quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Ator católico recusa fazer cenas de sexo e perde um milhão de dólares

O ator com sua família
O ator católico Neal McDonough recusou-se a protagonizar cenas de sexo explícito na cadeia de TV ABC, e agora é produtor e protagonista de uma série sobre a história de um policial que deixou o uniforme para se tornar sacerdote.

O ator é casado e pai de três filhos e perdeu um milhão de dólares porque quer manter seus princípios, informou a agência ACI Prensa.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Tradição, requinte e perfeição: fórmula do sucesso tranqüilo da Patek Philippe

As guerras e os desabamentos econômicos não abalaram a tradicional casa suíça de relógios de luxo Patek Philippe. A casa não entrou na ciranda da globalização, das fusões e aquisições visando uma expansão ilimitada.

A Patek Philippe foi fundada em 1839 e ficou estritamente familiar. Hoje tem tantos clientes que não consegue atende-los, mas não pretende mudar.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Achado no Báltico champagne presente de Luis XVI ao czar da Rússia

O champagne mais antigo do mundo em condições de ser bebido foi resgatado de um navio que jaz afundado no Mar Báltico, informou o site “Discovery News”.


quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Ministra da Igualdade polonesa defende expulsão de mestres homossexuais das escolas católicas


A ministra polonesa da Igualdade, Elzbieta Radziszewska, declarou que as escolas católicas têm perfeitamente direito a expulsar as professoras lésbicas, e com maior razão transexuais, noticiou Chrétienté Info.

Ela disse ser lógico que os estabelecimentos católicos discriminem na hora de empregar, sobre tudo os candidatos homossexuais “porque a sexualidade e o modo de vida deles não são conformes à ética dessas escolas”.

A ministra Elzbieta falou assim num debate na TVN, uma das maiores TVs do país, polemizando com Krzysztof Smiszek, diretor da Sociedade Polonesa pela Anti-discriminação.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Etiqueta e protocolo em ambiente aristocrático tranqüilizam as crianças

O Alvear Palace Hotel de Buenos Aires inaugurou um curso intensivo de etiqueta, protocolo e boa educação para 30 crianças de 8 a 13 anos.

Elas se sentam adequadamente em mesas com louça de porcelana, copos de cristal e talheres de prata.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Multidão aplaude idéia dos EUA se voltar de novo para Deus

Uma multidão ‒ entre 500.000 e 100.000 pessoas segundo as versões pró e contra ‒ reuniu-se em Washington atraídas pela idéia de os EUA “se voltar de novo para Deus”, informaram “The Washington Times”, “The Washington Post” e “The New York Times”.

sábado, 30 de outubro de 2010

Vocação e missão providencial do Brasil

No anoitecer em São João d’El Rei, o imponderável das ruas evoca um Brasil que deveria ter sido, um Brasil que não podemos admitir que nunca venha a ser.

Traz uma saudade de um Brasil tão diferente disso que hoje presenciamos, que até parece um sonho.

Mas não é um mero sonho, é uma promessa:

É a promessa da Providência Divina, que chamou o Brasil para uma missão especial.

Qual é essa missão providencial?

O que diz essa promessa?

Ei-la:

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Bispos não podem dormir sem antes alertar contra o aborto, diz chefe do Supremo Tribunal do Vaticano


(Roma, 20 de Outubro de 2010)

Em Roma, o arcebispo Raymond L. Burke, presidente do Supremo Tribunal da Signatura Apostólica (tribunal supremo da Santa Sé), e recentemente apontado para receber a púrpura cardinalícia por S. S. Bento XVI, concedeu entrevista a Thomas McKenna, fundador e presidente da associação Ação Católica pela Fé e Família, dos EUA. http://www.catholicaction.org/

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Importantíssimo: Papa Bento XVI acaba de pronunciar discurso sobre a situação política brasileira

Bento XVI acaba de se pronunciar sobre o momento político brasileiro.
Fala contra projetos do tipo PNDH-3, contra o aborto e a eutanásia.
Os católicos têm obrigação de tomar conhecimento,
sobretudo no momento pelo qual passa o Brasil


Bento XVI: "Em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum (cf. GS, 75)".
Hoje às 7 horas da manhã (horário de Brasília) o Papa Bento XVI recebeu em Roma os bispos da Regional Nordeste 5 (Bispos do Maranhão) e tratou da defesa da vida e do dever que os bispos tem de, sempre que necessário, se pronunciarem sobre eleições.

Halloween: data preferida para profanações satanistas na França

Túmulos profanados na cidade de Havre, França

A festa do Halloween tem significados e efeitos satânicos, na França pelo menos.

Os profanadores de túmulos e lugares sagrados preferem essa data e as da fundação da Igreja de Satanás nos EUA, do Ano novo satanista, do aniversário de Adolf Hitler e dos solstícios e equinócios (festas neo-pagãs comemoradas pela Nova Era), para seus crimes.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Tiara volta ao brasão pontifício

Brasão pessoal de S.S. Bento XVI, com a tiara, ou coroa do Papa


No domingo 10 de outubro foi ostentado pela primeira vez o brasão de S.S. Bento XVI com a tiara pontifícia, símbolo exclusivo dos Papas.

Até o presente, em seu lugar, havia uma mitra, símbolo próprio de um bispo.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

No drama, Chile voltou-se para a religião

Altar improvisado junto à entrada da mina
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




O dramático e feliz resgate dos 33 mineiros chilenos soterrados durante 70 dias inspirou uma explosão de religiosidade no povo chileno.

Essa religiosidade parecia, ela também, soterrada pelo ambiente hodierno de laicismo, imoralidade e igualitarismo.

Porém, diante da morte, os mineiros montaram um altar no refúgio que poderia ter sido seu túmulo e, logo que puderam, pediram imagens religiosas.

