Outras formas de visualizar o blog:

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Católicos da Síria: heroísmo até o martírio:
o testemunho de uma moça católica

Mireille no I Congresso Internacional sobre Liberdade Religiosa, Madri.



Mireille Al Farah, jovem síria que vive na Espanha e que não pode voltar a seu país desde que começou a enganosa Primavera árabe, contou seu drama no I Congreso Internacional sobre Libertad Religiosa realizado em Madri. Ela chora durante a comunhão, rezando pelos católicos perseguidos em seu país.

“Os pais de família nunca saem juntos à rua, para que os filhos não fiquem inteiramente órfãos” em caso de atentado mortal, relatou.

Ela contou que antes da investida islâmica, os católicos sírios “manifestávamos publicamente nossa fé, vivíamos sem medo, até que de um dia para o outro nos deparamos com a atual situação: atentados, sequestros, violações, você está em sua casa e te cai um obus de morteiro...

“Os bombardeios são diários. Com as tecnologias GPS eles sabem localizar os bairros cristãos e selecionar as vítimas. Eu perdi treze parentes, um deles foi meu primo Shami, que morreu quando tiro de morteiro caiu sobre ele um”.

Sobre a situação em Damasco, a capital síria, ela narrou: ”Nas horas que temos exames, aumentam os ataques, porque não querem que a gente vá às faculdades ou às escolas. Passamos muitas horas sem água, sem força… a gente tem de fazer o que pode para sobreviver, e isso é em Damasco, que é a capital síria”.

Outros se viram constrangidos a abandonar tudo o que possuíam, numa fuga forçada pela perseguição. Outros ainda optam por ficar:

“A uma amiga casada e mãe de quatro filhos, cuja família está entre a Líbia e a França, foi-lhe oferecido tudo para ir embora e ser recebida como refugiada, mas não quer sair: ‘eu sou daqui, aqui estão meus filhos...’, ela me disse; ela deixou o trabalho e dá formação gratuita aos desempregados para que após o conflito encontrem colocação. Minha irmã está no Líbano, teve que fugir sem nada. Recentemente chegaram 800 famílias que igualmente tiveram de abandonar tudo...”.

Mireille Al Farah fala da fé dos jovens cristãos na Síria
Mireille Al Farah fala da fé dos jovens cristãos na Síria
“Nessa situação, as pessoas se perguntam: ‘o que é que eu vou fazer, fico em casa, saio à rua?’ Mas as pessoas decidiram continuar vivendo, os cristãos continuam enchendo as igrejas. Meus amigos dizem: ‘eu prefiro morrer recebendo o Corpo de Cristo do que ficar em casa no meio do risco’. Os sacerdotes nos ajudam muitíssimo para poder viver essa opção; nos apoiam para manter a esperança”.

E, sublinha Mireille, “quando abraçamos nossa fé a recebemos por completo, nós sabemos que isso implica assumir a perseguição, mas nós aprendemos a lutar. Eu sempre levo a cruz. Ser cristão é algo que nos dá força. Nossos nomes já nos identificam como cristãos”.

E prossegue: “Para nós, os funerais são uma festa, nós os celebramos como se fossem um casamento, ornamos as igrejas com flores brancas... Os mártires são como noivos e noivas que se entregam ao Céu para se unirem a Cristo”.

Interrogada pelo público sobre o que se pode fazer para aliviar o sofrimento dos cristãos perseguidos na Síria e acabar com o terror que padecem, Mireille respondeu:

“Os jovens cristãos sírios vos pedimos duas coisas: informar os outros e unir-vos à nossa oração. De um lado, devemos insistir em denunciar o que está acontecendo, para apressar uma resposta internacional.

“Mas não podemos deixar tudo nas mãos de homens, que são falíveis; tem de vir uma intervenção divina para mudar os corações. Por isso criamos uma corrente de orações para rezar o terço 24 horas, de modo que sempre tenha uma pessoa rezando pela paz na Síria. Orações também para sabermos perdoar, e orações pelos nossos agressores. Estou certa de que com isso a situação poderá mudar”.

“O que vos peço é que não vos oculteis, a fé deve nos trazer sempre a alegria, e não a vergonha.

“Fiquei espantada chegando a Barcelona e vendo a situação. Na Síria eu nunca me senti sozinha na igreja, mas aqui em muitas ocasiões senti-me sozinha, ainda que estando no meio de pessoas no mesmo templo. Temos de pensar no que temos e os outros não têm”, concluiu a corajosa moça católica.


