segunda-feira, 24 de junho de 2013

Vigília de 500.000 filipinos cobra dos políticos defesa efetiva da vida e da família

500,000 filipinos fazem vigília pela vida e pela família, Manila
Mais de 40 organizações, integradas por católicos filipinos do “White Vote Movement”, realizaram em abril uma vigília com a participação de 500.000 pessoas em favor da vida e da família.

Nas Filipinas o povo teme ser novamente enganado pelos políticos, que bancam serem pela família e depois fazem o contrário do que prometeram.

A enorme vigília aconteceu em Parañaque City, na periferia da Grande Manila, capital do país, informou LifeSiteNews.


O povo se sente logrado pelo atual presidente Benigno Aquino e pelo Parlamento, que sucumbiu desavergonhadamente diante das pressões e seduções de ONGs da morte aprovando uma Lei de Saúde Reprodutiva anti-vida.

Os participantes da vigília manifestaram seu apoio aos deputados que combateram o iníquo projeto até o fim. Também prometeram só apoiar aqueles que se engajarem contra dita lei perversa e promoverem uma legislação em favor de Deus, da vida e da família.

Os políticos pela “Saúde Reprodutiva” já preparam novos projetos pelo divórcio, pelo “casamento” homossexual e até pela eutanásia, a panóplia anticristã bem conhecida de “direitos humanos”.

80% dos mais de 97 milhões de filipinos professam a fé católica. O “White Vote Movement” pretende mobilizar as famílias para formar um bloco de eleitores que eleja candidatos representativos dos genuínos valores católicos.

“Lembremo-nos não apenas das propagandas de campanha, lembremos de nossa fé. Protejamos a família e a vida”, escreveu o Dr. Ligaya Acosta, um dos líderes do movimento.

Feliz o país que tem políticos sinceramente dispostos a secundar esse nobre desejo e, mais ainda, bispos inflamados de zelo pela Lei de Deus, que não fogem diante dos lobos que ameaçam o rebanho.


Um comentário:

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.