quarta-feira, 2 de maio de 2012

Escudo do Coração de Jesus salva soldado espanhol atingido pelos talibãs no Afeganistão

Escudo do Sagrado Coração, "Detente", ou "Detente Bala"
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Em março de 2012, o soldado da Legião Espanhola Iván Castro Canovaca, de 23 anos, futuro pai de uma menina, recebeu tiro mortal em combate no Afeganistão. Apesar de o legionário não querer abandonar a posição, foi trasladado por seus colegas.

A bala atravessou seus dois pulmões, passou a milímetros do coração, da aorta, da traqueia e do esófago.

As lesões eram tão complexas que para os cirurgiões do Hospital Gómez Ulla, de Madri, “o normal teria sido falecer nos dez primeiros minutos”. As informações ssão do site espanhol “Religión en Libertad”.

O soldado, contudo, portava um Detente – pequeno escapulário no qual vem escrito “Alto, o Sagrado Coração de Jesus está comigo!” – presenteado ao regimento pela Irmandade do Cristo do Perdão de Elche.


O tenente-coronel Carlos María Salgado Romero, chefe do regimento, restaurou a velha tradição de usar o Detente nas fileiras militares, como havia séculos se fazia.
Iván Castro Canovaca
Iván Castro Canovaca

A revista “Armas y Cuerpos”, da Academia Geral Militar espanhola, escreve que “um certo número de relatos de soldados que escaparam da morte de forma quase milagrosa deu tanto prestígio ao Detente, que os militares espanhóis passaram a usá-lo em todas as guerras”.

O popular Detente é apelidado pelos soldados espanhóis de “Detente Bala” (Alto Bala), como proteção derradeira contra as balas inimigas.

Na hora de entregar aos legionários o Detente já bento, o capelão do regimento deixou claro que não se trata de um amuleto: “Levai-o como algo espiritual que vos une a Deus”, explicou.

O legionário Iván Castro quer voltar ao combate e vai logo ver sua filha que está para nascer. Tudo isso por obra do Detente Bala, escudo de um cavaleiro legionário que faz questão, segundo o seu hino, de se engajar tanto mais quanto “mais rude for o fogo e mais fera a peleja”, concluiu “Religión en Libertad”.






2 comentários:

  1. Juarez Batista Leite4 de maio de 2012 08:42

    Mais interessante ainda do que o Escudo do Coração de Jesus ter salvado o soldado espanhol da morte foi ter lhe dado a coragem e disposição de, mesmo ferido gravemente, querer continuar no front de batalha.Jesus é realmente maravilhoso e desconcertante!

    ResponderExcluir
  2. para receber gratuitamente, entre em contato: rodrigotomazsouza@hotmail.com

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus necessariamente os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.