A exposição da jovem síria em Madri (em espanhol):




segunda-feira, 22 de junho de 2015

Centenas de padres fazem curso para uma
“virada para a decência” na liturgia

Padres de toda Inglaterra vão a Bath para apreender a Missa em latim.
Padres de toda Inglaterra vão a Bath para apreender a Missa em latim.



É uma “virada para a decência” litúrgica. Esta é, ao menos, a explicação que ocorreu a Christine Niles, do blog Church Militant, para explicar o que está acontecendo com centenas de sacerdotes britânicos que se inscrevem num curso pago para apreender a rezar o rito extraordinário da Missa, ou Missa em latim.

O fato foi noticiado pelo jornal da cidade onde é feito o curso: o Bath Chronicle.
Em oito anos, o número dos sacerdotes católicos participantes somaria centenas. E no último ano precisaram se inscrever às presas porque as vagas são rapidamente preenchidas.

O curso é fornecido pela Latin Mass Society of England and Wales, dura três dias e aceita sacerdotes, diáconos e seminaristas. Eles não precisam saber latim ou ter alguma experiência prévia com o rito extraordinário. O primeiro curso aconteceu em 2007.

O jornal de Bath comemora o evento, que coloca a pequena e histórica cidade no foco das atenções.

Segundo o jornal, a antiga Missa em latim está cada vez mais popularizada e, nos últimos anos, os candidatos ao curso se inscreveram apressadamente para garantir a vaga.

O diretor da Sociedade pela Missa em latim, Joseph Shaw, elogiou o contexto palaciano do Prior Park College, local onde são ditadas as aulas, que passou por uma reforma para receber tantos interessados: “É um ambiente glorioso para um ritual glorioso da Missa”.

Ele inclui um parque de 28 acres, situado numa colina com vista panorâmica sobre a histórica Bath. Foi construído em 1730 e funciona habitualmente uma escola católica privada.


segunda-feira, 15 de junho de 2015

Vídeo da vitória da família na Câmara Municipal
de São Paulo contra a Ideologia de Gênero!

Votação na Câmara Municipal de SP repele 'ideologia de gênero'



Em votação na Comissão de Finanças da Câmara Municipal de São Paulo, o texto do Plano Municipal de Educação foi aprovado sem as menções à nefasta e absurda “ideologia de gênero”!

Essa vitória só foi possível graças à atuação ordeira e pacífica, porém enérgica de diversas associações de católicos, entre as quais estava o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira!

Apesar desta derrota, os detratores da família querem de qualquer modo implantar essa absurda e ridícula ideologia em nossas escolas!

Votação na Câmara Municipal de SP repele 'ideologia de gênero'
Em outras palavras, eles querem ensinar o seu filho – contra o próprio Deus, a experiência, a natureza, a razão, a ciência e agora, contra a Lei! – que ele não nasce homem ou mulher e deve escolher sua “identidade sexual”, ainda assim podendo mudar quando quiser!

Na votação compareceram diversas associações católicas que marcaram presença em defesa da família!

Ativistas “pró-gênero” também apareceram, mas muito poucos, se comparados à maioria católica e pró-familia! Era uma minoria que – sem argumentos e limitando-se a ofensas e palavras de ordem – tentou vencer no “grito”!

Video: Famílias paulistanas derrotam "Ideologia de Gênero" na Câmara Municipal de São Paulo





segunda-feira, 8 de junho de 2015

1.175 sacerdotes e bispos dos EUA pedem ao Sínodo fidelidade à doutrina e à pastoral familiar da Igreja




Seguindo os passos de mais de 500 padres da Inglaterra e de Gales, 1.175 sacerdotes nos Estados Unidos já assinaram uma carta ao Sínodo dos Bispos sobre a Família, a realizar-se em Roma no próximo mês de outubro.

Em respeitosa carta aberta publicada na imprensa, os sacerdotes britânicos instaram o Sínodo a se manter fiel não só à doutrina, mas também à pastoral católica tradicional da Igreja em matéria de família, noticiou Infocatólica.

O número atualizado de signatários pode ser conferido clicando neste link: CREDO PRIESTS.

