sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Família é a maior fonte de felicidade para jovens americanos


Para três quartos dos jovens americanos, as relações familiares são a maior fonte de felicidade e passar o tempo com a família é a maior diversão. Em segundo lugar ficou passar o tempo com os amigos. Os dados são de uma pesquisa entre 1.280 jovenes de entre 13 e 24 anos feita pela Associated Press e a MTV.

“Meus pais sãos meus fundamentos” explicou Kristiana St. John, 17, estudante de Queens, New York. “Minha mãe me disse que ainda que eu fizer uma besteira, ela vai me amar sempre sem se importar com nada. Só saber isso me faz sentir muito feliz e protegida.”

Apenas 1% disse que o dinheiro o fazia feliz. No máximo ter as chaves do carro. Porém, o indicador de filhos felizes, mais do que a riqueza, é que os pais sejam altamente educados.
Perto da metade acha muito importantes a religião e a espiritualidade. Além da religião, pertenecer a um grupo religioso organizado é outra razão de felicidade. A maioria esmagadora dos jovens opina que o casamento os fará felizes. 92% pretende se casar algum dia e ter filhos.

A imprensa não achava que essa seria a resposta. Ela supunha que em primeiro lugar figuraria o sexo, as drogas ou o rock ’n’ roll. As perguntas pareciam feitas por alguém da geração dos pais, marcados pela contestação, o libertinismo e o transato hippismo.

E quem é o maior herói para os jovens? Cantores de rock, esportistas, artistas, “famosos”, políticos no vento, etc? Nenhum deles, mas simplesmente: “mãe” e em segundo lugar “meus pais”.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Universidades francesas restauram pompa de formatura


Frustrados pela falta de solenidade que impera nas universidades francesas após a revolução de Maio de 68, os alunos reivindicaram o retorno da pompa acadêmica na formatura. Professores em toga negra, estudantes usando faixa bordada com o brasão da universidade [foto], medalhas e diplomas, discursos e cocktail voltaram e são aceitos com entusiasmo. “Trata-se de valorizar os estudantes, de quebrar o anonimato das faculdades, de recompensar o esforço”, explicou Sylvie Sarzana, porta-voz da Universidade Paris-VI Pierre-et-Marie-Curie. “Os estudantes estão felizes”, garante Michel Lussault, presidente da Universidade de Tours e porta-voz da Conferência dos Presidentes de Universidade da França.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Laptops saem das aulas e alunos melhoram


A escola superior de Liverpool (Nova York) baniu os laptops das aulas (foto). Eles não favoreciam os alunos, mas serviam para que fugissem das tarefas, para trocar "dicas" nos exames, ver pornografia e atacar eletronicamente as empresas locais. Outras escolas tomaram a mesma decisão. “Após sete anos, não há, ao pé da letra, nenhuma indicação de que eles tenham um impacto positivo na melhora dos alunos”, disse Mark Lawson, presidente do conselho escolar de Liverpool. Mais de 30 pais de família apoiaram a decisão. Tais desastres escolares ocorrem porque a tecnologia é promovida por filantropos e políticos sem conexão com a realidade, registrou o “The New York Times”.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Miraculosa imagem de Nosso Senhor Crucificado sai ilesa de terremoto no Peru

O Santuário devastado em foto aérea





O teto afundou, a torre do sino e a torre central desabaram, a cúpula rachou, as imagens caíram no santuário de Ica, no epicentro do terremoto que assolou o Peru e ceifou centenas de vidas.

Mas a miraculosa imagem do “Senhor de Luren”, ficou intacta no seu lugar, em meio às ruínas no coração do drama encorajando a todos.

O povo não hesitou em reconhecer o fato como milagre.

A imagem representa Nosso Senhor Jesus Cristo crucificado. Ela é venerada desde o século XVI.

O santuário ele próprio sofreu ao longo da história sucessivas destruições e reconstruções por causa de incêndios ou tremores de terra.

Em todos os casos a miraculosa e artística imagem do Crucificado permaneceu incólume.

Símbolo do triunfo imorredouro da Cruz vencendo todos os acontecimentos da história, até os que parecem mais catastróficos.

