segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Hinduístas que martirizaram cristãos se convertem ao catolicismo

Igreja católica de Raikia, Kandhamal, restaurada

Nas florestas de Kandhamal, no estado indiano de Orissa oriental, os católicos celebraram as festas do fim de ano numa surpreendente alegria, pelo menos para Anto Akkara, correspondente do “National Catholic Register”, dos EUA.

Ninguém teria adivinhado, escreve Anto, que poucos anos atrás naquele local mais de uma centena deles havia sido sadicamente martirizada por fanáticos hinduístas.

Uma das festas católicas se realizou diante das ruínas de uma casa ainda acinzentada, onde um jovem católico aleijado foi queimado vivo naquelas sinistras jornadas.


Como se explica isso?

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

África recusa prática do homossexualismo

Na África subsaariana a prática da homossexualidade é fortemente reprovada pelas diferentes etnias locais.

A repulsa vai além das religiões majoritárias e reflete multisseculares costumes africanos, noticiou o jornal espanhol “El Mundo”.

Parlamento ugandês debateu a pena de morte para os homossexuais e uma tempestade de pressões internacionais impediu que o tema tivesse um desfecho democrático.

Em Malavi, um casal homossexual montou uma pantomima de cerimônia de casamento e a Justiça condenou a palhaçada para dar “um escarmento e como forma de evitar que outras pessoas imitem esse horrível exemplo”. O corajoso país africano foi coberto de injustos ataques na mídia internacional.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Soldados ingleses se voltam para o catolicismo no Afeganistão

O único capelão católico na base britânica de Camp Bastion, na província de Helmand, no Afeganistão, diz que as tropas manifestam “uma verdadeira fome de conhecer mais sobre a religião católica”, informou em Cabul a EWTN News.

O Pe. David Smith distribui livros sobre a fé católica e santinhos com orações entre os 400 militares do 2º Batalhão do regimento Mercian.

O sacerdote também dá aulas de catecismo às sextas-feiras, as quais são completadas com a recitação do rosário e a bênção. Ele celebra a Missa todos os dias e três vezes ao domingo.

O trágico, explicou o sacerdote, é que “muitos destes jovens foram ‘despachados’ pelo sistema educacional católico sem sequer saberem o que é o Santíssimo Sacramento”.

O conflito bélico levou-os a pensar na religião e eles agradecem ao Pe. Smith a distribuição dos sacramentos, a formação catequética e o apoio às tropas engajadas numa guerra sem quartel contra os fanáticos islâmicos.

Se não fosse a crise da Igreja e da Cristandade, talvez os enlouquecidos sectários de Maomé não tentariam atacar o Ocidente, permanecendo quietos como nos séculos imediatamente anteriores ao nosso.


terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Lourdes: o milagre de Delizia Cirolli

Delizia com tumor maligno na perna.
Os pais fizeram tudo mas a medicina não curou.

O caso de Delizia Cirolli foi um dos mais acompanhados pela medicina moderna, notadamente pelo médico Theodore Mangiapan, diretor do Bureau Médico de Lourdes, encarregada de comprovar a ocorrência das curas inexplicáveis.

O Dr. Mangiapan acompanhou o caso e publicou um detalhado relato no seu livro Les Guérisons de Lourdes (ed. Oeuvre de la Grotte, 1994, 439 pp.)

Delizia nasceu em 17 de novembro de 1964, em Paternò, província de Catania, Itália. Mais velha de quatro irmãos, quando tinha 12 anos começou a se queixar de dores.

Em março de 1976, na escola, sentiu dores no joelho que preocuparam a professora. Os pais levaram a menina ao médico da família, que ordenou um tratamento analgésico de rotina. Como este não deu certo, os pais apelaram para uma “curandeira”, com resultados ainda piores.

Em abril, uma radiografia e uma série de tomografias mostraram sinais de um tumor ósseo na tíbia direita. Delizia foi encaminhada ao Prof. Q. Mollica, da Clínica Ortopédica da Universidade de Catania.

Ele a submeteu a diversos exames, até que uma biopsia revelou a “presença, na altura da metáfise da tíbia direita, uma metástase de neuroblastoma”. O neuroblastoma é um tumor que aparece na vida intrauterina, age como maligno, e seu prognóstico é quase sempre fatal.

Delizia hoje é mãe de 3 crianças,
mas vai ajudar os doentes em Lourdes
Muitos exames posteriores inclinaram para um “retículo-sarcoma de Ewing”, tumor ósseo que atinge crianças entre os oito e os 10 anos, altamente maligno e de prognóstico rigorosamente fatal.

Diante da gravidade do tumor, o Prof. Mollica propôs amputar toda a perna direita. A família se recusou. Ele encaminhou então Delizia ao Instituto de Radiologia Universitária de Catania.

Lá, ela foi internada isolada num quarto sem janelas, sentia-se abandonada e chorava toda a noite. Seus pais não suportaram a situação e a levaram de volta para casa.