O exemplo repetiu-se no Chile todo e até o presidente “instalou uma imagem de São Lourenço, padroeiro dos mineiros no palácio presidencial”, segundo a agência ACI.

O dramático e feliz resgate dos 33 mineiros chilenos soterrados durante 70 dias inspirou uma explosão de religiosidade no povo chileno.

Essa religiosidade parecia, ela também, soterrada pelo ambiente hodierno de laicismo, imoralidade e igualitarismo.

Porém, diante da morte, os mineiros montaram um altar no refúgio que poderia ter sido seu túmulo e, logo que puderam, pediram imagens religiosas.

O exemplo repetiu-se no Chile todo e até o presidente “instalou uma imagem de São Lourenço, padroeiro dos mineiros no palácio presidencial”, segundo a agência ACI.


quarta-feira, 13 de outubro de 2010

“Não podemos nos calar” diante de projeto contra a vida, diz arcebispo da Paraíba

Dom Aldo Di Cillo Pagotto, Arcebispo Metropolitano da Paraíba, fez um importante pronunciamento relativo ao segundo turno da eleição presidencial que opõe os candidatos Dilma Rousseff e José Serra.

O pronunciamento pode ser visto e ouvido em Youtube, Gloria.TV e muitos outros sites.

O próprio arcebispo encarregou a seus diocesanos de o divulgarem.

A clareza dos conselhos e ensinamentos pronunciados por Dom Pagotto dispensam comentários.

Reproduzimos a continuação um excerto de dito pronunciamento.

Está em jogo o fundamento do cristianismo

De início, o prelado alertou que “engana-se quem que esteja em jogo a escolha dos candidatos”. O que está em jogo é o próprio fundamento do cristianismo, explicou:

“A humanidade tem assistido nas últimas décadas ao trabalho internacional calculado e planejado que pretende modificar radicalmente as concepções básicas do cristianismo no tocante ao papel da família, a dignidade da família humana e à ética que foi o pilar fundamental para a revolução da civilização que nós construímos.

Veja vídeo
Arcebispo de Paraíba:
em face de candidata que quer o aborto:
“Não podemos nos calar”

“Os conceitos de vida, de dignidade humana estão ameaçados no mundo de hoje como nunca se viu na história.

“A ONU vendo já suficientemente arraigada a cultura do aborto pretende reconhecê-lo não mais como um mal menor a ser tolerado mas como um direito humano fundamental a ser promovido, enquanto no mundo dito desenvolvido se procura introduzir a prática pela qual as pessoas mais idosas quando suas vidas não evidenciam mais os sinais de utilidade social ‒ não produzem mais ‒ mesmo que ainda estejam em pleno gozo de saúde peçam elas a própria morte disfarçada sob o rótulo de um novo direito: a eutanásia.

“Todos esses ataques à vida e à dignidade humana são a face mais visível de um projeto amplo que atinge a sociedade de hoje.”

O PT respalda a “cultura da morte”

Dom Pagotto lembrou que essa “cultura da morte” foi denunciada por todos os Papas mais recentes, sem exceção, e que a “cultura de morte” começou a ser introduzida no Brasil graças a financiamentos maciços internacionais bem conhecidos e denunciados.

"Católicas pelo direito de decidir"
fazem parte da ofensiva anti-vida
paga pela ONU e ricas fundações estrangeiras

“Em 2003, precisou D. Pagotto, [a cultura da morte] encontrou respaldo no Partido dos Trabalhadores que nesse ano tinha alcançado o poder. Desde que chegou ao poder o Partido dos Trabalhadores assumiu como projeto de governo a completa legalização do aborto no Brasil.

“O Partido não escondeu a sua agenda, antes, paradoxalmente passou a negar com insistência o que ele fazia publicamente mesmo diante de todas as evidências ao contrário. O brasileiro maciçamente é contrário ao aborto.

“Ao longo desses anos isso se repetiu várias e várias vezes. Pode se concluir que para este Partido esta atitude pró-aborto não é um mal-entendido, não é equivoco, nem é uma fraqueza, nem é um vício, nem um erro de percurso, mas constitui a própria estratégia para implantar a “cultura de morte” no Brasil.

“Desde o início de seu mandato o atual governo considerou a completa liberalização do aborto como seu programa de governo.”

“Direito humano ao aborto” é chicana, enganação

A continuação, o arcebispo metropolitano da Paraíba passou a enumerar conscienciosamente as medidas adotadas pelo governo para liberar o aborto embora proferindo aparentes e contraditórias negações.

“Insistentemente, ‒ continuou Dom Aldo ‒ então, se fala do aborto como direito. Isto é no mínimo uma chicana, uma enganação, uma controvérsia inaceitável, intolerável, e o direito à vida e à família é irrenunciável para nós, humanistas e cristãos”.

O prelado relembrou que no dia 8 de agosto de 2005 o presidente Lula “negou todas essas declarações enviando à Assembléia Geral dos Bispos do Brasil reunida em Itaicí, então, uma carta assinada pelo próprio punho publicada por toda a imprensa, na qual ele negava jurando pela fé que havia recebido de sua mãe que tivesse qualquer intenção de legalizar o aborto no País.

“Os fatos desmentiram as palavras do presidente quando o governo encaminhou à Câmara de Deputados um projeto de lei que pretendia legalizar o aborto durante todos os nove meses de gravidez, tornando-o completamente livre, por qualquer motivo, desde desde a concepção até o momento do parto. São vários projetos.”

O prelado deplorou a “desonestidade” do procedimento do PT que “quase alcançou seu objetivo”.

O douto prelado fez um longo elenco das iniciativas pelo aborto promovidas pelo governo petista apontando a radicalidade delas, inclusive a inclusão no Estatuto partidário.

