Outras formas de visualizar o blog:

domingo, 24 de janeiro de 2010

São Paulo: Apóstolo que combateu a desordem e a imoralidade pagã


A história do Apóstolo São Paulo é rica em pormenores saborosos. E um traço característico é que se trata de uma história de violência.

Saulo foi um homem violento na perseguição à Igreja nascente, que ele queria exterminar.

Respirava violência e desejo de extermínio, era famoso pela sua violência e um inimigo radical dos católicos.

No caminho para Damasco, ocorreu aquele acontecimento violento: Saulo, Saulo, por que me persegues?

Ele caiu do cavalo, ficou cego e indagou:

–– Quem sois, Senhor?

— Eu sou Jesus, a quem tu persegues.

— Senhor, o que quereis que eu faça?

Ele foi curado, começou a ver e tornou-se pronto para a luta. Uma mudança completa e estrepitosa: passou a pregar o nome de Jesus, que antes perseguia.

É o líder da violência, que muda com toda a sua radicalidade para o outro lado.

Para o apostolado, ele empreendeu inúmeras viagens, enfrentou riscos e operou conversões extraordinárias. Com isso abriu um sulco sobre o qual a Igreja Católica se desenvolveu.

Depois agiu violentamente contra o Império Romano, foi o primeiro passo para a derrubada do paganismo.

Até no final de sua vida, foi santamente violento em relação a Deus Nosso Senhor, quando bradou: "Combati o bom combate, terminei minha carreira, guardei a fé. Já me está preparada a coroa da justiça."

É uma espécie de atestado brilhante que ele dá de sua própria fidelidade. É como um homem de consciência tranqüila que se apresenta diante de Deus.

Os católicos moles gostariam de qualificar isso como falta de humildade. Mas, como foi o brado de um santo, não têm remédio senão ficar quietos.

O católico amolecido não gosta de conversões violentas. Não gosta de cogitar em conversões de homens sábios, de conversões de homens que mudam as coisas.

Devemos pedir a São Paulo essa zelo ardoroso pela causa de Deus. Ele lutou para derrubar o paganismo, nós devemos ter essa santa violência para derrubar em nossos dias o mal que está no auge, mais poderoso que o paganismo no tempo dele.


(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, 25/01/1965, in "CATOLICISMO", junho de 2008)

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Sentencia do Supremo italiano esvazia decisões de tribunais e tratados europeus


A Suprema Corte Constitucional da Itália julgou que “carecem de legitimidade” as decisões da Corte Européia para os Direitos Humanos (ECHR, sigla em inglês) que colidem com o ordenamento constitucional italiano.

A Sentenza N. 311 saiu pouco depois de dito tribunal europeu determinar que os crucifixos devem ser removidos das salas de aula italianas, informou a agencia LifeSiteNews.

A decisão do Supremo italiano também esvazia a força da Constituição Européia que entrou em vigor sob o disfarce de “Tratado de Lisboa”.

O acórdão pode pesar em julgamentos análogos que correm em outros países europeus ‒ como a Irlanda ‒ onde os Supremos devem decidir entre a Constituição e leis nacionais de um lado e as decisões de órgãos da União Européia ou do Conselho de Europa de outro

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

"Milagre de Natal", milagre do amor-mãe-filho?


Tracy Hermanstorfer beijava seu filho recém-nascido, Coltyn, na conferência de imprensa, em 28 de dezembro de 2009 no Memorial Hospital, em Colorado Springs.

O fato é que na noite de Natal os dois foram declarados mortos pelos médicos do hospital.

Mike, o marido, segurava a mão dela quando começaram os trabalhos de parto no hospital. Mas, inesperadamente, ela deixou de respirar. De acordo com os médicos, o coração de Tracy parou e os sinais vitais cessaram.

A reação imediata dos médicos foi salvar o bebê. Fizeram então uma cesariana. Mas, foi inútil: a criança também não dava sinais de vida.

Os médicos passaram o cadáver do recém-nascido para Mike que embalou o corpo flácido e sem vida, enquanto os médicos tentaram durante vários minutos, sem sucesso, ressuscitar a mãe.