A doença fazia Delizia sofrer cada vez mais. A família então se cotizou e os pais a levaram a Turim, cidade de famosos centros médicos. O pânico e o desespero da menina no hospital tornaram impossível sua internação na Clínica Universitária de Pediatria de Turim.

Foi então que nasceu a ideia de levá-la a Lourdes, onde mãe e filha estiveram de 7 a 11 de agosto de 1976.

Porém, nada aconteceu. Em 11 de setembro, o Prof. Mollica mandou fazer novas radiografias e constatou um “claro agravamento da extensão do processo mórbido”.

Delizia piorava a olhos vistos. Em dezembro pesava somente 22 quilos. Já não podia se levantar e acompanhava desde o leito as orações da família por ela.

Todos os dias, sua mãe lhe dava a beber água de Lourdes. Mas ao mesmo tempo já preparava o vestido mortuário com o qual o falecido é enterrado, segundo a tradição da Sicília.

E foi num dia de Natal...

Delizia voltou a Lourdes para análises clínicas
da cura inexplicável pela medicina.
Delizia sentia menos dores, até mesmo em seu joelho atingido pelo tumor. Pediu então licença para se levantar. A mãe achou que fosse um de seus derradeiros desejos e autorizou.

Delizia então se levantou, caminhou pela casa, e até foi dar alguns passos na rua!

O esforço, após meses de paralisia, a deixou esgotada. Voltou a deitar, dormiu. Porém, nos dias seguintes, os sinais de melhora foram cada vez mais evidentes. Em poucos meses recuperou 12 quilos.

Em maio de 1977 o médico ordenou novas radiografias. O diagnóstico foi “aparência de reparação ao mesmo tempo endo-ósssea e cortical, com um desaparecimento completo das reações periosteais. É preciso notar também, a existência de um importante genu valgum” (em termos correntes, uma cicatriz óssea).

Em outras palavras, o tumor maligno havia desaparecido!

A família peregrinou em ação de graças a Lourdes, no fim de julho de 1977. Na ocasião a apresentaram no Bureau Médico e marcaram consulta com o Dr. Mangiapan para o dia 28 daquele mês.

Foi assim que os médicos puderam analisar todos os resultados dos exames de que dispunha a família. Houve interrogatórios, exigência de mais laudos clínicos e realização de novos exames.

Delizia "benévola" de Lourdes
Em 1978 Delizia voltou a Lourdes e respondeu a novos interrogatórios e exames. O Dr. Christian Nezelof, especialista mundialmente famoso em tumores ósseos, viu as antigas radiografias e tomografias e seu veredito foi “sarcoma de Ewing”.

Delizia voltou por terceira vez a Lourdes em 1979. Ela tinha então 14 anos e 8 meses, adquirira a morfologia completa de uma mulher, pesava 58 quilos e media 1,57. O único vestígio da doença era a cicatriz óssea que até dificultava seu caminhar.

Em julho de 1980 aconteceu seu quarto e último check-up em Lourdes. Em 28 de julho desse ano, na presença de 20 médicos de diversos países, o caso foi debatido e Delizia foi demoradamente examinada.

Por fim, a grande maioria dos médicos aprovou declaração sobre a cura, dizendo que “nas condições em que ela aconteceu e se mantém... pode ser considerada como um fenômeno contrário às observações e às previsões da experiência médica e é cientificamente inexplicável”.

Na Catania foi criada uma Comissão Médica Diocesana, que também concluiu com larga maioria ser uma cura “cientificamente inexplicável”.

A seguir, toda a documentação do caso foi remetida ao Comité Médico Internacional em Paris, que após estudo e consulta decidiu por unanimidade, em 26 de setembro de 1982:

“A cura, sem qualquer tratamento, verificada após seis anos de evolução, da proliferação maligna da extremidade superior da tíbia direita que atingiu a jovem Delizia Cirolli, constitui um fenômeno totalmente excepcional no senso mais estrito do termo, contrária a toda observação e previsão da experiência médica e, além do mais, inexplicável.”

Entrementes, a miraculada completou sua formação escolar e iniciou estudos para obter um diploma de enfermeira. Casou-se em 1986 e a hoje Delizia Costa é mãe de três filhos. Após uma cirurgia bem-sucedida, foi-lhe tirada a “cicatriz óssea” que prejudicava seu caminhar.

A medicina tinha encerrado seus procedimentos atestando a cura cientificamente inexplicável.

Porém, não é a medicina a que proclama o milagre. Isto é atribuição exclusiva da Igreja e, em concreto, do bispo da diocese da beneficiada.

E aqui aparecem problemas. Há mais de sete mil curas declaradas inexplicáveis pela ciência, mas a respeito das quais os respectivos bispos não assumem nenhuma posição. Esta falta de atitude, aliás, causava desgosto a São Pio X, que instou os bispos envolvidos a se pronunciarem para o bem das almas.