Candidata petista contradiz evidências

2007, 13ª Conferência Nacional Saúde:
governo tentou aprovar resolução pelo aborto.
Responsáveis da saúde recusaram e foram desconsiderados.
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
E prosseguiu: “Já no início desta campanha presidencial de 2010, a candidata pelo Partido dos Trabalhadores afirmou que os bispos católicos que a acusavam de pretender promover o aborto partiam de um pressuposto errado, pois nem ela nem o atual governo, segundo as suas palavras, jamais teriam sido a favor do aborto.

“A candidata ignorou que alguns dias antes o governo brasileiro havia elaborado e promovido em parceria com a ONU a assinatura do chamado ‘Consenso de Brasília’ um documento que recomenda a legalização do aborto não somente no Brasil como em toda a América Latina.

“Não ficamos apenas nisso. Nesta primeira semana de outubro a candidata que nas últimas semanas tem afirmado ser a favor da vida acrescentou pertencer a uma família católica e que não apenas é mas que também sempre foi a favor da vida, sem aparentemente importar-se com o fato de que circula livremente na Internet um vídeo no qual em uma gravação realizada no dia 4 de outubro de 2007, ela mesma declara ‘o aborto deve ser descriminalizado. Hoje no Brasil constitui um absurdo que o aborto não tenha sido ainda descriminalizado’.

Após reconstituir a verdade dos fatos, o arcebispo da Paraíba, apresentou suas conclusões:

“Não posso como pastor compactuar com este trabalho de desinformação e de manipulação das consciências.

“Então aqui nós não estamos entrando em política partidária. Não, absolutamente não cabe à Igreja imiscuir-se na política partidária, nem indicar políticos ou partidos. mas é dever da Igreja, dos pastores alertar sobre o voto que tem as suas conseqüências, formar a consciência cidadã, formar a consciência ética com os princípios e fundamentos humanitários e cristãos”.

Ditadura está no horizonte

Presidente Lula na 1ª Conferência Nacional GLBT.
"Cultura da morte" é respaldada pelo PT, diz arcebispo.
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr.jpg
“Quando os representantes do governo se expressam de caso pensado desta maneira não existe mais credibilidade para suas afirmações. A experiência política e a História advertem amplamente que quando a democracia se converte neste tipo de demagogia já é a ditadura que está no horizonte.

“E uma advertência do mesmo teor no-la dá o Evangelho quando ensina que o nosso falar deve ser o ‘sim seja sim, o não seja não’. Ficar encima do muro é péssimo, é desonesto, não é cosa nem de homem...

“Em 1948, é bom saber a história, era uma situação semelhante durante as eleições também históricas na Itália quando a Santa Sé promoveu por iniciativa direta do Sumo Pontífice um extenso trabalho de divulgação da verdade junto ao povo italiano.

“Naquela ocasião Sua Santidade Pio XII justificou a mobilização de 20.000 comitês e 300.000 voluntários em toda a Itália com as célebres palavras do Apóstolo Pedro: “Non possumus non docui” ‒ “Nós não podemos ficar calados”.

Junto com o Apóstolo São Pedro: “Nós não podemos ficar calados”

“Hoje, ao seguir este mesmo exemplo os bispos brasileiros especialmente os bispos de São Paulo a quem eu aplaudo veementemente com muito amor e solidariedade, estão seguindo a tradição profética da Igreja em comunhão com o Papa Bento XVI.

“Estamos diante de um Partido que está institucionalmente comprometido com a instauração da cultura da morte em nosso País, que proíbe os seus membros de seguirem suas próprias consciências, que se utiliza calculadamente da mentira para enganar eleitores sobre seus verdadeiros projetos para a Nação.

“Repetimos com o Santo Padre: “Não podemos nos calar ‒ a Verdade nos libertará”.

“Quero, portanto, pedir o empenho de todos os meus diocesanos para que este vídeo seja divulgado junto ao maior número de fiéis.

“Quero pedir também o auxílio de todos para a divulgação de um documento semelhante intitulado ‘Apelo a todos os brasileiros e brasileiras’ elaborado, repito, com a expressa recomendação da mais ampla divulgação pela Regional Sul I da CNBB , entidade que congrega os bispos católicos do Estado de São Paulo.

“O apelo dos bispos de São Paulo contém as mesmas denúncias desta gravação.

“Eu peço a Deus que abençoe todos os meus diocesanos, cristãos. pessoas de boa vontade, e que esta bênção possa se estender a toda a nossa Nação tornando-se um berço de luz, de fé, de caridade, de amor de defesa e promoção à vida e à família.

“Deus abençoe a todos.”


Video: Pronunciamento do Arcebispo da Paraíba para o 2º turno 2010




Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Vida ou anti-vida? Religião ou perseguição? Jesus Cristo ou socialismo? Padre fala e política fica abalada

O Pe. José Augusto Souza Moreira, responsável pela formação dos padres da Canção Nova, pronunciou homilia se fundamentando no Evangelho e na natureza da vocação sacerdotal e apontou a incompatibilidade do plano de governo com o catolicismo.

O sermão feito durante a Missa foi medularmente religioso.

Entretanto, desencadeou uma ofensiva de críticas - de essência também religiosa por parte da esquerda católica - e de intimidações de fonte partidária.

Essas reações reforçaram a denúncia do sacerdote no sentido que paira sobre o Brasil uma ameaça muito real de perseguição religiosa.

A Canção Nova, em comunicado oficial assinado pelo seu fundador Mons. Jonas Abib dissociou-se do gesto do Padre José Augusto e retirou o vídeo do sermão de seu site e de Youtube.

Veja vídeo
Homilia do Pe. José Augusto
PARTE I
Veja vídeo
Homilia do Pe. José Augusto
PARTE II

O vídeo, entretanto, encontra-se em diversos endereços, inclusive em sites como Youtube ou Gloria.tv.

O Pe José Augusto, entretanto, parecia prever o que viria, pois afirmou no referido sermão:

“Podem me matar, podem me prender, podem fazer o que quiser. Não tenho advogado nenhum. Podem me processar e, se tiver de ser preso, serei. Não tem problema, mas eu não posso me calar diante de um partido que está apoiando o aborto, e a Igreja não aprova”.