Os sacerdotes da Inglaterra e de Gales suplicaram aos padres sinodais que confirmem a fé e desterrem a confusão reinante nos ambientes católicos.

Dita confusão se desenvolveu no período pós-conciliar. Mas virou um tsunami de erros e escândalos após numerosas intervenções públicas do cardeal Walter Kasper e do presidente da conferência episcopal alemã, cardeal Reinhard Marx, arcebispo de Munique.

Cinco bispos americanos também se solidarizaram com a carta dos 1.175 sacerdotes:

Dom Thomas Paprocki, bispo de Springfield, Illinois; Dom James Conley, bispo de Lincoln, Nebraska; Dom Robert Finn, bispo de Kansas City, Missouri; Dom David Kagan, bispo de Bismarck, North Dakota; e Dom Rene Henry Gracida, bispo de Corpus Christi, Texas.

Poucos dias depois, um bispo britânico fez também pública adesão ao pedido dos 500 padres ingleses. Trata-se de Mons. Mark Davis, bispo de Shrewsbury.

Dom Davis agradeceu aos sacerdotes por se manifestarem de modo feliz e sem precedentes, e afirmou que “afirmar a verdade de Cristo, sobretudo nos tempos de crise e confusão, sempre exige uma coragem sobrenatural”.

A atitude de Dom Davis encorajou os bons sacerdotes, sobretudo após a inusitada e virulenta reação contrária do cardeal Vincent Nichols, arcebispo de Westminster, que ultimamente vem escandalizando os fiéis por celebrar missa para um notório grupo LGBT e renegar a imagem de ortodoxia, que outrora lhe fora atribuída.


terça-feira, 2 de junho de 2015

Na festa de Corpus Christi, o hino “Ave Verum”
(“Salve, ó verdadeiro corpo”)




Na Idade Média foram compostas muitas músicas e poesias religiosas em louvor do Santíssimo Sacramento.

Esta grande devoção teve, aliás, imenso incremento no período medieval.

Podemos então dizer que ela ‒ aperfeiçoada pela Contra-Reforma ‒ chegou até nós impregnada do perfume da Idade Média.

A presencia real de Nosso Senhor Jesus Cristo, em Corpo, Sangue, Alma e Divindade na Sagrada Eucaristia está fundamentada nas próprias palavras de Cristo na Última Ceia: “Este é meu corpo, esta é minha sangue”.

A Fé na presença real de Cristo na Eucaristia foi professada universalmente por toda a Igreja desde sua fundação.

Só com o protestantismo que apareceram contestações, aliás mais próximas da chicana do que qualquer outra coisa. Foram sobejamente refutadas pelos Doutores e notadamente pelo Concílio de Trento.

Na crise da fé no século XX, reapareceram falsos teólogos que pretenderam reviver os erros protestantes com outro nome.

É o malfadado progressismo, que tem menos fundamento na verdade do os próprios protestantes. Todos esses erros acabarão ficando à margem da História, como já ficaram os de Calvino, Zwinglio, Melanchton ou Lutero.

Elevação do cálice na Missa, Dorchester Abbey, ©Fr Lawrence OP
No século XI, portanto em plena Idade Média, a Igreja aprofundou o estudo racional da Presença Real.

Esse genuíno desenvolvimento do dogma católico gerou um grande movimento de piedade eucarística.

Um dos seus momentos culminantes foi a instituição da festa de Corpus Christi, em 1264.

Como o povo penetrado de verdadeira fé aspirava ver a Deus feito carne na Hóstia consagrada, foi introduzido na Missa o rito da elevação. Ele acontece logo depois da Consagração.

Durante a elevação, os medievais faziam soar um sino especial, e os fiéis espalhados pela catedral ou pela igreja acorriam para ver e adorar a Hóstia divina.

Também se acendia um círio num alto candeeiro. Posteriormente acendeu-se um castiçal pequeno, também chamado de palmatória, que assim ficava até a comunhão, para significar a presença real de Cristo na Eucaristia.

Nesses felizes tempos medievais em que florescia a fé foram compostos vários hinos ao Santíssimo Sacramento cantados até hoje, ou, pelo menos, até que a desordem progressista não os bloqueou. É de se esperar que essa sabotagem não dure muito.

São Tomás de Aquino, Vaticano

Entre esse hinos fiéis reflexos do dogma católico figura o Ave Verum em posição de destaque.