No caso de Delizia foi diferente. Em 28 de junho de 1989, Mons. Luigi Bonmarito, arcebispo de Catania, assinou uma declaração em que dizia:

“Após tomar conhecimento dos relatórios da Comissão Médica e da Comissão Canônica diocesana, designadas para o estudo da cura de Delizia Cirolli, de Paternò, constato o fato de que tal cura, levadas em conta as condições em que aconteceu e se mantém, é ‘cientificamente inexplicável’ e, como Arcebispo de Catania, eu declaro a sua índole ‘milagrosa’. Ela se acrescenta a muitas outras que, há 130 anos, se verificam em Lourdes.”

A declaração do arcebispo foi entregue ao público no dia 6 de julho de 1989, simultaneamente em Catania e em Lourdes.

Delizia hoje vai regularmente a Lourdes como voluntária para ajudar aos doentes. Se o leitor esteve alguma vez lá, talvez tenha passado junto dela sem dar-se conta.


Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário. 



segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Indícios portadores de esperança



Gregorio Vivanco Lopes

Conversando com um amigo sobre aparições de Nossa Senhora, como a da Medalha Milagrosa, de La Salette e especialmente a de Fátima, ele me dizia: “Nessas aparições, Nossa Senhora, a par de bondades sem nome, prevê também castigos indizíveis para a humanidade pecadora e, por fim, um triunfo da Santa Igreja. Que um castigo deve ocorrer, sente-se no ar, as ofensas a Deus estão por toda parte e de modo crescente. É admirável o martírio de tantos católicos nos países pagãos. Mas... pode-se discernir algo no mundo atual que indique o tempo da conversão que deve vir?”.
A pergunta ficou rondando na minha mente. E, cá e acolá, comecei a notar certos ressurgimentos de piedade e admiração pela beleza do culto e da tradição em geral, que contrariam os horrores do mundo moderno e parecem indicativos de um triunfo da Santa Igreja que deve vir. Semelhantes a uma semente que pede para crescer e expandir-se em meio à tempestade atual.
Para não ficar em subjetivismos, relato dois acontecimentos — um referente à festa da Imaculada Conceição, na França, e outro sobre o Natal, no interior de São Paulo — que por sua importância chegaram às páginas da imprensa.

França profunda: festa da Imaculada Conceição

“As procissões e missões se desenvolvem em Lyon, Avignon, Reims e um pouco por toda parte na França. É uma nova apropriação do patrimônio religioso indubitavelmente portadora de esperança. Sessenta e três procissões com velas e, ademais, iluminações especiais em 42 cidades: a festa da Imaculada Conceição conhece na França, desde alguns anos, um acréscimo de fervor.
“Esta renovação da piedade popular constitui hoje uma real esperança para o futuro da fé em nosso solo, longamente fecundado pelo cristianismo. Há como uma fonte profunda, um tempo escondido e subterrâneo que ressurge à luz do dia.
“Podemos nos autorizar esta nota de otimismo, tanto mais que existem outras pequenas luzes. Seguramente, esta realidade tem necessidade de um fermento poderoso — nossas preces — e muitos esforços. Mas existe nesta piedade popular um terreno que não pede senão para ser revivificado” (Editorial da revista “Famille Chrétienne”, 17-12-11).

Natal no interior de São Paulo: exemplos

“A mesma história contada há mais de 2.000 anos não perde o encanto nas mãos de artesãos que usam a criatividade para reproduzir o dia do nascimento de Jesus Cristo.
“Em Ribeirão Preto, o mecânico industrial Ricardo Borges, 36, passa o ano entalhando madeira para montar o presépio em miniatura que reproduz uma vila da época de Cristo. ‘Eu quero preservar a história como era na época de Cristo’, disse ele”.
Em Araraquara, neste ano, num “presépio em tamanho natural, 18 manequins contam as histórias de 13 parábolas cristãs. Montado em frente a uma clínica, o espaço de 150 metros quadrados recebe cerca de mil pessoas a cada noite. Nívia Navarro, 48, monta o presépio: ‘Fico fascinada em contar a história de Jesus e tudo que ele fez por nós’, disse ela”.
Em Sertãozinho “14 presépios no museu contam um pouco da cultura de cada povo do mundo”. (“Cidades do interior de SP renovam a tradição dos presépios”, Folha online, 18-12-11).
*       *       *
Fica aqui um convite ao leitor para que observe e apoie em torno de si as iniciativas que lhe pareçam indicar uma ação da graça de Nossa Senhora preparando seus caminhos neste mundo neopagão, como outrora João Batista, no deserto, preparou os caminhos do Senhor: Uma voz clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas” (Mt 3,3).


domingo, 5 de fevereiro de 2012

Na oitava de Lourdes, veja o que acontece agora na Gruta de Lourdes


Acompanhe online o que está acontecendo agora na própria gruta de Lourdes pela Webcam do santuário. 

DICAS DE VISUALIZAÇÃO:


1) Esta webcam é muito solicitada. Se há sobrecarga: INSISTA que consegue. Use Ctrl+R.
2) Diferença horária entre Brasil e Lourdes (horário de inverno) = 5 horas. Horário de Brasília 12:00 = Lourdes 15:00 (12 +3)