A homilia do Pe. José Augusto está tendo larga repercussão internacional nos sites e agências católicas, grupos pró-vida e pro-democracia.

Apresentamos a continuação o vídeo com a homília completa (dividido em duas partes) do destemido sacerdote para que o leitores possam avaliar serenamente a gravidade dos perigos para o Brasil na atual encrucilhada.

Homilia do Pe. José Augusto, 1ª parte



Homilia do Pe. José Augusto, 2ª parte




Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Santa Teresinha (3): perfeição que tem no Santo Sudário seu modelo acabado

Continuação da postagem anterior

CONCLUSÕES: A infância meditativa

Ela tinha o costume de subir a uma parte mais alta da casa, para ver as estrelas à noite, etc. E a “História de uma alma” ‒ que equivale a suas Memórias” ‒ fala das infinitudes que havia no pensamento dela.

Santa Teresinha tinha em si toda a doutrina contra-revolucionária, mas não tinha a missão de explicitá-la. Ela tinha a missão de morrer pelos contra-revolucionários, de viver, de traçar a Pequena Via que torna a Contra-Revolução acessível ao grosso dos que a seguem. Mas havia todo um firmamento de idéias nela, o qual já desde essa idade se prenuncia.

Era uma criança altamente meditativa. No fim da vida, quando estava madura para o Céu, e portanto quando tinha atingido a santidade a que a havia destinado o desígnio da Providência, ela contava que quando tinha por volta dos dez anos ‒ quer dizer, um pouquinho mais velha do que está aqui ‒ ia com a irmã a um belvedere lá dos Buissonnets, e tinham conversas em que ela recebia tantas ou mais graças do que as que receberam Santo Agostinho e Santa Mônica no famoso colóquio da hospedaria de Óstia, pouco antes de Santa Mônica morrer. Portanto, quando a santidade de Santa Mônica estava consumada, e ela estava para ir para o Céu.

No fundo, nota-se isso no olhar dela. Não se pode descrever um olhar.

Se se perguntasse a São Pedro o que lhe disse o olhar de Nosso Senhor, o que poderia ele responder? Responderia: “Ele disse algo por onde eu chorei a vida inteira. As lágrimas mais amargas e mais doces que jamais se choraram, depois das de Nossa Senhora, chorei-as eu”.

E não teria outra coisa para dizer, pois o olhar é algo de inefável. Ou se vê aqui esse olhar e se sente, ou não se o vê, e não posso fazer nada.

A um só olhar estava reservado algo que é supra-excelente: ver, olhar com as pálpebras descidas. Este é o olhar do Santo Sudário. Ali Nosso Senhor está com as pálpebras descidas, mas Ele olha. E que olhar! Nós só não choramos porque não somos São Pedro.

A principal etapa da vida

Santa Teresinha morreu aos 24 anos. A sua infância marcou tão profundamente os rumos de sua vida, que é a mais ilustrativa para se conhecer o seu espírito.

Tenho impressão de que na vida de Santa Teresinha os pontos culminantes são a sua infância e o fim, às vésperas da morte.

Quando ela escreveu sob obediência seus “Manuscritos Autobiográficos”, não falou quase nada de sua vida no convento. Só mais tarde, para atender sua Priora, é que falou de sua vida de freira.

A infância, para ela, foi tudo. Por quê? Porque foi uma infância profundamente consciente, meditada e raciocinada.

Aqui está um elemento precioso para o conceito de infância espiritual.

Não é bobeira, não é tolice, muito menos irreflexão.

É, de dentro de uma alma pequena, de uma alma de criança, ser capaz das maiores coisas; com uma apresentação amável, afável e autêntica, não a pura apresentação do espírito de uma criança.

Aqui, a meu ver, está a nota: Santa Teresinha poderia repetir que as nossas cogitações e as nossas vias não são as dela.

Mas não é o que ela nos diria. A sua missão é a de, pela sua presença, e como num “flash”, apresentar a via dela e atrair, arrastar para a sua via. E isso com o afável, com o pequeno, o acessível, o encantador que a infância tem.

Mas que infância meditativa! Que infância fecunda! Uma infância que se pode comparar ao fim da vida de Santa Mônica! É uma santa falando de si mesma.

Aí se vêem os tesouros de maturidade, de meditação, de profundidade, e, se necessário for, de atividade, que cabem dentro da verdadeira infância espiritual.

Foi ela quem disse: “Para o amor nada é impossível”. Em nossa linguagem isso se traduz: “Para o enlevo, para o zelo do verdadeiro católico, nada é impossível”.

Aqui está Santa Teresinha do Menino Jesus, com todo o tesouro de meditação que tinha, e que pode existir numa alma de criança, como a que ela conservou até o summum de sua maturidade. É preciso ver bem: viveu a infância fiel a si mesma, sendo ela mesma até o apogeu de sua maturidade. É uma coisa magnífica.

(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, conferência proferida em maio de 1968)

Santa Teresinha do Menino Jesus: datas da vida (3/3)




Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Santa Teresinha (2): perfeição que tem no Santo Sudário seu modelo acabado

Continuação da postagem anterior

5ª) O sorriso

Numa parte mais delicada da análise, percebemos que a boca é reta, com os lábios finos e muito firmes. É uma firmeza na qual não existe uma gota de amargura.

Pelo contrário, há um certo sorriso indefinível. Falam tanto do sorriso da Gioconda, mas isto é que é sorriso! Ela não está nem um pouco sorridente, mas há um sorriso indefinível nos lábios dela. Há qualquer coisa nela que sorri, sem que se possa propriamente dizer que ela está sorrindo.

Tem-se a impressão de que o fotógrafo disse a ela para sorrir, e ela, para não desatender a ele, esboçou qualquer coisa vagamente à maneira de sorriso.