Ele cantava-se especialmente após a Consagração, quando o verdadeiro corpo de Cristo estava realmente presente no altar, pois o hino começa “Salve, ó verdadeiro corpo”.

A maioria dos autores concorda em atribuir a autoria a São Tomás de Aquino (+ 1274).

Ele fez outros hinos também famosíssimos, cheios de lógica e unção, consagrados a Cristo Sacramentado.

Citemos, pelo menos, o Pange língua, o Verbum supernum prodiens, o Sacris solemnis, o Adoro te devote e a não menos divinamente inspirada seqüência Lauda, Sion, Salvatorem.

Eis o texto do Ave Verum, com sua tradução ao português e sua partitura (gregoriano):

Clique aqui para ouvir (Coro da TFP americana):


Ave verum corpus natum de Maria Virgine
Salve, ó verdadeiro corpo nascido da Virgem Maria

Vere passum, immolatum in cruce pro homine
Que verdadeiramente padeceu e foi imolado na cruz pelo homem

Cuius latus perforatum fluxit aqua et sanguine
De seu lado transpassado fluiu água e sangue

Esto nobis praegustatum mortis in examine
Sê para nós remédio na hora tremenda da morte

O Iesu dulcis, o Iesu pie, o Iesu fili Mariae.
Ó doce Jesus, ó bom Jesus, ó Jesus filho de Maria.

As exclamações finais foram objeto de pequenas adaptações segundo as dioceses.

Fonte: Pe. Manuel Jesús Carrasco Terriza, “Cuerpo de Cristo, arte y vida de la Iglesia”.

O AVE VERUM em gregoriano, monges de Santo Domingo de Silos :



AVE VERUM segundo Wolfgang A. Mozart (interpretação do Coro do King's College, Inglaterra :




segunda-feira, 1 de junho de 2015

Estônia: cismáticos voltam para o catolicismo
fugindo da agressividade russa

Igreja católica de rito greco-católico na capital da Estônia
Igreja católica de rito greco-católico na capital da Estônia
está ficando pequena para acolher as conversões.




Seguidores da igreja greco-cismática dirigida pelo Patriarca de Moscou estão abandonando essa falsa igreja na Estônia.

Eles preferem se encaminhar para o rito greco-católico ucraniano, em boa medida por causa das provocações da propaganda do Kremlin contra a independência de seu país, informou a agência Religion Information Service of Ukraine, RISU.

A líder da associação Congresso Ucraniano da Estônia, Vira Konyk, declarou:

“Muitos jovens que obviamente não pertenciam à comunidade católica estiveram presentes nas celebrações da Páscoa. Verificou-se que a maioria deles provinha da igreja ortodoxa estoniana, dependente do Patriarcado de Moscou.

“Pelo fato de o Patriarcado de Moscou apoiar a agressão russa contra a Ucrânia, o pessoal deixou de ir às suas igrejas e iniciou um percurso rumo ao rito greco-católico da igreja ucraniana, ou UGCC”, disse Vira Konyk.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Povo se opõe: assédio midiático e agenda LGBT
não conseguem fechar pizzaria de cristãos

Memories Pizza: modesta e honrada pizzaria vítima da cristofobia.
Memories Pizza: modesta e honrada pizzaria vítima da cristofobia.



A agressividade da agenda homossexual se abateu sobre os donos da modesta pizzaria Memories, na cidadezinha de Walkerton, no estado de Indiana, EUA, noticiou o Brasil Post.

Acossada pela imprensa local, a filha do proprietário disse que não forneceria comida para um casamento homossexual porque isso ia contra a sua crença.

“Somos um estabelecimento cristão”, disse Crystal O’Connor.

“Não estamos discriminando ninguém. Essa é apenas a nossa crença e todos têm o direito de acreditar no que quiserem”.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

1º de Maio na França: popularidade dos patrões
é bem maior que a dos sindicatos

Franceses preferem os empresários (54% a favor)
que aos sindicatos (33%) porque 'inúteis'.



Segundo sondagem da Odoxa, revelada no 1º de maio, dia do trabalhador, os franceses preferem os chefes de empresa aos sindicatos.

Mais da metade (54%) das pessoas interrogadas manifestaram uma boa opinião dos patrões, enquanto apenas um terço delas (33%) disseram ter uma boa imagem dos sindicatos.