O drama teve um desenvolvimento inesperado, mas digno de um conto de Natal. Após de segurar demoradamente em seus braços o corpinho inerte do bebê, este começou a dar sinais de vida sob o olhar dos médicos.


Logo a seguir, sua esposa inexplicavelmente voltou a respirar novamente.

“Me tremiam as pernas”, disse Hermanstorfer na conferência de imprensa. “Eu tinha perdido tudo no mundo, e numa hora e meia eu tinha recuperado tudo”.

Segundo a Dra. Stephanie Martin, ginecologa do Memorial Hospital, de Colorado Springs, a mãe “não dava mais sinais de vida. Não havia batimento cardíaco, nem pressão arterial, ela não respirava mais”, noticiou “The Huffington Post”. “Ela tinha uma cor cinza como sua blusa”, acrescentou à uma TV.(ver vídeos embaixo)

Depois da recuperação surpreendente, a mãe e o bebê, chamado Coltyn, passam bem, e não têm sinais de problemas, disse a Dra. Martin. A médica acrescentou não poder explicar a recuperação da mãe após a parada cardíaca.

“Fizemos uma avaliação exaustiva e não conseguimos encontrar nada que explique por que isso aconteceu”, disse a doutora.

O pai, Mike Hermanstorfer, atribui o fato “à mão de Deus”. “Nós temos fé... mas se houver alguém sem fé, precisará me explicar como isso aconteceu. Não há outra explicação”, enfatizou.

O casal concedeu já mais de duas dúzias de entrevistas à imprensa, informou o site local Colorado Connection. Tracy só notou ter perdido a consciência, mas não lembra de nada, mostra-se com muita saúde e muito comunicativa. Mike que acompanhou o caso está profundamente impressionado.

O fato ‒ além de um eventual conteúdo sobrenatural ‒ pôs mais uma vez em destaque os profundos e misteriosos relacionamentos entre as vidas da mãe e do filho.

E, por contraste, ressaltou o caráter monstruoso ‒ quase se diria satânico ‒ do aborto procurado em que a mãe participa do assassinato do próprio filho.

Se seu email não visualiza corretamente os vídeos embaixo CLIQUE AQUI

Cobertura da Associated Press:





ABCNews:



CBS:


Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email

domingo, 3 de janeiro de 2010

Os três Reis Magos e alguns pastores: grandes e pequenos junto ao berço do Menino Jesus


Quis a Providência que o Menino Jesus recebesse a visita de três sábios — que segundo uma venerável tradição eram também reis — e alguns pastores.

Precisamente os dois extremos da escala humana dos valores.

Pois o rei está de direito no ápice do prestígio social, da autoridade política e do poder econômico, e o sábio é a mais alta expressão da capacidade intelectual.

Na escala dos valores o pastor se encontra, em matéria de prestígio, poder e ciência, no grau mínimo, no rés-do-chão.

Ora, a graça divina, que chamou ao presépio os Reis Magos do fundo de seus longínquos países, chamou também os pastores do fundo de sua ignorância.

A graça nada faz de errado ou incompleto. Se ela os chamou e lhes mostrou como ir, há de lhes ter ensinado também como apresentar-se ante o Filho de Deus.

E como se apresentaram eles? Bem caracteristicamente como eram.

Os pastores lá foram levando seu gado, sem passar antes por Belém para uma “toilette” que disfarçasse sua condição humilde.

Os Magos se apresentaram com seus tesouros — ouro, incenso e mirra — sem procurar ocultar sua grandeza que destoava do ambiente supremamente humilde em que se encontrava o Divino Infante.

A piedade cristã, expressa numa iconografia abundantíssima, entendeu durante séculos, e ainda entende, que os Reis Magos se dirigiram para a gruta com todas as suas insígnias.

Quer isto dizer que ao pé do presépio cada qual se deve apresentar tal qual é, sem disfarces nem atenuações.

Pois há lugar para todos, grandes e pequenos, fortes e fracos, sábios e ignorantes.

É questão apenas, para cada qual, de conhecer-se, para saber onde se pôr junto de Jesus.
___________________


Excertos de artigo do Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, Catolicismo, dezembro/1955

Desejaria receber atualizações instantâneas e gratuitas de "Luzes de Esperança" em meu email