Há algo de sorriso espalhado no rosto dela: está um pouco nos olhos, um pouco nos lábios, está numa afabilidade geral da pessoa. Ela está numa posição muito afável e muito acolhedora, numa posição de muito boa vontade em relação a todo mundo.

No entanto, é uma atitude risonha que indica ao mesmo tempo força de alma e caráter, no sentido próprio da palavra.

É o contrário dessas imagens sulpicianas de Santa Teresinha que se encontram por aí: derramando rosas, e sorrindo não se sabe de que jeito. Não têm nada deste sorriso.

Aquele é um sorriso de boneca de louça, mas esta aqui não tem nada da boneca de louça.

É um sorriso por detrás do qual há um pensamento. E é o lado pensamento que propriamente se deve atingir.

6ª) O nariz, a boca e a testa

O nariz tem uma forma um pouco proeminente, tem um pouco de combate, um pouco de luta.

Os lábios, apesar do sorriso, são finos e firmes, de quem tem verdadeiro caráter.

Analisando-se a testa, vê-se que é ligeiramente bombeada e, aliás, muito alta. A pessoa que a penteou, até puxou o cabelo para baixo, para disfarçar isso. Vê-se que ela tinha até muito cabelo.

Eu vi no museu de Lisieux a trança dela, uma trança loura magnífica, de cabelos abundantes. Mas a nascente era um pouco alta.

7ª) Os olhos

Considerando agora os olhos, observa-se que é sobretudo neles que reside aquele sorriso.

Notem que a expressão de fisionomia, a expressão do olhar, tem um pouco do que o francês chama de espiègle ‒ um pouco de esperteza, um pouco de graça ‒ na expressão do olhar.

Concentrando-se a atenção nos olhos, acaba-se percebendo que há nesse olhar todo um firmamento, um mundo de reflexão, de início de reflexão.

8ª) A contemplação

Para quem é que esse olhar está mirando?

Ele não olha para nada definidamente. Mira um ponto vago, indefinido, mas com uma espécie de enlevo, de consideração, de contemplação enlevada, afetuosa, respeitosa.

Em última análise, é o próprio de um espírito possantemente contemplativo. Na sua aurora, na sua primavera, é verdade, mas possantemente contemplativo, meditativo, interior, próprio a olhar as coisas do espírito, a olhar as coisas metafísicas, a olhar horizontes mentais mais ou menos infinitos.

É um olhar que paira no infinito, numa esfera completamente diferente daquela onde paira comumente o pensamento dos homens.

Santo Agostinho disse de si, nas “Confissões”, a respeito da sua infância: “Tão pequeno menino eu era, já tão grande pecador”.

Dela se poderia dizer: “Tão pequena menina era, e já uma tão grande santa”. Porque o seu olhar tem qualquer coisa que me custa exprimir adequadamente, mas que é aquela impostação da alma em coisas que são inteiramente superiores. Não indiferentes, nem hostis, nem alheias, mas superiores ao concreto, ao contingente, ao transitório, ao passageiro, ao individual.

Não é uma pessoa preocupada consigo. Ela aqui não se importa com o efeito que vai causar no fotógrafo; está de pé, do modo como ela é.

Disseram a ela que fosse posar para uma fotografia, e ela foi, obediente como os meninos do Evangelho, que Nosso Senhor acariciou, e aos quais é reservado o Reino dos Céus (Mat. XVIII, 3).

Não é uma menina filósofa, nem um pouco. Seria uma caricatura. Ela não é vesga, está numa pose e prestou atenção na máquina fotográfica, mas é como numa parte do rés-do-chão da alma dela.

Por cima desse rés-do-chão, que funciona perfeitamente bem, há toda uma outra construção.

Nessa idade, ela poderia dizer a nós aquilo que Nosso Senhor disse, pela boca do profeta Isaías, e que é uma das frases mais tristes, uma das suas queixas mais bonitas, onde a divina superioridade dEle se afirmou do modo mais magnífico: “As minhas cogitações não são as vossas cogitações, nem as vossas vias são as minhas vias” (Is. LV, 8).

É magnífica essa ligação das idéias de cogitação e via: a cogitação do homem como que dirigindo a sua via, e sendo prenúncio de todas as harmonias da via. E a elevação das cogitações dEle!

Pensem um pouco no Santo Sudário. Que cogitações! Aquilo é cogitar! Que vias! Aquela face do Santo Sudário não poderia dizer para nós as mesmas palavras de Isaías? Poderia, perfeitamente.

Santa Teresinha aqui também poderia nos dizer ‒ Christianus alter Christus ‒ que “as minhas cogitações não são as vossas cogitações, nem as vossas vias são as minhas vias”.

Caberia que ela o dissesse. Por quê? Porque ela está numa impostação de alma supinamente meditativa, pouco comum.

Ela aqui é toda sacral (“sacral” é aqui empregada no sentido do sagrado posto na ordem temporal ou profana). Não é a meditação de uma filósofa ou de uma teóloga, mas de uma santa.

É a oração ‒ que propriamente é o convívio da alma com Deus ‒ que está posta aí.


Video: Santa Teresinha: lembranças da infância



Continua na próxima postagem

(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, conferência proferida em maio de 1968)


Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

São Miguel Arcanjo: Príncipe da Milícia celeste, poderoso escudo contra a ação diabólica

Comemora-se a 29 de setembro a festa do glorioso São Miguel, cuja invicta combatividade em defesa do Deus onipotente é assim descrita no Apocalipse:

“Houve uma batalha no Céu: Miguel e os seus Anjos guerrearam contra o Dragão. O Dragão batalhou, juntamente com os seus Anjos, mas foi derrotado e não se encontrou mais um lugar para eles no Céu” (Apoc. 12, 7-8).