“A má reputação dos sindicatos é geral”, explicou Céline Bracq, diretora geral de Odoxa, citada pelo jornal Le Parisien-Aujourd'hui-en-France.

A repulsa é mais forte por parte daqueles que constituem a base dos sindicatos, 60% dos quais têm uma má opinião a seu respeito.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Nepal: católicos salvos do terremoto por estarem na igreja

Batismos no Nepal.
Batismos no Nepal. Foto AsiaNews



No terremoto do Nepal, caíram às pencas templos, pagodes, mosteiros e inúmeros locais onde se faziam práticas que evocam as palavras da Escritura: “Omnes dii genti daemonia” (“Todos os deuses dos gentios são demônios”, Ps. 95:5).

O abalo sísmico que atingiu o Nepal e algumas áreas da Índia e da China teve seu epicentro a 80 km de Katmandu, capital do país.

Os mortos ainda estão sendo contados, mas poderiam superar os 10.000, segundo o governo nepalês. O país tem 30 milhões de habitantes.

Desses, menos de 8 mil são católicos e sofrem perseguição das leis que querem impedir o batismo dos adultos. Porém, os católicos não deploraram vítimas.

Por exemplo, os habitantes de Okhaldhunga, uma aldeia num lugar afastado no leste do Nepal, foram salvos da morte no terremoto por estarem assistindo a uma Missa de ordenação sacerdotal, informou ACI.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Em Lourdes, os milagres não cessam

Em Lourdes, os milagres não cessam
Em Lourdes, os milagres não cessam



A série de acompanhamentos científicos dos milagres ocorridos em Lourdes começou a bem mais de um século.

O intrincado, longo e exigente processo de comprovação dos mesmos em mais de 7.000 casos perfeitamente individualizados concluiu que a medicina não tem explicação, conferiu a Fundação Cari Filii.

Cabe à Igreja, e não à ciência, a declaração do milagre, pois é um posicionamento religioso.

O dossiê completo de cada caso medicamente inexplicável é encaminhado ao bispo da diocese do beneficiário da cura. O prelado é quem deve proceder a proclamar o milagre.

Porém, até a presente data, os bispos só reconheceram 69 casos como intervenções miraculosas de Deus.

O Escritório Médico de Lourdes deixa por vezes transcorrer décadas no acompanhamento da cura até o reconhecimento final, para ficar claro que ela é verdadeira e definitiva.

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Milionário atribuiu seu sucesso
a Nossa Senhora de Lourdes

O Padre Nicola Ventriglia Omi, mostra fotos de Michele Ferrero no Santuário de Lourdes
O Padre Nicola Ventriglia Omi, mostra fotos de Michele Ferrero
no Santuário de Lourdes



No dia de São Valentim, faleceu o mais bem-sucedido empresário de doces e bombons da Itália.

Nascido em 1924, Michele Ferrero possuía uma fortuna calculada em 20,5 bilhões de euros, a maior do país e a quarta da Europa.

Embora megamilionário, Ferrero era muito diferente do “jet-set”: um ativo devoto de Nossa Senhora de Lourdes, a quem atribuía a vertiginosa ascensão de sua empresa, segundo a Fundação Cari Filii.

Esse filho de chocolateiros da pequena cidade de Alba não se fez rico com malabarismos ou manobras confusas. Ele continuou com a tradição familiar, aplicando muito trabalho e inteligência, mas depositando suas esperanças em Nossa Senhora.

Em 1964, melhorando uma fórmula de seu pai, Ferrero criou Nutella. Lançou também o ovo de chocolate Kinder e as linhas Ferrero Rocher e Mon Cheri.

terça-feira, 31 de março de 2015

461 sacerdotes britânicos pedem ao Sínodo
uma “clara e firme proclamação” da doutrina
e da pastoral milenar da Igreja

461 sacerdotes ingleses pediram ao Sínodo sobre a Família,
uma “clara e firme proclamação” da doutrina e da
pastoral tradicional da Igreja sobre o casamento e a família.



461 sacerdotes da Inglaterra e de Gales assinaram uma carta aberta solicitando ao Sínodo sobre a Família, a realizar-se em outubro de 2015, uma “clara e firme proclamação” da doutrina e da pastoral milenar da Igreja sobre o casamento e a família.

A carta aberta foi publicada no semanário Catholic Herald, um dos mais antigos (1888) e mais respeitados daquele país ().