O Senhor de Luren

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Dioceses com boa doutrina e militância pela vida atraem vocações


As dioceses onde o clero ensina doutrinas ortodoxas e agem firmemente pela vida tem muitas vocações sacerdotais ou religiosas masculinas e femininas, demonstrou David J. Hartline no seu último livro “The Tide Is Turning Toward Catholicism” (“A onda está indo para o catolicismo”). Isto contraria o estereotipo de que a Igreja se extinguiria por falta de vocações. Nas dioceses com clero liberal ou progressista, os seminários estão vazios. Por exemplo, a diocese “ultra-liberal” de Rochester, New York, em 2005 só tinha seis seminaristas, enquanto que a arquidiocese “ortodoxa” de Omaha e a diocese de Lincoln, com a metade do tamanho da de Rochester, tinham 64. Além do mais sacerdotes ordenados estão adotando os ensinamentos tradicionais de dois milênios da Igreja. Eles pedem usar o “old look”, i. é, as formas antigas como batina e barrete.

Museu da Criação atinge recorde de visitas


O Museu da Criação, perto de Cincinnati, dois meses após aberto já tinha recebido mais de 100.000 visitas. Embora pesem nele os erros primários e o mau gosto protestante, o sucesso de visitas mostra a popularidade do criacionismo no país, e o descrédito em que vem caindo o evolucionismo. O Museu ilustra o relato bíblico da Criação e fatos do Antigo e Novo Testamento com high-tech, teatros com efeitos especiais, dinossauros animados e vídeos educacionais. Tendo sido superadas todas as expectativas de público, a meta de 250.000 visitas no primeiro ano parece que será superada.

domingo, 12 de agosto de 2007

Educação escolar em casa progride no mundo

Mais de um milhão de crianças nos EUA recebem dos seus próprios pais formação escolar em casa com excelentes resultados: é o homeschooling. Os pais temem que os filhos se corrompam nas escolas públicas ou até nas privadas e/ou católicas. O homeschooling progride também no Canadá, Austrália, Inglaterra, Irlanda, México, Filipinas, Japão, República Checa, Alemanha, Colômbia e Índia. Três líderes do homeschooling católico visitaram o Vaticano onde receberam encômios de cardeais e bispos. Mons. Karl Josef Romer, do Pontifício Conselho pela Família, disse: “eu admiro verdadeiramente os pais que assumem esta grave tarefa (...) são o mais perfeito modelo de maestros”, informou LifeSiteNews.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Homeschooler vence concurso escolar nacional nos EUA


Evan M. O'Dorney (foto), de 13 anos, ganhou o dificílimo concurso anual Scripps National Spelling Bee. Nele, os alunos devem soletrar sem erro as palavras ditas por um locutor. O prêmio inclui 37.000 dólares à vista e 5.000 dólares em bônus escolares, entre outros benefícios. A novidade é que Evan é um homeschooler: estudou em casa sob orientação da mãe, segundo informou o “Los Angeles Times”. A lei nos EUA permite o homeschooling. Este sistema escolar tem mais de um milhão de alunos, com altos índices de sucesso. Os pais preferem ensinar seus filhos em casa, individualmente ou em grupos, em vez de expô-los aos riscos da droga, violência, promiscuidade sexual, e também do baixíssimo aprendizado de escolas públicas ou até privadas.

Gobelins: instituição aristocratizante festeja 400 anos


A célebre Manufacture des Gobelins de Paris festeja 400 anos, produzindo tapeçarias admiráveis. Neste aniversário, ela expõe excepcionalmente algumas das suas mais belas peças tecidas com fios de ouro e prata. A Manufacture des Gobelins nasceu sob o rei Henrique IV, no século XVI. Em 1937 ela uniu-se ao Ostel du Roy, que desde o século XIII fazia móveis para os servidores do rei. Hoje a instituição fornece as mais requintadas peças de decoração para os grandes órgãos públicos. A existência de instituições de espírito aristocratizante, como a Manufacture des Gobelins, é um saudável vestígio da França monárquico-aristocrática de séculos atrás, ainda vivo na atual França igualitária nascida da Revolução Francesa.

domingo, 5 de agosto de 2007

Laborismo inglês perde um membro cada 20 minutos

O Partido Laborista inglês perde um membro cada 20 minutos e neste ritmo não terá mais ninguém dentro de 7 anos segundo o deputado laborista Jon Cruddas. Desde 2000, o partido perdeu mais de 160,000 membros. A asfixiante chatice do laicismo, socialista ou democrático, espanta até seus aderentes. Ao mesmo tempo, uma redoma de prestígio e veneração envolve a monarquia britânica, a mais velha instituição política do país. Essa aura de sacralidade vem da Idade Média quando o país era oficialmente católico.