E o Profeta Daniel refere-se a São Miguel nos seguintes termos:

“Naquele tempo, surgirá Miguel, o grande Príncipe, constituído defensor dos filhos do seu povo [isto é, o povo fiel católico, herdeiro, no Novo Testamento, do povo de Israel], e será tempo de angústia como jamais houve” (Dan. 12, 1).

São Miguel é comumente designado como Arcanjo. Entretanto, tal qualificação pode ser genérica e não significar que ele pertença ao oitavo coro de Anjos (os Arcanjos).

A esse respeito, merece ser reproduzida significativa citação do grande exegeta jesuíta Pe. Cornélio A Lapide, nascido em Bocholt, província belga de Limburgo, em 1567, e falecido em Roma, a 11 de março de 1637.

A extensa obra desse insigne autor, que comentou todos os livros do Antigo e do Novo Testamento, é até hoje universalmente admirada. Merecem especial destaque a grande erudição, a escrupulosa diligência e o luminoso engenho com que ele trata da Sagrada Escritura.

Embora num ou noutro ponto do texto bíblico tenham surgido novas questões, é incontestável que seus magníficos comentários e eruditas citações ainda hoje gozam de autoridade. Eis suas palavras:

Imagem de São Miguel, com elmo e revestida de armadura medieval, colocada na flecha da torre da Abadia do Mont Saint Michel (França)

“Muitos julgam que Miguel, tanto pela dignidade de natureza, como de graça e de glória é absolutamente o primeiro e o Príncipe de todos os anjos.

“E isso se prova, primeiro, pelo Apocalipse (12, 7), onde se diz que Miguel lutou contra Lúcifer e seus anjos, resistindo à sua soberba com o brado cheio de humildade: ‘Quem (é) como Deus?’ Portanto, assim como Lúcifer é o chefe dos demônios, Miguel o é dos anjos, sendo o primeiro entre os Serafins.

“Segundo, porque a Igreja o chama de Príncipe da Milícia Celeste, que está posto à entrada do Paraíso.

“E é em seu nome que se celebra a festa de todos os anjos. Terceiro, porque Miguel é hoje cultuado como o protetor da Igreja como outrora o foi da Sinagoga.

“Finalmente, em quarto lugar, prova-se que São Miguel é o Príncipe de todos os anjos, e por isso o primeiro entre os Serafins, porque o diz São Basílio na Homilia De Angelis: ‘A ti, ó Miguel, general dos espíritos celestes, que por honra e dignidade estais posto à frente de todos os outros espíritos celestiais, a ti suplico...’”

(fonte: Cornélio A Lapide, Commentaria in Scripturam Sacram, t 13, pp. 112-114. Apud "Catolicismo", setembro de 2000).

Cânticos gregorianos para a festa de São Miguel Arcanjo:

Se seu email não visualiza corretamente os botões para as trilhas sonoras, CLIQUE AQUI

Introito “Benedicite Domino"



Laudate Deo omnes Angeli



Stetit angelus (Alleluia)



Benedicite omnes angeli (Comunhão)


Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Modelos clássicos: última palavra em Nova Iorque

Coleção "heritage" ("Herança")
Grandes griffes de New York reeditaram para o verão, modelos de 1910, 1949 e 1957.

A casa Eddie Bauer relançou jaquetas para pilotos e alpinistas de 1950. A L.L. Bean vende, entre outras, roupas para caça modelo 1914.

As grandes casas vasculham seus arquivos, escreveu “The New York Times”, na esperança de reeditar modelos clássicos que atendam as exigências dos consumidores e aumentem as vendas.

“É quando as pessoas estão insatisfeitas com o presente que elas começam a apreciar o passado ou sentir nostalgia dele”, disse Nigel Hollis, analista chefe da firma de pesquisas Millward Brown.

As empresas confirmam que os produtos “vintage” vendem-se mais que o projetado embora os preços desses sejam mais altos.

“Algo importante ocorre no mercado e na mentalidade dos consumidores dos EUA e leva as pessoas a aderir às marcas que remetem ao passado”, disse Neil S. Fiske, executivo-chefe da Eddie Bauer, que lançou artigos “heritage”. “As pessoas querem coisas que tenham longevidade.”

Segundo as grifes, este procedimento já foi tentado antes, mas nunca antes na escala atual.


A L.L. Bean guarda na velha casa vitoriana do fundador da empresa, em Maine, salas repletas de roupas, botas e catálogos da empresa num século de existência.

E agora esses modelos voltam à venda.

O presidente da Land’s End, Nick Coe, explica que “os hábitos mudaram seriamente em relação ao consumo desenfreado da década passada. Não se procura necessariamente economizar, mas artigos de valor real.”
A tendência atinge também a decoração

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Falso alarme de bomba em Lourdes: o mal esperneia mas nada pode

Peregrinos aguardam para voltar ao Santuário
Por volta de 30.000 peregrinos foram evacuados de emergência no meio-dia de domingo, festa da Assunção, do Santuário de Lourdes, após um falso alarme de bomba.

Na data, o santuário estava particularmente concorrido pela importância da Assunção de Nossa Senhora e pelo fato de ser domingo, no meio das férias.

“O alarme foi recebido na delegacia e anunciava que quatro bombas iriam explodir às 15:00 hs (18:00 hs horário de Brasília) nos Santuários”, segundo o responsável do serviço de imprensa dos santuários, Pierre Adias.

Pierre Bidal, préfét (cargo análogo ao de governador) do departamento de Hauts Pyrénées, onde fica Lourdes, explicou que o telefonema foi feito desde uma cabine próxima do santuário por “um homem com forte pronúncia mediterrânea (do sul da França), que parecia bastante determinado”, informou o diário francês “Le Figaro”.

A polícia nada achou
“Creio que num santuário como Lourdes, com todo o simbolismo que está envolvido, é supremamente importante levar a sério a hipótese, sobre tudo pelo fato que este tipo de alarmes são extraordinariamente escassas”, explicou Bidal à imprensa.