Eis o texto completo do documento:

Senhor,

Após o Sínodo Extraordinário dos Bispos em Roma, em outubro de 2014, surgiu muita confusão a respeito do ensinamento moral católico. Nesta situação, nós queremos, enquanto sacerdotes católicos, reafirmar a nossa fidelidade inabalável às doutrinas tradicionais relativas ao casamento e ao verdadeiro significado da sexualidade humana, fundamentadas na Palavra de Deus e ensinadas pelo Magistério da Igreja durante dois milênios.

domingo, 29 de março de 2015

Semana Santa: acompanhando a Paixão de Cristo




A Via Sacra ‒ também conhecida como Via Crucis, Estações da Cruz ou Via Dolorosa ‒ é uma devoção que consiste numa peregrinação espiritual ajudada por uma série de quadros ou imagens que representam cenas da Paixão de Cristo.

A Via Sacra mais conhecida hoje é a rezada no Coliseu de Roma, na Sexta-Feira santa, com a participação do próprio Papa.

As imagens representando as cenas da Paixão podem ser de pedra, madeira ou metal, pinturas ou gravuras.

Elas estão dispostas a intervalos nas paredes ou nas colunas da igreja.

terça-feira, 24 de março de 2015

Anunciação e Encarnação do Verbo

Anunciação, Santa Maria delle Grazie, S. Giovanni Valdarno, Arezzo, Itália. Beato Fra Angélico (1395 – 1455)
Anunciação, Santa Maria delle Grazie, S. Giovanni Valdarno, Arezzo, Itália.
Beato Fra Angélico (1395 – 1455)






“O Anjo do Senhor anunciou a Maria”


No dia 25 de março a Igreja celebra este fato incomparável: a Anunciação!

Fra Angélico pintou um quadro da Anunciação: a Virgem Maria encontra-se numa casinha pequena, modesta, limpíssima e em inteira ordem, num claustro composto de umas arcadazinhas.

Ela está sentada com um livrinho de meditação no colo. Uma atmosfera de paz impregna todo o ambiente, quando o arcanjo São Gabriel aparece e se ajoelha diante d´Ela.

E Maria aparece um pouco inclinada ouvindo o anjo falar.

quarta-feira, 18 de março de 2015

A morte de São José

São José em agonia, igreja de São José, Rio de Janeiro
São José em agonia, igreja de São José, Rio de Janeiro

Gregório Vivanco Lopes

No dia 19 de março comemora-se a festa de São José. A propósito, é oportuno reproduzir o Conto inspirado no conjunto escultural representando São José em agonia (foto), que se venera na igreja de São José, no centro do Rio de Janeiro, ao lado da Assembleia Legislativa.

São José chegara ao fim de seus dias. Ninguém como ele, entre tantos varões veneráveis que o precederam na santidade, fora incumbido de missão tão alta. Ele era o guarda e protetor do Filho de Deus feito homem e de sua Mãe santíssima.

segunda-feira, 9 de março de 2015

Criminoso prefere voltar ao cárcere
a fazer vida de capuchinho

Frade franciscano numa velha rua medieval
Frade franciscano numa velha rua medieval




O criminoso David Catalano, 31, foi condenado pela Justiça italiana.

Esta prevê, entretanto, uma prisão alternativa. E no mês de novembro último o réu foi enviado ao convento capuchinho de Santa Maria degli Angeli, perto de Enna, na Sicília, para ali servir e viver num regime especial regido pelos frades, informou o jornal britânico “The Daily Mail”.

Porém, ele não resistiu à austeridade e pobreza dos religiosos capuchinhos, ordem à qual pertenceram muitos santos famosos. E fugiu duas vezes da vida conventual, pedindo para ser confinado num cárcere comum que ele, aliás, já conhecia.

segunda-feira, 2 de março de 2015

Peregrinos a Compostela batem recordes históricos,
como na Idade Média

Peregrino na estrada de Compostela,  mas ainda em Estaing, França!
Peregrino na estrada de Compostela,
mas ainda em Estaing, França!


Uma das grandes romarias da Idade Média está reverdecendo no século XXI! Trata-se da peregrinação a pé até o túmulo do Apóstolo Santiago em Compostela, Espanha.

As distâncias podem ser enormes, segundo os pontos de partida oficiais existentes no mundo alemão, na França, na Espanha e em outros países.

