retrospectivo de 2014:
“Maio de 68 conservador” cresceu no mundo

Em Paris, juventude contra o 'casamento' homossexual
Em Paris, juventude contra o 'casamento' homossexual


(Excertos de “2014: Na orla da III Guerra Mundial?” publicado na revista CATOLICISMO, janeiro de 2015, http://catolicismo.com.br/)

Em 2014 nem tudo foi mal. Sob certos pontos de vista o ano trouxe sinais esperançosos.

Enquanto a degringolada pelas vias do caos desagregava o mundo e a subversão eclesiástica avançava e dividia a Igreja Católica, a estratégia militar russa — apoiada pelas esquerdas dos respectivos países e por algumas direitas equivocadas por um falso nacionalismo — empurrava o mundo para a orla da III Guerra Mundial.

Porém, definiu-se também uma tendência visceralmente oposta, com anelos de hierarquia, ordem, família tradicional e honestidade.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Festa da Epifania: quem foram os Reis Magos?

'A viagem dos Magos' (1894), Jacques-Joseph Tissot (1836-1902), pintor francês.
Um antigo documento conservado nos Arquivos Vaticanos lança uma certa luz, embora indireta e sujeita a caução, sobre a pessoa dos Reis Magos que foram adorar o Menino Jesus na Gruta de Belém.

A informação foi veiculada por muitos órgãos de imprensa e páginas da Internet.

O documento é conhecido como “A Revelação dos Magos”.

Provavelmente seja algum “apócrifo”, nome dado aos livros não incluídos pela Igreja Católica na Bíblia. Portanto, não são “canônicos”, apesar de poderem ser de algum autor sagrado.

“Canônico” deriva de “Cânon”, que é o catálogo de Livros Sagrados admitidos pela Igreja Católica e que constituem a Bíblia. Este catálogo está definitivamente encerrado e não sofrerá mais modificação.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Reis Magos e pastores: santa harmonia social aos pés do Menino-Deus



Os medievais tinham uma devoção encantada pelos Reis Magos. Essa devoção tem seu fundamento nos Evangelhos, mas eles a desenvolveram com uma força que chega até nossos dias.

A catedral de Colônia exibe a urna que conteria os restos dos três reis, venerados como santos.

Quis a Providência que o Menino Jesus recebesse a visita de três sábios — que segundo uma venerável tradição eram também reis — e alguns pastores.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

domingo, 21 de dezembro de 2014

Origens e significados da Missa do Galo

Missa do Galo é aquela que se celebra na Véspera de Natal
Missa do Galo é aquela que se celebra na Véspera de Natal
A Missa do Galo é aquela que se celebra na Véspera de Natal, começando à meia noite de 24 para 25 de dezembro.

O nome “Missa do Galo” deriva da tradição segundo a qual à meia-noite do dia 24 de dezembro um galo cantou como nunca se tinha ouvido de outro animal semelhante, anunciando a vinda do Messias, filho de Deus vivo, Jesus Cristo.

Um costume da província de Toledo, na Espanha, consistia em que, antes de baterem as 12 badaladas da meia-noite de 24 de dezembro, cada lavrador matava um galo em memória daquele que cantou três vezes quando Pedro negou Jesus.

A ave era depois levada para a Igreja a fim de ser oferecida aos pobres, que viam assim o seu Natal melhorado.

Era costume, em algumas aldeias espanholas e portuguesas, levar o galo para a igreja, a fim de que este cantasse durante a missa, significando um prenúncio de boas colheitas.

A Missa do Galo foi instituída no século V, após o Concílio de Éfeso (431 d.C.), começando a ser celebrada na basílica do monte Esquilino, erigida pelo o papa Sisto III em honra de Nossa Senhora.

Trata-se da famosíssima Basílica de Santa Maria Maggiore. O galo foi escolhido como símbolo desta celebração porque representa vigilância, fidelidade e testemunho cristão.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Árvore de Natal: uma tradição medieval
criada por Santos e reis católicos



O costume de ornar um pinheiro nas festas de Natal data dos tempos do Papa São Gregório Magno (540-604), que impulsionou a cristianização das tribos germânicas no início da época medieval.

Estas tribos tinham o costume esdrúxulo de adorarem árvores e lhes oferecerem sacrifícios.

Os missionários e monges aproveitaram então a forma triangular do pinheiro para explicar aos bárbaros o mistério da Santíssima Trindade.

Mas as coisas não eram fáceis.

A primeira árvore de Natal remonta ao longínquo ano 615. São Columbano, monge irlandês fora à França para abrir mosteiros.

Mas a indiferença dos habitantes era tal que ele estava quase desanimando.

Numa noite de Natal, teve ele a idéia de cortar um pinheiro, única árvore verde nessa época do ano e iluminá-lo com tochas.