Os peregrinos foram convidados a sair do Santuário com mensagens em seis línguas. A evacuação ocorreu em perfeita calma, e não foi registrado nenhum incidente nem feridos.

Aliás, um dos imponderáveis de Lourdes é a calma sobrenatural que se respira no local. Em outros locais marcados por falsas religiões ou pela imoralidade, como em Meca ou no Love Parade de Berlim, circunstâncias análogas geram pânicos irracionais com dezenas e até centenas de mortos.

Equipes especializadas da polícia e da gendarmaria vasculharam todos os cantos, mas não encontraram nenhum objeto suspeito.

Momentos de preocupação
O prefeito da cidade, Jean-Pierre Artiganave, elogiou “a dignidade e o respeito dos romeiros que aguardaram com tranqüilidade o fim das investigações e depois re-ingressaram calmamente no santuário”.

Durante a intervenção das equipes anti-explosivos, os fiéis “cantaram e rezaram sem nenhuma forma de debandada”, grande perigo nessas circunstâncias e, tal vez, objetivo final da ameaça.

Às 16:45 hs (21:45 hs de Brasília), após a investigação policial, o santuário foi reaberto e as devoções retomaram no mesmo dia e nos horários previstos.

Em 12 de agosto de 1983, uma explosão provocada por mão desconhecida, destruiu uma estátua do Via Crucis.

O Santuário ocupa 52 hectares e inclui 22 locais de devoção e dois hospitais para doentes.

A polícia agiu celeremente
Em volta da Gruta das aparições há três basílicas: a da Imaculada Conceição (feita em 1871, é a que está no local mais elevado), a de Nossa Senhora do Rosário (de 1901, embaixo da anterior) e a de São Pio X (1958, subterrânea), além de várias capelas, como a cripta da basílica da Imaculada Conceição.

Nos locais das piscinas, onde os fiéis podem cumprir o pedido de Nossa Senhora de se lavar, todo ano tomam banho na água da Gruta por volta de 400.000 pessoas.

O total das velas acessas atinge as 750 toneladas.

Em 2009, Lourdes recebeu 6,3 milhões de peregrinos vindos do mundo inteiro.

O falso alarme evidencia quanto o espírito das trevas e seus asseclas sentem-se prejudicados com a devoção a Nossa Senhora de Lourdes.

E, ao mesmo tempo, patenteia a proteção de Nossa Senhora sobre o local de sua aparição e que conjura as insídias do mal.

Video: Lourdes: falso alarme de bomba (TF1, em francês)
Se seu email não visualiza corretamente o vídeo embaixo CLIQUE AQUI




Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

São Inácio de Loyola e a sacralização da Cavalaria


Em 31 de julho, a Santa Igreja celebra a festa de Santo Inácio de Loyola, fundador dos jesuítas, ordem com pronunciada estruturação militar segundo os padrões da época: a Companhia de Jesus.

* * *

“Santo Inácio de Loyola desejou fundar uma cavalaria que se opusesse à degradação da Cavalaria, como esta se encontrava em sua época no século XVI.

“Ele desejou a restauração da idéia de luta pelo Rei Sagrado contra o herege, seu adversário. Era a volta da sacralização da Cavalaria.

“Essa foi a idéia de Santo Inácio: uma arqui-sublimação da Cavalaria. Por isso ele concebeu sua ordem religiosa em termos militares.

“Ou seja, uma Companhia (que naquele tempo queria dizer exército), um exército de Jesus, no qual o chefe era um general — o Geral, que manda em tudo e opera como um general, com uma hierarquia militar e com uma obediência militar.

“O estilo de ação de seu apostolado era militante, combativo e guerreiro. Daí vermos que a Companhia de Jesus foi muito guerreira e muito guerreada, e viveu como uma verdadeira Ordem de Cavalaria”.


(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, “Catolicismo”, julho de 2010)




Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

domingo, 25 de julho de 2010

Enterro de um príncipe imperial da Áustria

Exéquias da imperatriz Zita, catedral de Viena, 2.4.1989

Na cena representada no filme abaixo:

Após as exéquias solenes na catedral de Santo Estevão, Viena, os restos mortais dos augustos governantes da família dos imperadores da Áustria eram levados para a cripta dos capuchinhos no carro fúnebre imperial.

O protocolo a seguir foi observado, conforme à tradição, no funeral da Imperatriz Zita em 1º de abril de 1989:



O Grande Camareiro bate três vezes com uma bengala encastoada de prata na porta da capela do convento dos Capuchinhos, onde fica a cripta imperial.

O padre capuchinho porteiro pergunta:

‒ “Quem é o Sr.?” ou “Quem está aí?”

O Grande Camareiro declina o nome e os títulos do príncipe:

‒ “Eu sou N... Imperador da Áustria, Rei Apostólico da Hungria, Rei da Boêmia, da Dalmácia, da Croácia, da Eslavônia, da Galizia, da Lodomeria, da Ilíria e Rei de Jerusalém, Arquiduque da Áustria, Grã-duque da Toscana e Cracóvia, Duque de Lorena, de Salzburg, de Stiria, de Caríntia, de Carniola e de Bucovina, Grão-príncipe da Transilvânia, Margrave da Moravia, Duque da Alta-Silésia, da Baixa Silésia, de Módena, de Parma, de Piacenza e de Guastalla, de Auschwitz e Zator, de Ticino, de Friuli, de Ragusa e de Zara, Conde-príncipe de Habsburgo e do Tirol, de Kyburg, de Goritz e de Gradisca, Príncipe de Trento e de Brixen, Margrave da Alta e da Baixa Lusacia e de Istria, Conde de Hohenembs, de Feldkirch, de Brigance, de Sonnenberg, Senhor de Trieste, de Cattaro e de Marche, Grande-Voivoda da Sérvia, etc...”

