sexta-feira, 20 de junho de 2008

Tradições militares empolgam novas gerações argentinas


O imenso Campo de Polo de Buenos Aires ficou pequeno para as famílias que assistiram a re-encenação de batalhas históricas e demonstrações de aptidões militares do exército argentino.

As crianças eram as mais entusiasmadas com pára-quedistas, uniformes e bandeiras.

Os uniformes históricos [foto] e cargas de cavalaria como no século XIX empolgaram os presentes.

A formação moral e cultural das novas gerações exige desenvolver nelas o amor pelo país, pela sua História e a admiração pelas suas forças armadas.

Em sentido contrário, no Brasil a “Revolução cultural”, anti-militarista, esquerdista e apátrida, tudo faz para apagar esses valores e instituições indispensáveis.

Quero atualizações instantâneas e gratuitas no meu email

domingo, 8 de junho de 2008

Exibição sobre Maria Antonieta atrai multidões


A exibição sobre Maria Antonieta no Grand Palais, em Paris, ruma para um dos maiores sucessos no gênero.

Ela acontece não muito longe do local ‒ a Place de la Concorde ‒ onde a rainha foi martirizada.

Pela primeira vez em duzentos anos, uma exibição oficial é dedicada à última rainha da França do Ancien Régime.

A coleção de peças é fora de série.

Centenas de obras de arte e preciosidades exclusivas que marcaram a vida de Maria Antonieta!

Nada de parecido já fora feito sobre a rainha vítima da Revolução Francesa.

A exposição vai até o fim do mês de junho.

Mas, atenção! É tanto o público que quer entrar que as filas são intérminas.

Um amigo foi duas vezes e teve que desistir nas duas oportunidades.

O mais prudentes reservam um horário para entrar pela Internet.

A admiração comovida pela rainha de sonho que foi Maria Antonieta atrai multidões.

Sem sabê-lo, os facinorosos revolucionários, que a decapitaram depois de um julgamento iníquo e odioso, transformaram-na numa rainha mítica, cuja figura atravessa as épocas.




Quero atualizações instantâneas e gratuitas no meu email

terça-feira, 3 de junho de 2008

Em Codogno, “Dia da Elegância” mostra estudantes fartos das modas vulgares


No “Liceo Novello” de Codogno, Itália, os estudantes propuseram um dia dedicado a “se vestir bem”.

Ornella Cassè, diretora do instituto, compartilha o cansaço com as modas vulgares.

No “Dia da elegância” os estudantes compareceram vestidos com bom gosto e distinção.

“Nossa geraçao não é chata”, disse ao maior diário milanês Corriere della Sera a diretora do boletim do liceu, a estudante Miriam Dragotta. “Por isso criamos uma data que celebra o decoro, a classe, a elegância”.

Tênis e jeans foram proibidos. Os rapazes foram de terno e gravata e as moças com belos vestidos e até colar de pérolas.

Alguns espernearam e compareceram mais esfarrapados e com mais piercings do que de costume: sem graça.

Para “Il Cittadino”, jornal da cidade, a mensagem dos jovens é clara: na vida de todos os dias, bom gosto e elegância devem sempre estar na moda.

A data vai se repetir. É uma tendência a acompanhar.

Quero atualizações instantâneas e gratuitas no meu email