segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Espanha: não há outeiro
de onde não se aviste um santuário

Basílica do Sagrado Coração, Tibidabo, Barcelona
Basílica do Sagrado Coração, Tibidabo, Barcelona
Luis Dufaur


Fazer a conta dos santuários existentes na Espanha ficou tão difícil que agora apareceu um livro que aventura uma cifra com fundamento no estudo.

É Santuários, guia de turismo e peregrinação, de Salvador Batalla Gardella, ex-diretor do departamento de Pastoral de Turismo, Santuário e Peregrinações da Conferência Episcopal espanhola, segundo divulgaram os sites espanhóis Infocatólica e Religión en Libertad

O autor afirma que se pode contabilizar “mais de 12.300 santuários e ermidas” no território espanhol.

Para se fazer uma ideia do que isso significa, o autor explica que “não há montanha, morro ou colina de onde não se possa ver no horizonte um santuário, uma ermida ou uma capela dedicada a Jesus Cristo, à Mãe de Deus, ou a algum santo ou santa”.

Aqueles dedicados a Nosso Senhor são pelo menos 1.200 (10% do total), os dedicados à Virgem Maria ou a alguma invocação mariana são 4.300 (35%); e os dedicados a santos e santas são 6.800 (55%).


Capela nos Pirineus
Capela nos Pirineus, Aragão, Espanha
Há assim quase o triplo de santuários dedicados a Nossa Senhora do que a Seu Divino Filho, cálculo que faz muito protestante espernear, mas que entusiasma os verdadeiros católicos e Nosso Senhor, glorificado na pessoa de Sua Santíssima Mãe.

Os santuários, capelas e ermidas dedicados a santos e santas são largamente majoritários, outro fato que faz protestantes saírem de dentro da própria pele para falar mal da católica Espanha.

A proporção dos santuários não se reflete no número dos romeiros, pois alguns santuários atraem milhões de pessoas, como o da Virgen del Pilar em Zaragoza ou do Apóstolo Santiago em Compostela.

Mais longa ou menos, com características diversas, as romarias vão sempre a um desses santuários, e costumam estar relacionadas com o campo e a vida rural, sendo muito menos intensas nos centros urbanos.

Procissão de Nossa Senhora da Montanha, Cáceres, Espanha
A ereção e manutenção dos santuários é quase sempre iniciativa de confrarias e associações locais formadas por leigos. Os mantidos pelas ordens religiosas são quase exceção.

É a graça divina que chama os romeiros a peregrinarem a tantos locais sagrados e em tal número.

Infelizmente o clero não exorta, na proporção merecida, os fiéis a comparecerem a esses atos de piedade que marcam uma vida e talvez decidam a salvação eterna.

Em lugar disso, ouvem-se com insistência pregações de caráter terreno, quando não de incitamento à revolução social e de desestímulo a essas devoções “antigas” e até “medievais”.


2 comentários:

  1. laudivino domigos antunes4 de novembro de 2014 12:15

    Parece que em todo canto do mundo, muitos padres estao realmente mais preocupados com as causas do mundo e menos com as causas da salvaçao das almas, aqui em Guarulhos, SP, nao e muito diferente, Domingo Dia de Finados, foi realizada a missa da tarde, em homenagem aos falecidos, e o padre na hora da missa, conversava com uma pessoa do lado constantemente.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do Blog. Aline fala sobre a libertação das mulheres - http://t.co/Avko5uxOhv

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.