Ouvindo a resposta, o padre porteiro se recusa a abrir dizendo:

‒ “Não conheço”.

O Grande Camareiro bate novamente três vezes na porta e pronuncia o nome do soberano morto respondendo a pergunta do frade “Quem é o Sr.?” ou “Quem está aí?”

‒ “Eu sou N... Sua Majestade o Imperador e o Rei”.

Resposta do religioso:

‒ “Não conheço”.
Cortejo fúnebre da imperatriz Zita, catedral de Viena, 2.4.1989

O Grande Camareiro dá mais três batidas.

A pergunta do irmão porteiro é a mesma:

‒ “Quem é o Sr.?”, ou “Quem está aí?”

Desta feita, o Grande Camareiro diz:

‒ “Sou N... um pobre mortal e pecador”.

A resposta final do padre porteiro é:

‒ “Pode entrar”.

As portas da cripta abrem-se e o caixão penetra através de uma dupla fileira de frades capuchinos que o recebem.

Em seguida, na capela é pronunciado o sermão final antes da descida do corpo à cripta.

Uma salva de 21 disparos de canhão ouve-se em Viena enquanto o féretro ingressa para sempre no sagrado panteão imperial.

Video: Enterro de um príncipe imperial da Áustria
Se seu email não visualiza corretamente o vídeo embaixo CLIQUE AQUI



Uma nota tônica da boa ordem católica ‒ felizmente desenvolvida na Civilização Cristã ‒ é a harmonia e a proporção nas desigualdades geradas pela natureza humana e pela História.

Neste episodio mínimo do cerimonial de enterro de um imperador, imperatriz, arquiduque ou arquiduquesa da Áustria os extremos se tocam com uma harmonia e até uma poesia pungente: a glória do mais alto governante da Cristandade e a condição de ser humano pecador, própria a toda a descendência de Eva.


Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Rebelião cívica contra o “casamento homossexual” na Argentina: povo reprova políticos e mídia

Tucumán

Grupos de cidadãos saíram às ruas das cidades argentinas com panelaços em defesa do casamento. Eles pediam a revogação do voto do parlamento que introduziu o “casamento” sodomítico no Código Civil.

A população sente-se enganada por um processo legislativo que correu por baixo do pano e por deputados e senadores que prometeram votar no sentido contrário do que fizeram

O chefe do Cartório de Registro Civil da cidade de Concordia, na província de Entre Rios, fronteira com o Brasil, Alberto Arias, exprimiu no domingo sua rejeição ao “casamento” entre pessoas do mesmo sexo “por razão de consciência”. Ele delegará a obrigação a um funcionário caso alguém tente essa união anti-natural.

Os cidadãos querem o veto, porque querem a defesa do casamento. Apesar da impopularidade generalizada a reforma ameaça o próprio fundamento da família ‒ casamento ‒ equiparando-o às uniões homossexuais. É também uma ameaça contra os direitos da criança.

Arias, refletindo o sentimento da maioria da cidadania, declarou sua convicção de que não pode ser chamada de “casamento” a união de duas pessoas do mesmo sexo.

Esta é a segunda rejeição da reforma do Código Civil nos últimos dias. Na sexta-feira, na cidade de General Pico, província de La Pampa, a juíza Martha Covell, também se recusou a “casar” homossexuais “por questão de princípios religiosos”.

A rebelião cívica em defesa do matrimonio, longe de ser desencorajada pela ratificação parlamentar do projeto, animou panelaços em todo o país exigindo o veto à Lei comicamente apelidada de “gaymônio”.

Espontaneamente, os cidadãos chamando uns aos outros, na Capital Federal reuniram-se em grande número perante o Congresso Nacional para repudiar a lei, batendo panelas e objetos em rumoroso protesto

Em San Juan

Na Praça 25 de maio de San Juan, província do noroeste, a convocação foi feita através de SMS, Facebook, e e-mails.

San Juan
A rejeição da reforma do Código Civil para equiparar as uniões homossexuais ao casamento levou os cidadãos a continuar saindo às ruas para defender a família e defender o direito de menor de ser educado por um pai e uma mãe.

Os manifestantes também protestaram contra a capciosa doutrinação do “gênero”. Esta exige educar as crianças na falsa idéia de que ninguém nasce com um determinado sexo, mas que cada um escolhe o que quer.

Em San Juan, a convocação começou ao meio-dia, mas espalhou-se por todo o país. Muitos em outras cidades seguiram o exemplo em protesto contra o governo e os partidos políticos que aprovaram a lei.

O bispo de San Juan, D. Alfonso Delgado, disse que a lei do casamento homossexual “não tem a necessária legitimidade social” e foi feita à revelia das convicções do povo.

D. Delgado disse que a luta não acabou com a derrota parlamentar. “O compromisso com a dignidade do indivíduo, família e as crianças que são mais vulneráveis não termina com esta votação no Senado”.

“A norma jurídica aprovada não tem a necessária legitimidade social, porque contradiz um amplo consenso social observado no país. Trata-se de um grave dano ao bem social”, acrescentou.

Em Tucumán

Na populosa cidade de Tucumán, norte argentino, diferentes setores convocaram outro panelaço na Praça da Independência, na noite de quinta-feira 15 de Julho, repudiando “a covardia do senador provincial Sergio Mansilla”.

Os manifestantes também repudiaram a atitude da senadora Beatriz Rojkés, que votou contra a vontade do povo de Tucumán que 'representa', segundo disseram os organizadores. Não é uma questão de partidos, mas uma questão de valores básicos como a família que estão por cima de qualquer outra consideração.

Deputados e senadores, habituados à impunidade, estão descobrindo que em matéria como vida e família o povo pune em democracia de um modo que os têm espantados.

No Brasil, as esquerdas anti-vida já se preparam para desencadear nova ofensiva estimuladas pela lei argentina.

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email