Além da caminhada, alguns fazem o percurso a cavalo ou de bicicleta, seguindo uma estrada com opções que vêm dos tempos medievais e que está reservada aos fiéis: é o Caminho de Santiago.

Em 2014 ele foi percorrido por 237.810 romeiros inscritos (não contabiliza os que vão por conta própria), um recorde dos tempos modernos. O ano anterior foram 215.880, informou “El blog del Camino de Santiago”.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

A história do menino que sonhava em ser sacerdote
sob a perseguição comunista

Dom Sviatoslav Shevchuk, Primaz do rito greco-católico,
o maior dos ritos orientais da Igreja Católica

Em entrevista para a Catholic Radio and Television Network, o Arcebispo-mor de Kiev-Galícia e de toda a Rússia, Dom Sviatoslav Shevchuk, Primaz do Rito greco-católico na Ucrânia, fez reveladoras confidências sobre sua formação eclesiástica acontecida sob o socialismo soviético. “Zenit”.

O rito greco-católico é o maior dos ritos orientais da Igreja Católica: mais de 10 milhões de fiéis, incluindo a Ucrânia e a diáspora. Cerca de meio milhão deles reside no Brasil, especialmente no Paraná e em Santa Catarina.

Dom Sviatoslav explicou que cresceu numa sociedade totalmente ateia. Na escola “nos ensinavam que Deus não existia”. Só a família transmitia a fé crista.

O jovem arcebispo disse que a primeira vez que viu um padre foi por ocasião de um enterro.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Santa Teresinha e a parábola do escritor Saint-Exupéry






O escritor e aviador francês Saint-Exupéry (1900-1944) descreve simbolicamente em seu livro Vol de Nuit (voo da noite) a situação da pessoa que, almejando colocar-se acima das misérias terrenas, procura com avidez alcançar o sublime. Vamos primeiro ao texto, que comentaremos depois.

Imagina ele um aviador de nome Fabien voando em meio a uma tormenta que parece arrastá-lo para o sorvedouro:

“E foi num momento destes que algumas estrelas brilharam sobre a sua cabeça, num rasgão da tempestade [...]. Sua fome de luz era tal, que Fabien subiu. [...]

Sofrera tanto em busca duma luz, que já não largaria mesmo a mais confusa. Sentindo-se afortunado com aquele pobre clarão, seria capaz de dar voltas, até cair morto, em torno daquele sinal do qual andava faminto. E ei-lo subindo até os campos de luz.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Dezenas de milhares de italianos manifestam pela família sem ligar para as agressões LGBT

Bologna: violências, insultos, agressões. A estrema esquerda  e a agenda LGBT parecem não ter outros argumentos
Bologna: violências, insultos, agressões. A estrema esquerda
e a agenda LGBT parecem não ter outros argumentos

Centenas de pessoas que se manifestavam em silêncio pela família foram agredidas verbal e fisicamente por militantes da agenda homossexual e agitadores anarquistas em diversas cidades da Itália noticiou a agência “LifeSiteNews”.

O fato se repetiu nas cidades de Bolonha, Turim, Gênova, Aosta e Rovereto. Os católicos manifestavam segundo o método dos “Sentinelle in Piedi” (sentinelas de pé), popularizado na França na onda das “Manif pour tous” contra o “casamento” homossexual e a agenda socialista pró-LGBT.

Essas manifestações aconteceram em 100 cidades italianas com a participação de 10.000 pessoas.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Nossa Senhora de Lourdes não nos abandona
nem nas piores situações


Na novena de Nossa Senhora de Lourdes (11 de fevereiro) publicamos uma reflexão sobre a festa, tiradao do blog "Lourdes e suas aparições" (Nossa Senhora de Lourdes não nos abandona nem nas piores situações):

Não é admissível supor que Nossa Senhora nos abandone, sobretudo quando os tempos estão muito complicados.

É preciso confiar de todo jeito. Quaisquer que sejam as dificuldades nesse tempo, Ela não nos abandonará.

Pelo contrário, nós seremos protegidos por Ela de modo inesperado, de modo milagroso se for preciso.

Nós devemos nos habituar a viver a vida prática com todo o espírito de Fé.

E, ao mesmo tempo, a conviver com a esperança do milagre como se fosse uma coisa que não é para de vez em quando acontecer. Porque a atmosfera de Lourdes nos ensina que o milagre é fato frequente de todos os dias.